Canal de Distribuição Destaque

As estratégias da Nutanix para o Brasil

Leonel Oliveira comenta a parceria com o Microsoft Azure e José Patriota explica o novo programa de canais Elevate

Termina hoje (11/09) o Global Next Digital Experience, evento online da Nutanix, desenvolvedora de software em nuvem e soluções de infraestrutura hiperconvergente. O evento, que começou no último dia 8, trouxe duas grandes novidades: uma parceria com a Microsoft envolvendo o serviço em nuvem Azure e um novo programa de canais, batizado de Elevate.

Para Leonel Oliveira, CEO da Nutanix no Brasil, a parceria com o Microsoft Azure vai garantir ao usuário flexibilidade e liberdade de escolha. “Quando temos um único fornecedor de solução ou ferramenta, nos tornamos reféns e a relação deixa de ser de parceria. Pensamos muito nessa questão de liberdade de escolha”, afirma o executivo. “O desenvolvimento da plataforma Microsoft Azure garante ao usuário a liberdade de acessar outros provedores do mercado de nuvem pública, dentro de uma estratégia de nuvem híbrida”, diz.

O rebate aumentou quase 100% para quem era Scaler e virou Cloud Professional, e 85% para quem era Master e agora é Cloud Champion

Segundo Oliveira, essa nova parceria não inviabiliza as já existentes com a AWS e Google Cloud. “A primeira parceria foi com a AWS e os termos são similares. Com o Google Cloud temos principalmente em desktop as a service, mas estamos desenvolvendo outras estratégicas com eles”, diz. “As parcerias vão se desenvolvendo ao longo do tempo, de acordo com as necessidades do mercado. O Google é um player importante e devemos ter novidades ao longo do tempo, mas por enquanto nada definido”.

Para o executivo, muitas empresas mantêm as aplicações em uma nuvem privada por razões de segurança, custo e facilidade de gerenciamento, e querem tudo isso também na nuvem pública. “Elas querem flexibilização para garantir que haja essa movimentação de uma maneira livre e fluída. Isso para ter a almejada liberdade de escolha, ter as coisas dentro de casa e poder ir para fora a qualquer momento”, diz Oliveira.

Ele conta que a pandemia de Covid-19 promoveu uma corrida à nuvem, ou era isso ou as empresas paravam. “A nuvem é uma boa solução, mas se não houver uma boa gerência, adequação das aplicações e uma estratégia bem montada, o custo é gigantesco. Ela é funcional, rápida, mas é cara”, afirma o executivo.

Oliveira ressalta que na parceria com o Azure a Nutanix adicionou uma série de inovações, que traz simplicidade e amplia o espectro de fornecimento. Para o usuário isso significa funcionalidade em serviços de dados, como armazenamento e backup, além de serviço de DevOps, orquestração, simplicidade no desenvolvimento de aplicações e a possibilidade de se trabalhar em qualquer lugar, no escritório ou em casa.

Programa de canais
Segundo José Patriota, channel sales manager para a América Latina da Nutanix, o novo programa de canais Elevate está calcado em três pilares: simplicidade, maior lucratividade para o canal e o alinhamento com os parceiros. “Teremos agora um relacionamento de maior profundidade, claro que não todos, por causa do volume grande de canais, mas com aqueles que já estão qualificados”, diz o executivo. “Hoje são 320 empresas registradas, é um volume muito grande para vendas consultivas, com valor agregado. Desse total, 80 são qualificados, com certificados Nutanix”, afirma.

Ele explica que o novo programa dividiu o canal em três níveis. O primeiro é chamado de Broad Channel, que ainda estão no processo de aprendizagem e muitos ficam no caminho. Eles não possuem nível de certificação e são administrados e desenvolvidos pelo distribuidor e não pela Nutanix. Esses canais Broad Channel vão ser recrutados, ativados e desenvolvido pelos distribuidores, que no Brasil são quatro: Ingram Micro, CLM, TechData e Adistec.

O que antes se chamava Pioneer agora é Broad Channel e quem era parceiro Scaler passa para Cloud Professional  

“Temos um novo nível de canais, que se chama Cloud Champion, que está no topo da capacitação e a novidade é que criamos as certificações de serviços. Esse parceiro será tão capacitado para prestar serviços quanto nós, vai ter um diferencial de preço muito agressivo para poder compor serviços junto com a Nutanix”, afirma Patriota. O canal Cloud Champion poderá fazer a própria oferta, compondo parte de serviço Nutanix e parte serviço deles. “Estamos capacitando esse time para que ofereçam o mesmo nível de entrega que temos. Ao invés de apenas aumentar nossa equipe de serviços, vamos estender essa capacitação aos nossos parceiros”, explica.

Com o novo programa de canais, houve mudanças nos níveis de parceria. O que antes se chamava Pioneer agora é Broad Channel e quem era parceiro Scaler passa para Cloud Professional. “Esse Scaler já tem certificações necessárias, mas se precisar se adaptar, ele tem um ano para fazer isso”, diz Patriota, explicando que o parceiro Master virou Cloud Champion. “Os parceiros Master ainda não têm o nível de serviço exigido para Cloud Champion, pois são certificações novas. Eles também terão um ano para obterem essas certificações”, avisa.

Oliveira ainda informa aumento no valor de rebate (desconto) para os canais. O rebate aumentou quase 100% para quem era Scaler e virou Cloud Professional, e 85% para quem era Master e agora é Cloud Champion. Isso aumenta o lucro para o canal.

Serviço
www.nutanix.com

 

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.

Assine a nossa Newsletter

e receba informações relevantes do mercado TIC

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Captcha obrigatório

Agenda & Eventos