Informe aqui

Bastidores de uma gigante do varejo: o novo sistema que está por trás da operação de mais de 150 restaurantes do Grupo IMC

Preocupada com a experiência do cliente, dona de marcas como Frango Assado e Viena mudou principal software de gestão nas lojas de SP, RJ, MG e DF em tempo recorde

Com o negócio em ascensão, o Grupo IMC, presente nos principais shoppings, rodovias e aeroportos do país, precisou mudar todo o sistema responsável por gerir a operação de mais de 150 restaurantes espalhados pelo Brasil, que funcionam sob as bandeiras Frango Assado, Viena e outras. O grupo sentiu a necessidade de um software mais estável e que funcionasse de forma mais estratégica para a rotina dos restaurantes.
Para auxiliar neste processo complexo, a empresa contratou a Linx, companhia que fornece tecnologia para 40,2% do varejo nacional, e conseguiu fazer toda a mudança em apenas dois meses. Uma força-tarefa foi montada, funcionários trabalharam em esquema especial, diversos testes foram realizados e algumas etapas tiveram de ser seguidas rigorosamente até a implementação do Linx Degust, sistema que fornece todo o controle necessário para um rápido atendimento de mesa, comandas eletrônicas e integração com a cozinha.
1 – Identificação da necessidade
Tudo começou quando o Grupo IMC notou que, com o crescimento das operações, era preciso contar com um sistema mais eficiente e estratégico para a tomada de decisões. “Entre nossos desafios, estavam a necessidade de aumentar a velocidade de atendimento ao cliente, otimizar os processos dos pontos de venda e contar com um sistema que oferecesse informações confiáveis e que, acima de tudo, garantisse estabilidade. A intenção era obter uma plataforma de vanguarda no segmento de restaurantes no Brasil”, explica Newton Maia, CEO do Grupo IMC.
2 – Processo seletivo
Uma concorrência foi aberta e diversas provedoras de software de gestão entraram no processo. O desafio de cada uma delas era instalar seu sistema em um dos diversos restaurantes do grupo e tomar conta da operação por cerca de um mês. A que se saísse melhor seria a escolhida ao final do período. “Nós sabíamos o tamanho do desafio dessa concorrência, porém também tínhamos confiança da qualidade do produto que estávamos instalando no restaurante Viena”, destaca Wesley Tambani, diretor da Linx.
3 – Escolha do fornecedor
Após um mês, a Linx foi o parceiro tecnológico escolhido para prover o sistema de gestão para os 150 restaurantes do grupo. “A escolha da Linx se deu pela capacidade que a empresa mostrou em atender às nossas atuais demandas que são diferentes de acordo com o negócio que estamos tratando (shopping, aeroportos e rodovias)”, afirma Marcelo Lopes Vilela, CIO do Grupo IMC.
4 – Implementação
Se escolher o melhor fornecedor foi difícil, a implementação também teve seus desafios. Toda a mudança não poderia passar de dois meses e a transição de um parceiro para o outro não poderia impactar a experiência do cliente. “Sabemos que agilidade é fundamental para este mercado. Preparamos uma força-tarefa para que a nossa chegada ocorresse da melhor forma possível. “Tivemos uma semana em que quase 30 restaurantes do grupo estavam sendo viradas para o Linx Degust simultaneamente”, comenta Rodrigo Oliveira Andrade, diretor de Ofertas da Linx.
5 – Esquema especial de trabalho
Para que tudo desse certo, uma operação simultânea envolveu equipes de quatro estados. Mais de 20 profissionais estiveram envolvidos na implementação e trabalharam em horários diversificados. Além disso, funcionários da Linx foram alocados na matriz do Grupo IMC e todo o time de suporte baseado na sede da provedora de tecnologia, na capital paulista, participaram do processo.
6 – Conclusão e análise de resultados
A instalação do Linx Degust finalmente foi concluída e uma outra necessidade da Rede IMC também foi suprida. “O diferencial do software que adotamos é a emissão de indicadores de desempenho mais precisos. Com esses dados, passamos a ser mais estratégicos em nossas atividades, mais ágeis nas tomadas de decisão e ganhamos mais eficiência na operação”, celebra Vilela.
Raio-X e próximos passos
Ao todo, são pontos de vendas no aeroporto de Confins (MG), em Guarulhos (SP), além de unidades do Frango Assado espalhadas pelas rodovias, assim como restaurantes Viena em diferentes shoppings do país. “Acredito que a rápida transição de um fornecedor para o outro só foi possível por conta da integração dos times IMC que se envolveram no processo como, TI, Marketing, Financeiro e Operações”, destaca Maia.

“Já estamos discutindo os próximos passos dessa nova fase do negócio. Agora, nossa prioridade é seguir inovando para que o consumidor perceba a preocupação que tivemos em aprimorar nossas atividades e tenha a melhor experiência possível em nossos restaurantes”, finaliza Vilela.