Informe aqui

8 dicas para uma gestão financeira eficiente em PMEs

Existem mais de 6,4 milhões de estabelecimentos no Brasil, sendo que 99% deles são micro e pequenas empresas. Os números são ainda maiores se considerarmos as pessoas inscritas no MEI (Micro Empreendedor Individual) em 2017, que chegam a 7 milhões, de acordo com o Sebrae, estimativa que dobrou se comparada a 2013.

Seja como profissional da Gig Economy (ambiente ou mercado de trabalho que engloba os trabalhadores temporários e sem vínculo empregatício) ou empreendedor que sonha em ter o seu próprio negócio bem sucedido, os brasileiros, muitas vezes, tendem a errar em um dos primeiros e mais importantes passos para ter uma empresa. Segundo a Intuit, multinacional norte-americana que desenvolve soluções de gestão financeira para pequenas empresas e pessoas que trabalham por conta própria, muitos empreendedores pecam na gestão financeira por não evoluir o quanto deveriam e chegam a fechar as portas.

De acordo com o IBGE, cerca de 60% das empresas fecham em cinco anos, número alarmante que poderia ser evitado com planejamento financeiro. “O erro, em grande parte, está no planejamento inicial. Na gana de começar a vender seu produto ou serviço, os empreendedores cometem erros que desmoronam toda a estrutura do negócio”, conta Lars Leber, country manager da Intuit no Brasil.

Porém, não é apenas quando a ideia surge que os empresários deslizam na gestão financeira de suas empresas. Pensando nisso, a Intuit listou algumas dicas para que as PMEs tenham uma gestão financeira eficiente:

1) Crie um fundo de emergências
Um erro comum entre as PMEs, assim como em micro empresas, é viver sempre no limite. Começar um negócio sem um fundo para emergências é perigoso para seus planos de futuro. Empreender requer paciência e saber que os lucros não virão rápido. É preciso ter consciência disso e começar apenas quando tiver segurança de que conseguirá manter o negócio aberto até que ele passe a ter saldo positivo.

2) Invista um valor seguro
No entanto, não se deixe levar pelo desespero. Antes de colocar todo o dinheiro economizado nos últimos anos, ou de buscar empréstimos, avalie, dentro da sua realidade, uma quantia segura – para você e seu negócio – e invista em sua ideia.

3) Tenha um planejamento financeiro sólido
Depois de se certificar de ter a quantia necessária para não passar nenhum aperto, os empreendedores devem pensar em criar um planejamento financeiro. Saber quanto se gasta, desde o telefonema para o fornecedor até o produto/serviço chegar às mãos do consumidor, é essencial para precificar com precisão seu produto ou serviço.

4) Acompanhe regularmente as operações financeiras
Não é porque você já sabe o quanto gasta e o quanto lucra no mês que pode deixar de acompanhar suas movimentações diariamente. É importante verificar todo o histórico financeiro da sua empresa a fim de identificar períodos de maior lucratividade, os produtos/serviços que podem ser aperfeiçoados ou em quais pode continuar focando o seu investimento. Saber como está a saúde do seu empreendimento é fundamental e, para isso, o sistema digital de gerenciamento financeiro, QuickBooks, da Intuit, permite que o pequeno empresário faça um controle financeiro eficiente e que visualize sua performance em relatórios fáceis e customizáveis. Além disso, o sistema também permite a visualização dos pagamentos, recebimentos, saldo total e de monitorar mensalmente os lucros conquistados.

5) Separe as finanças profissionais das pessoais
Levar trabalho para casa é muito comum, principalmente quando você é o maior interessado no sucesso do negócio, mas se tem uma coisa que não se pode misturar são as finanças do seu negócio com as pessoais.

6) Tenha o controle do seu negócio
Contratar ajuda profissional é ótimo e recomendado, mas não entregue 100% o planejamento e finanças nas mãos de outra pessoa. Com o QuickBooks, o empreendedor também consegue controlar suas finanças no celular, via aplicativo, o que traz comodidade e facilita a análise diária das movimentações. Esteja sempre ciente do que entra e sai da empresa e saiba que a melhor pessoa para identificar o que funciona com seu negócio e público é você mesmo.

7) Tenha metas de curto, médio e longo prazo
Sabe aquela agenda de começo de ano em que você coloca os seus planos para um novo ano? É a mesma coisa quando se tem uma empresa. Ter metas de curto, médio e longo prazo te auxilia a manter o foco e não deixar que decisões do dia a dia te dispersem das decisões a serem tomadas.

8) Não dê um passo maior que a perna
Quando o negócio está dando certo é comum querer crescer rápido. Ampliar a loja ou abrir uma franquia é um grande passo que deve ser feito caso seja de interesse dos donos. Porém, ter consciência financeira do período em que seu negócio se encontra é necessário para que nada seja feito antes do momento e acabe influenciando negativamente os resultados.

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.