Informe aqui

Empresa aposta na personalização de cloud computing para pequenos e médios

O consumo de cloud computing, ou dados em nuvem, tem crescido no Brasil a cada ano. Segundo um relatório publicado pela IDC (International Data Corporation), em 2018 haverá um crescimento de 40% nos investimentos nesta área na América Latina e o mercado brasileiro terá grande participação neste aumento. Dentro desta realidade, uma empresa de São Paulo transformou a dificuldade que pequenas e médias possuem em comprar serviços em nuvem sob demanda em nova oportunidade de negócio.

A ideia surgiu do empresário Paulo Chabbouh, CEO da L5 Networks, empresa que há 16 anos aposta na nuvem como principal fio condutor do mix de produtos da marca, que é líder no segmento de telefonia em nuvem, CRM, TI e que agora, também oferece ao mercado a facilidade de comprar servidores ou serviços em nuvem, específicos para as necessidades da empresa.

“É muito comum que as pequenas e médias empresas não tenham um profissional específico para estas compras técnicas. Daí, acaba-se comprando uma nuvem muito maior do que realmente é preciso. Além disso, muitas vezes, a compra é internacional, dificultando todo o processo e inclusive o pagamento. O que fazemos não é um serviço de broker, de apenas auxiliar na compra do cliente, mas sim, somos os provedores da nuvem, então, antes de vender algo, entendemos a real necessidade e entregamos tudo nas especificações corretas. Além disso, o cliente tem a possibilidade de aumentar os recursos sempre que preciso”, explica Chabbouh.

Grandes nuvens, como a do Google, Amazon e Microsoft, na opinião de Chabbouh, vendem facilmente para as empresas que fornecem TI, como revendas ou prestadores, por exemplo. Quando as pequenas e médias procuram serviços de nuvem, é natural que escolham uma dessas marcas, até mesmo por já serem conhecidas pelo público. Mas, é muito mais fácil e prático investir em uma private cloud, do que contratar um plano que precisa de suporte técnico de uma empresa intermediária para ajudar a acessar a nuvem.

“Quando falamos em computação em nuvem a segurança não é mais questionada e por isso as empresas cada vez mais buscam a cloud. Nossa intenção é trazer soluções e minimizar custos e impactos e para isso acontecer, entendemos que é necessário entregar um serviço personalizado. Marcas maiores não conseguem entregar isso aos pequenos e médios, e é neste mercado que queremos atuar”, finaliza Chabbouh.