book_icon

Projeto autoriza emissão de receituário eletrônico por médicos

Proposta exige assinatura com certificação digital e prontuário eletrônico do paciente
Projeto autoriza emissão de receituário eletrônico por médicos
O Projeto de Lei 1423/20 autoriza a emissão de receituário eletrônico pelos médicos. Em análise na Câmara dos Deputados, o texto altera a Lei de Controle Sanitário de Medicamentos (5.991/73).
“Tendo em vista a tendência de ampliação da telemedicina, necessário se faz prever formas válidas para a emissão de receituário médico com a prescrição de medicamentos”, argumenta o deputado Ronaldo Carletto (PP-BA), autor da proposta. “De nada adiantaria a consulta e a orientação do profissional, sem que essas atividades fossem concluídas com a prescrição da terapêutica”, complementa.
Pela proposta, a receita deverá ter ter assinatura digital, comprovada por certificação digital, e ser fundamentada em prontuário eletrônico do paciente armazenado em sistemas de registro eletrônico. Os sistemas de validação deverão ser autorizados pelas autoridades sanitárias brasileiras.
Os parlamentares aprovaram lei liberando o uso de telemedicina em caráter emergencial durante a crise de Covid-19 (PL 696/20), que aguarda sanção presidencial. Porém, o Ministério da Saúde já publicou portaria regulamentando a matéria, após o Conselho Federal de Medicina autorizar em caráter excepcional o uso desse tipo de ferramenta. ​

Com informações da Agência Câmara de Notícias – reportagem – Lara Haje – edição – Alexandre Pôrto

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.