book_icon

Phishing bancário marca 11 milhões de ataques e alerta para ameaças ao PIX

Sistema de pagamentos instantâneos, prestes a se tornar realidade no Brasil, exigirá que as instituições financeiras façam investimentos em segurança
Phishing bancário marca 11 milhões de ataques e alerta para ameaças ao PIX

Empresas, instituições financeiras e clientes ficaram mais vulneráveis a golpes cibernéticos desde que a pandemia promoveu um aumento expressivo na digitalização das atividades do dia a dia. Dados do setor de segurança da informação apontam que 11 milhões de phishings bancários foram detectados somente neste ano. Velha conhecida, a fraude queridinha dos criminosos caracteriza-se pela tentativa de roubar informações confidenciais dos usuários, ou seja, a identidade online. De posse dos dados alheios, o golpista pode acessar contas, transferir dinheiro e fazer compras, por exemplo. O salto desse tipo de ocorrência envolvendo instituições financeiras tem alertado especialistas do setor para as ameaças que devem se intensificar com a chegada do PIX, o sistema de pagamentos instantâneos.
Com entrada em vigor prevista para novembro, a novidade tende a modernizar e baratear as operações financeiras, possibilitando que transferências e pagamentos possam ser realizados a qualquer dia do ano, sem limite de horário e com o recurso imediatamente disponível ao destinatário. Desta forma, transformará processos antes físicos em virtuais, aumentando a atividade online e, consequentemente, a possibilidade de exploração de vulnerabilidades, colocando em risco dados, processos e clientes.

Com entrada em vigor prevista para novembro, a novidade tende a modernizar e baratear as operações financeiras, possibilitando que transferências e pagamentos possam ser realizados a qualquer dia do ano, sem limite de horário e com o recurso imediatamente disponível ao destinatário  

De acordo com a Kryptus, fabricante do hardware security module e especializada em criptografia e segurança da informação, algumas ameaças têm potencial para prejudicar a estratégia de proteção das transações do novo sistema de pagamentos. Uma delas é o roubo das chaves privadas da instituição financeira, que podem permitir que um invasor se passe pela instituição e autorize débitos, por exemplo, via exploração de alguma vulnerabilidade que permita acesso ao sistema e às chaves privadas.
Outro risco, segundo a empresa, é a fraude que invade o ambiente, escala privilégios, e altera o código de geração de um QR Code, possibilitando a criação de uma versão fraudulenta. Assim, o golpista pode desviar o dinheiro que seria remetido para uma loja, por exemplo. Já a invasão de um dispositivo móvel, seja ele um celular ou tablet, tem por objetivo usar as credenciais e efetuar transações em nome da vítima, acessando aplicativos de instituições financeiras para fazer operações.
Roberto Gallo, CEO da Kryptus, afirma que a solução de melhor custo-benefício para as instituições financeiras em busca de adequação para o PIX são os módulos criptográficos (HSM) capazes de atender múltiplas normas e legislações simultaneamente. Além disso, as soluções de alta disponibilidade devem estar no radar das empresas em busca de segurança e performance para reduzir riscos e custos.
Na visão do executivo, é preciso apostar em HSMs com certificações internacionais e nacionais, como o FIPS e aICP-Brasil. “Desta forma, a instituição não só fica em compliance com o Manual de Segurança do Banco Central, mas também com PCI, LGPD e GDPR”, destaca.
Nas aplicações financeiras, de acordo com Gallo, “o HSM pode ser utilizado, por exemplo, como cofre digital, gerenciamento de credenciais, Autoridade Certificadora interna, adequação a leis de proteção de dados pessoais como LGPD e GDPR e nos processos de PCI e segurança das chaves para o Sistema Público de Pagamento para adquirentes de cartões de crédito. Além disso, HSMs que possuem funções de virtualização possibilitam uma redução de investimentos (CAPEX) e custos operacionais (OPEX)”.
 

hardware security module

investimentos em segurança

Kryptus

módulos criptográficos (HSM)

Phishing bancário

PIX

QR Code

Roberto Gallo

roubo das chaves privadas da instituição financeira

Comentários

Os comentários estão fechados nesse post.
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital
Edição do mês

Leia nesta edição:

Leia nessa edição sobre tecnologia

CAPA | TECNOLOGIA

5G impõe seu ritmo

Leia nessa edição sobre carreira

MERCADO

Brincadeira de gente grande

Leia nessa edição sobre setorial | saúde

GESTÃO

Backup: a última linha de defesa

Esta é para você leitor da Revista Digital:

Leia nessa edição sobre sustentabilidade

NEGÓCIOS

Terceirização de equipamentos

Maio 2022 | #57 - Acesse:

Infor Channel Digital

Baixe o nosso aplicativo

Google Play
Apple Store

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento