book_icon

Computação de Borda deve movimentar US$ 208 bi este ano, prevê IDC

A IDC define Borda como as ações relacionadas à tecnologia que são executadas fora do Data Center centralizado, onde Edge é o intermediário entre os endpoints e o ambiente central de TI

Computação de Borda deve movimentar US$ 208 bi este ano, prevê IDC

De acordo com o estudo Worldwide Edge Spending Guide, da IDC, os gastos mundiais com Computação de Borda devem somar US$ 208 bilhões este ano, um aumento de 13,1% em relação a 2022. Os gastos de empresas e provedores de serviços com hardware, software e serviços para soluções de borda devem sustentar esse ritmo de crescimento até 2026, quando as receitas chegarão a quase US$ 317 bilhões, segundo prevê o estudo.

A IDC define Borda (Edge) como as ações relacionadas à tecnologia que são executadas fora do Data Center centralizado, onde Edge é o intermediário entre os endpoints conectados e o ambiente central de TI. Caracteristicamente, A Borda é distribuída, definida por software e flexível. O valor da vantagem é o movimento dos recursos de computação para o local físico onde os dados são criados, reduzindo drasticamente o tempo de valorização e a ativação instantânea de processos de negócios, decisões e inteligência fora do ambiente central de TI.

A maior parte dos gastos em Edge irá para serviços, compostos por serviços profissionais e provisionados, em 2023. Os serviços de conectividade representarão quase metade dessa parcela, seguidos por software como serviço (SaaS) e serviços de suporte e implementação

“A computação de Borda tornou-se popular”, disse Dave McCarthy, vice-presidente de Pesquisa de Serviços de Infraestrutura de Nuvem e Borda da IDC. “A capacidade de distribuir aplicativos e dados para locais de campo é um elemento-chave da maioria das iniciativas de Transformação Digital. À medida que os fornecedores estendem os conjuntos de recursos existentes e criam novas ofertas específicas de Borda, os clientes estão acelerando seus planos de adoção”, observou.

A IDC identificou mais de 400 casos de uso nomeados para Edge Computing em vários setores e domínios. Os três casos de uso de Borda que verão os maiores investimentos em 2023 – redes de entrega de conteúdo, funções de rede virtual e Computação de Borda de acesso múltiplo (MEC) – são fundamentais para as ofertas de serviços de Borda dos provedores de serviços. Combinados, esses três casos de uso representarão quase 20% de todos os gastos de Borda este ano. No total, os provedores de serviços investirão mais de US$ 44 bilhões na habilitação de ofertas de Borda em 2023.

Gastos por setor

Para adotantes corporativos, incluindo o setor público, os casos de uso de Borda com os maiores investimentos em 2023 incluem gerenciamento de ativos de produção, operações autônomas, operações omnicanal, monitoramento de frete e agentes de atendimento ao cliente aumentados. Combinados, esses casos de uso representarão mais de 10% de todos os gastos de Borda este ano. Os casos de uso que devem ter o crescimento de gastos mais rápido no período de 2021-2026 incluem resposta a emergências, visualização de vídeos educacionais em 360 graus, produção de filmes/recursos e laboratório e campo (K-12).

“Apesar de diferentes ventos contrários impactando o comportamento de gastos dos compradores, especialmente na Europa, a Computação de Borda continua sendo uma das áreas de investimentos mais resilientes e atraentes, crescendo globalmente a uma taxa de dois dígitos nos próximos cinco anos”, disse Alexandra Rotaru, analista de pesquisa sênior do Grupo de dados e Análises da IDC. “Métricas relacionadas a inovação aprimorada, desempenho, experiência do cliente ou recursos de segurança cibernética permitirão que empresas em todo o mundo expandam seu orçamento e construam novas infraestruturas de Borda”,comentou.

Nos setores de usuários finais corporativos, a manufatura discreta e de processo representará a maior parte dos investimentos em soluções de Borda este ano, seguida pelos setores de varejo e serviços profissionais. A IDC espera que todos os 19 setores descritos no Guia de Gastos tenham crescimento de gastos de dois dígitos durante o período de previsão, liderados pelos provedores de serviços com uma taxa de crescimento anual composta (CAGR) de cinco anos de 21,1%.

A maior parte dos gastos em Edge irá para serviços, compostos por serviços profissionais e provisionados, em 2023. Os serviços de conectividade representarão quase metade dessa parcela, seguidos por software como serviço (SaaS) e serviços de suporte e implementação. Os gastos com hardware serão impulsionados por investimentos em Edge gateways, servidores e equipamentos de rede. O software continuará sendo a menor categoria de tecnologia durante o período de previsão.

Do ponto de vista geográfico, os Estados Unidos serão o líder em gastos de Borda ao longo do período de previsão, entregando mais de 40% do total mundial, seguido pela Europa Ocidental e China. A América Latina e a China experimentarão o crescimento de gastos mais rápido na previsão de cinco anos, com CAGRs de 18,1% e 18,0%, respectivamente.

Serviço
www.idc.com

Últimas Notícias
Você também pode gostar
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.