book_icon

Big Data revoluciona as estratégias das empresas, aponta estudo

Big Data revoluciona as estratégias das empresas, aponta estudo

O Big Data se tornou um elemento essencial para o dia a dia de qualquer companhia, que vai desde um planejamento de estratégias até facilitar a aplicação e a tomada de decisões dentro de um negócio. Embora possa parecer evidente, apenas 17,6% das agências e departamentos de comunicação implementaram este tipo de ferramenta. E esta é uma das conclusões do Latin American Communicator Monitor (LCM), um estudo organizado pela European Public Relations Education and Research Association (EUPRERA), com a colaboração da Associação de Diretores de Comunicação da Espanha (Dircom) e o patrocínio da LLORENTE & CUENCA, consultoria de Gestão da Reputação, Comunicação e Relações Públicas com atuação na Espanha, Portugal e América Latina.

Centrado no uso do Big Data, o documento analisa as atuais práticas e o desenvolvimento futuro da comunicação estratégica nas agências. No Brasil, a Stilingue é um exemplo de empresa que já fomenta essa tecnologia.

A plataforma especializada em fornecer análises de influenciadores e de conteúdo na internet emprega o Big Data em um software para embasar dados dos principais meios online. “Hoje existem mais dados importantes do que conseguimos digerir sozinhos. Precisamos da máquina para nos fortalecer nestas análises. Mais que uma escolha, é uma necessidade”, explica Rodrigo Helcer, CEO da Stilingue.

O software abrange dois dos cinco eixos analisados no levantamento da LCM, dentre eles, os principais são: o uso do Big Data na comunicação estratégica e nas novas formas de distribuir conteúdo. “Moldamos uma ferramenta completa para o profissional de comunicação brasileiro. E que acima de tudo, foi feita para entender com inteligência artificial o nosso português e cultura local”, aponta Helcer.

Na comunicação estratégica, um dos elementos centrais do estudo revela que apenas uma quarta parte dos profissionais de comunicação está ciente de que a análise destes dados pode mudar a profissão e menos da metade desses trabalhadores têm seguido o debate sobre esta ferramenta. A pesquisa aponta que 16% das empresas planejam começar a utilizar a tecnologia antes do final de 2017.

Já os social media influencers (SMI) e os defensores de marcas são um novo grupo de líderes de opinião, ou seja, uma nova forma de distribuir conteúdo. Segundo levantamento, 77,2% das organizações consideraram que os SMIs são importantes para a execução de atividades estratégicas de comunicação, enquanto que 62% afirmam que utilizam planos específicos para se comunicarem com os SMI. “Na análise de influenciadores, a intuição precisa de embasamento. E a tecnologia hoje consegue apoiar e muito nesse processo de escolha e avaliação de influenciadores”, conclui o executivo.

Últimas Notícias
Você também pode gostar
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento