book_icon

Gastos globais com infraestrutura em Nuvem cresceram quase 37%, diz IDC

Os gastos com produtos de infraestrutura de computação e armazenamento para implementações em Nuvem somaram US$ 33 bilhões ano a ano no primeiro trimestre de 2024

Gastos globais com infraestrutura em Nuvem cresceram quase 37%, diz IDC

De acordo com o estudo Worldwide Quarterly Enterprise Infrastructure Tracker: Buyer and Cloud Deployment da IDC, os gastos com produtos de infraestrutura de computação e armazenamento para implementações em Nuvem, incluindo ambientes de TI dedicados e compartilhados, aumentaram 36,9% ano a ano no primeiro trimestre de 2024 (1T24), para US$ 33 bilhões. Segundo o estudo, os gastos com infraestrutura em Nuvem continuam a superar o segmento não Nuvem, com o último crescendo 5,7% no 1T24, para US$ 13,9 bilhões. O segmento de infraestrutura em Nuvem experimentou um crescimento mais lento na demanda unitária de 11,4%, devido ao aumento contínuo nos preços médios de venda (ASPs) principalmente relacionados a remessas de servidores GPU mais altas do que o normal.

“O crescimento dos gastos com infraestrutura em Nuvem continua sendo impulsionado pela explosão de investimentos relacionados à IA, que não apenas afetam os servidores, mas também começaram a ter influência positiva no armazenamento corporativo”, disse Juan Pablo Seminara, diretor de Pesquisa do Worldwide Enterprise Infrastructure Tracker da IDC. “Mesmo que ainda permaneça alguma cautela no lado sociopolítico, ficou claro que os planos de investimento em IA não estão desacelerando em 2024 e continuarão crescendo a uma taxa alta este ano e além. Além disso, a melhora nas perspectivas econômicas contribui para uma perspectiva de gastos muito positiva para 2024 e 2025, onde os gastos baseados em Nuvem aumentarão a um ritmo de dois dígitos”, observou.

Em uma base geográfica, os gastos ano a ano com infraestrutura em Nuvem no 1T24 mostraram resultados muito positivos em geral, onde apenas a América Latina apresentou uma queda de 2,8%

Os gastos com infraestrutura de Nuvem compartilhada (pública) atingiram US$ 26,3 bilhões no trimestre, um aumento de 43,9% em comparação com um ano atrás. A categoria de infraestrutura de Nuvem compartilhada continua a deter a maior parcela de gastos em comparação com implementações de Nuvem privada e gastos que não são de Nuvem. No 1T24, a Nuvem compartilhada representou 56,1% dos gastos totais com infraestrutura. O segmento de infraestrutura em Nuvem privada teve um crescimento menor, de 15,3% ano a ano no 1T24, para US$ 6,7 bilhões.

Para 2024, a IDC prevê que os gastos com infraestrutura em Nuvem cresçam 26,1% em comparação com 2023, para US$ 138,3 bilhões. A infraestrutura não Nuvem deve crescer 8,4%, para US$ 64,8 bilhões. A infraestrutura de Nuvem compartilhada deve crescer 30,4% ano a ano, para US$ 108,3 bilhões no ano inteiro. Os gastos com infraestrutura de Nuvem privada também devem ter um crescimento de dois dígitos em 2024, de 12,8%, atingindo US$ 30 bilhões para o ano inteiro. A previsão de crescimento moderado para a infraestrutura não Nuvem em 8,4% em 2024 reflete que, embora a maior parte do crescimento venha dos gastos com Nuvem, os sistemas dedicados gerais não relacionados à Nuvem devem se recuperar este ano.

Outras perspectivas

A categoria de provedor de serviços da IDC inclui provedores de serviços de Nuvem, provedores de serviços digitais, provedores de serviços de comunicação, hiperscalers e provedores de serviços gerenciados. No 1T24, os provedores de serviços como um grupo gastaram US$ 32,2 bilhões em infraestrutura de computação e armazenamento, um aumento de 37,9% em relação ao ano anterior. Esses gastos representaram 68,7% do mercado total. Os prestadores de serviços não (por exemplo, empresas, governo etc.) também aumentaram seus gastos para US$ 14,7 bilhões, crescendo 5,8% ano a ano. A IDC espera que os gastos com computação e armazenamento dos provedores de serviços atinjam US$ 132,2 bilhões em 2024, crescendo 26,2% ano a ano.

Em uma base geográfica, os gastos ano a ano com infraestrutura em Nuvem no 1T24 mostraram resultados muito positivos em geral, onde apenas a América Latina apresentou uma queda de 2,8%, enquanto a Europa Ocidental e o Oriente Médio e a África foram as únicas regiões que cresceram um dígito, com 4,0% e 5,3%, respectivamente. Esses resultados foram amplamente afetados por tensões políticas que atrasaram os planos de investimentos. As regiões que apresentaram crescimento sólido de dois dígitos foram Ásia/Pacífico (excluindo Japão e China), Japão, Europa Central e Oriental, EUA, China (RPC) e Canadá, onde os gastos com nuvem cresceram 85,4%, 53,1%, 42,6%, 37,0%, 33,7% e 16,1% ano a ano, respectivamente. A maior parte do crescimento está relacionada a grandes projetos de computação de alto desempenho (HPC) e baseados em IA, alguns dos quais foram adiados devido a problemas de fornecimento no passado.

A longo prazo, a IDC prevê que os gastos com infraestrutura de Nuvem terão uma taxa composta de crescimento anual (CAGR) de 14,3% durante o período de previsão de 2023-2028, atingindo US$ 213,7 bilhões em 2028 e respondendo por 75% dos gastos totais com infraestrutura de computação e armazenamento. Os gastos com infraestrutura de Nuvem compartilhada representarão 77,5% dos gastos totais com nuvem em 2028, crescendo a um CAGR de 14,8% e atingindo US$ 165,6 bilhões. Os gastos com infraestrutura de nuvem dedicada crescerão a um CAGR de 12,6%, para US$ 48,2 bilhões. Os gastos com infraestrutura não em nuvem também se recuperarão com um CAGR de 3,6%, atingindo US$ 71,4 bilhões em 2028. Espera-se que os gastos dos provedores de serviços em infraestrutura de computação e armazenamento cresçam a um CAGR de 13,8%, atingindo US$ 199,9 bilhões em 2028.

 

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.