book_icon

Prepare-se para mais ataques cibernéticos em 2022, alerta Check Point

Explosão de home offices emergenciais, com pouco ou nenhum recurso de segurança, e empresas despreparadas serão terrenos férteis para cibercriminosos ampliarem atuação

Prepare-se para mais ataques cibernéticos em 2022, alerta Check Point

Agilidade, conveniência, flexibilidade e competitividade são alguns dos ganhos trazidos pelo digital, acelerado na pandemia e que segue em expansão. Mas tem seu preço: o desafio de manter a segurança em ambientes hiperconectados e críticos. É uma questão cultural.

O mercado precisa entender que segurança da informação deve estar inserida na estratégia corporativa, na raiz do desenvolvimento de produtos, serviços e soluções e até nos kits de boas-vindas dos colaboradores quando ingressam nas companhias. É como alerta a Check Point, fornecedora global de soluções de cibersegurança, para estancar o crescimento de ataques cibernéticos, especialmente de ransomware.

“Com o intenso movimento de profissionais para home office na pandemia, grande parte desprovido de proteção, abriu portas para cibercriminosos, levando ao aumento de 40% dos ciberataques a organizações em todo em 2021. Crescimento que deve ser
ampliado em 2022”, alerta Cláudio Claudio Bannwart, diretor regional da Check Point Software Brasil.

Mas o pulo do gato, como destaca o executivo, é aprender com os incidentes que aconteceram em 2021 para nortear as estratégias de segurança nas empresas, entre eles o boom global em documentos de vacinação da Covid-19, ataques em infraestrutura crítica e a cadeia de suprimentos, ou supply chain, invasões de ransomware de tripla extorsão e falta de proteção do local de trabalho híbrido.

Mais do que ter agilidade nas respostas aos incidentes, o mais importante e estratégico é se prevenir, avisa o executivo. “Para isso, é preciso fortalecer a cultura corporativa de Segurança da Informação, usar corretamente as ferramentas, com a configuração
correta, em especial as de monitoração, usar somente APIs comprovadamente seguras para troca de informações com parceiros e se certificar de que eles também seguem todas as normas de Segurança”, ensina.

Todo cuidado é muito pouco
Tradicionalmente, é notório que o elemento mais vulnerável na jornada de proteção são as pessoas (colaboradores). Por isso, a importância de conscientizá-las para o bem da organização. A tecnologia será mais eficiente quanto maior for o entendimento da
responsabilidade dos usuários em não deixar brechas para ciberataques.

É preciso resistir ao impulso de abrir e-mails sem avaliações, ou aquele link no SMS. Podem ser verdadeiras bombas-relógio. Em um clique tudo pode levar a prejuízos inestimáveis.

A movimentação mais comum é colocar cadeado, depois da porta arrombada. Mas a divulgação na imprensa de ataques de ransomware em importantes players do mercado como Lojas Renner e Atento, deixando suas operações indisponíveis, vem acelerando a busca por proteção.

É preciso resistir ao impulso de abrir e-mails sem avaliações, ou aquele link no SMS. Podem ser verdadeiras bombas-relógio. Em um clique tudo pode levar a prejuízos inestimáveis

“Todas as vezes em que essas notícias são divulgadas, nossa demanda aumenta. As empresas não querem, claro, que o mesmo aconteça com elas. E não buscam apenas tecnologias, mas também orientações sobre políticas de proteção para fortalecimento
dessa cultura”, diz Bannwart.

Em paralelo, cada vez mais empresas estão buscando contratar o pacote completo de proteção como serviço, ele diz. “Já oferecemos por meio dos nossos parceiros essa opção. Afinal, elas precisam focar no business e ao mesmo tempo garantir a
disponibilidade do negócio com mais segurança.”

O ano de 2022 será desafiante, afirma o diretor regional da Check Point Brasil. “Porque teremos um mercado mais do que hiperconectado, com tecnologias que abrirão muitas brechas, caso as aplicações não sejam desenvolvidas com muitos recursos de
Segurança.” E diz: “Imagina quando IoT se unir com 5G e Edge Computing? As empresas precisam se preparar”.

Atenção às novas oportunidades de ataques
Para 2022, enquanto os cibercriminosos continuam a promover o impacto da pandemia, a Check Point Software alerta que eles também encontrarão novas oportunidades de ataque com deepfakes, criptomoedas, carteiras digitais e muito mais como:
Retorno das notícias falsas e campanhas de desinformação
Contínuo crescimento dos ciberataques na cadeia de suprimentos
Intensificação da ciber “guerra fria”
Mais e onerosas violações de dados
Criptomoedas ganham popularidade com os atacantes
Atacantes visam dispositivos móveis
Cibercriminosos aproveitarão as vulnerabilidades dos microsserviços
A tecnologia deepfake é uma arma para ataques
As ferramentas de penetração continuam a crescer.

Serviço
www.checkpoint.com/pt/

5G e Edge Computing

Check Point

Cláudio Claudio Bannwart

home office

Ransomware

Últimas Notícias
Você também pode gostar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento