Informe aqui

Desenvolvedor full-stack: o que é preciso para se tornar o profissional coringa mais cobiçado no mercado

Demanda por esse tipo de profissionais cresce no Brasil com maior investimento na transformação digital das empresas tradicionais e o surgimento de startups

São Paulo, SP – Na indústria do desenvolvimento web, é muito usual encontrar profissionais especializados no front-end (que tratam da parte da aplicação que o usuário vê estampada na tela) ou no back-end (que lidam com a lógica, interações de banco de dados, autenticação de usuário, configuração do servidor etc). O problema aparece quando essas duas áreas precisam interagir e o responsável pelo back-end não possui conhecimento de front-end e vice-versa.

Nesse momento a figura do desenvolvedor full-stack se torna essencial, ou praticamente um trunfo, para a empresa. No Brasil, a demanda por esse tipo de profissional vem aumentando principalmente com o aumento do investimento na transformação digital em companhias tradicionais e também por meio da disseminação das startups. “Para as empresas que vivem esse momento fica mais viável contratar um profissional capaz de colaborar em todas as áreas do desenvolvimento e, com isso, acumular as funções. Já para o profissional, a grande vantagem de ser um full-stack reside no fato de poder se candidatar às vagas em qualquer um dos lados”, explica Pedro Falkenbach, growth manager da Ironhack no Brasil.

Para quem ainda tem dúvidas sobre a viabilidade da função, listamos abaixo todo o conhecimento necessário para atuar como um full-stack:

Front-End
No front-end, o interessado precisa saber minimamente como construir aplicações dinâmicas e criar a melhor experiência possível ao usuário. Para isso, é necessário conhecimento nas linguagens HTML, CSS e JavaScript, além de saber utilizar frameworks como React.js e Angular 2.

Back-End
A gama de linguagens no back-end é enorme, por isso, este talvez seja o maior passo de todos. Aprenda MongoDB, Express.js, React e Node.js para criar aplicações orientadas por bancos de dados não relacionais. Essas são as principais tecnologias que as empresas demandam atualmente.

Micro serviços com React
Por fim, o profissional precisa também ter conhecimento na criação de APIs (sigla em inglês para Interfaces de Programação de Aplicações) para projetar arquitetura de micro serviços. Além disso, entenda como construir aplicações usando React.

Onde aprender?
A Ironhack, escola de programação global que chegou a São Paulo em 2018, possui curso voltado para formação de profissionais full-stack. As aulas da próxima turma começam a partir de 6 de novembro e ocorrerão sempre às terças e quintas (noite), além dos sábados (dia), ao longo de 24 semanas. “Essa programação visa atender aqueles que trabalham ou estudam em horário comercial e não teriam tempo disponível para um bootcamp em tempo integral de nove semanas”, afirma Falkenbach.

O novo curso, em modelo part time, estava previsto para ser oferecido somente ano que vem. Porém, devido ao crescimento da procura, sua abertura foi antecipada. O estilo adotado também serve para auxiliar os profissionais e estudantes que desejam se inserir no mercado de tecnologia, uma vez que todas as aulas têm palestras, atividades e exercícios em dupla, além de uma revisão do que foi visto no dia anterior. “Vale lembrar que o curso de Web Development conta com acompanhamento periódico de um profissional com reconhecida experiência no mercado (Program Manager), além do professor principal que leciona as aulas e outro assistente que auxilia os alunos com dúvidas pontuais”, conclui o executivo da Ironhack. Mais informações do curso pelo link https://www.ironhack.com/pt/cursos/web-development-part-time.

Sobre a Ironhack
Fundada em 2013 por Ariel Quiñones e Gonzalo Manrique, a Ironhack é uma escola de tecnologia com sedes em Madri, Barcelona, Berlim, Paris, Cidade do México, Amsterdã e São Paulo, voltada para o treinamento de alunos para empregos digitais. A Ironhack já treinou mais de 1,8 mil estudantes de 70 nacionalidades diferentes em apenas cinco anos e foi reconhecida como uma das três melhores escolas do mundo pelo coursereport.com e switchup.org. Com um modelo que tem garantido a empregabilidade de 85% de seus estudantes em até três meses ao treinamento, sua missão é permitir que qualquer um seja protagonista da revolução digital. Mais informações em: www.ironhack.com.

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.