book_icon

Mais da metade da banda larga no Brasil é levada por ISPs, diz Anatel

Os Provedores de Serviços de Internet são os principais motores de desenvolvimento da banda larga, levando a Internet e a fibra óptica aos cidadãos de todo o País

Mais da metade da banda larga no Brasil é levada por ISPs, diz Anatel

O Nordeste é a região do País que concentra o maior número de Provedores de Serviços de Internet (ISP na sigla em inglês), contemplando as quatro capitais com os maiores percentuais de market share do setor no Brasil, sendo que os ISPs detêm 38% de todos os clientes de banda larga do NE. Os dados são da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) e dão conta de que, em todo o Brasil, os ISPs somam mais de 10 mil empresas. Já números da consultoria Teleco e da Associação Brasileira das Prestadoras de Serviços de Telecomunicações Competitivas (Telcomp) indicam que os provedores regionais fecharam 2021 com receita em torno de R$ 20 bilhões, representando cerca de 0,3% do PIB nacional.

O Nordeste é um mercado que se destaca no segmento de provedores de Internet. Reunimos aqui as maiores empresas do setor no País

Dentro deste quadro, o Nordeste se destaca com o aumento de acessos e densidade em serviços de Internet Banda Larga, que teve índice positivo de 59,9% no último exercício avaliado pela Anatel. “Os ISPs são os principais motores de desenvolvimento da banda larga hoje. Estas empresas levam a Internet e a fibra óptica aos cidadãos de todo o País: hoje, mais da metade da banda larga no Brasil é levada pelos provedores de Internet”, analisou o presidente da Anatel, Carlos Manuel Baigorri, durante o ExpoISP Nacional, evento que se concentra no mercado de provedores e escolheu o Nordeste como sede de sua edição nacional deste ano, sendo realizado em Olinda (PE).

Já na análise de Fernando Lemos, estrategista do mercado de Tecnologia com carreira construía em players mundiais como IBM e Microsoft, que também esteve no evento, o crescimento deste mercado, tanto no Nordeste, quanto no País, se dá pela essencialidade das Telecomunicações, que são fundamentais para conectar pessoas e negócios, principalmente no panorama atual, redesenhado pela pandemia. “A Telecom foi uma das áreas mais impactadas no pós-pandemia. O setor tem o objetivo de atender às demandas do mercado, e na sua esteira de crescimento, há três grandes áreas que são boas apostas: Internet das Coisas, MVNOs e redes neutras”, destacou Lemos durante o ExpoISP em Olinda.

Ainda segundo o estrategista, o futuro pertence à Inteligência Artificial e as tendências do mercado de Internet deverão se focar cada vez mais em comunicação personalizada e plataformas pessoais.

Para o organizador do evento, David Nascimento, a escolha do Nordeste como sede para a edição nacional também deu foco à expressividade do setor de Internet na região. “O Nordeste é um mercado que se destaca no segmento de provedores de Internet. Reunimos aqui as maiores empresas do setor no País, bem como autoridades do setor de Tecnologia e Telecom, como é o caso de Fernando Lemos, o ex-ministro Marcos Pontes, lideranças da Anatel, entre muitos outros”, destaca David.

O ExpoISP terá mais uma edição nacional ainda este ano, em novembro, em São Paulo (SP). No meio tempo, o evento terá edições regionais em Goiânia, Natal, Rio Branco, Belém, Maceió, Florianópolis, Porto Alegre, Cuiabá, Manaus, Campina Grande, Brasília, Belo Horizonte, Salvador, Boa Vista e Fortaleza.

Serviço
www.anatel.gov.br

Anatel

EXPOISP

Fibra óptica

ISP

Provedor de SErviço de Internet

Telco

Telecom

Últimas Notícias
Você também pode gostar
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.