book_icon

Data Center de IA demandam refrigeração líquida, diz Schneider Electric

Os Data Centers necessários para habilitar a tecnologia de IA estão gerando calor substancial, particularmente aqueles que contêm servidores de IA com aceleradores

Data Center de IA demandam refrigeração líquida, diz Schneider Electric

A Schneider Electric, empresa global de gerenciamento e automação de energia, lançou um white paper intitulado Navigating Liquid Cooling Architectures for Data Centres with AI Workloads (Navegando em arquiteturas de resfriamento líquido para Data Centers com cargas de trabalho de IA). O documento fornece um exame das tecnologias de resfriamento líquido e suas aplicações em Data Centers modernos, particularmente aqueles que lidam com cargas de trabalho de IA de alta densidade.

A demanda por IA está crescendo a um ritmo exponencial. Como resultado, os Data Centers necessários para habilitar a tecnologia de IA estão gerando calor substancial, particularmente aqueles que contêm servidores de IA com aceleradores usados para treinar grandes modelos de linguagem e cargas de trabalho de inferência. Essa produção de calor está aumentando a necessidade do uso de resfriamento líquido para manter o desempenho, a sustentabilidade e a confiabilidade ideais.

Com a crescente demanda por poder de processamento de IA e o aumento correspondente nas cargas térmicas, o resfriamento líquido está se tornando um componente crítico do design do Data Center

O mais recente white paper da Schneider Electric orienta os operadores de centros de dados e gestores de TI através das complexidades da refrigeração líquida, oferecendo respostas claras a perguntas críticas sobre projeto, implementação e operação do sistema.

Noções básicas sobre arquiteturas de resfriamento líquido

Ao longo das 12 páginas, os autores Paul Lin, Robert Bunger e Victor Avelar identificam duas categorias principais de resfriamento líquido para servidores de IA: resfriamento direto para chip e resfriamento por imersão. Eles descrevem os componentes e funções de uma unidade de distribuição de refrigerante (CDU), que são essenciais para gerenciar temperatura, fluxo, pressão e troca de calor dentro do sistema de resfriamento.

“As cargas de trabalho de IA apresentam desafios de resfriamento únicos que o resfriamento de ar sozinho não pode resolver”, disse Robert Bunger, CTO de Data Center da Schneider Electric. “Nosso white paper visa desmistificar arquiteturas de resfriamento líquido, fornecendo aos operadores de Data Center o conhecimento para tomar decisões informadas ao planejar implementações de resfriamento líquido. Nosso objetivo é equipar os profissionais com insights práticos para otimizar seus sistemas de refrigeração. Ao entender as compensações e os benefícios de cada arquitetura, os operadores podem melhorar o desempenho e a eficiência de seus Data Centers”, explicou.

O white paper descreve três elementos-chave das arquiteturas de resfriamento líquido:

Captura de calor no servidor: utilização de um meio líquido (por exemplo, óleo dielétrico, água) para absorver o calor dos componentes de TI.

Tipo de CDU: seleção da CDU apropriada com base em métodos de troca de calor (líquido-ar, líquido-líquido) e fatores de forma (montados em rack, montados no chão).

Método de Rejeição de Calor: determinar como transferir calor efetivamente para o exterior, seja através de sistemas de instalações existentes ou configurações dedicadas.
Escolhendo a arquitetura certa

O documento detalha seis arquiteturas comuns de resfriamento líquido, combinando diferentes tipos de CDU e métodos de rejeição de calor, e fornece orientação sobre a seleção da melhor opção com base em fatores como infraestrutura existente, tamanho da implantação, velocidade e eficiência energética.

Com a crescente demanda por poder de processamento de IA e o aumento correspondente nas cargas térmicas, o resfriamento líquido está se tornando um componente crítico do design do Data Center. O white paper também aborda tendências do setor, como a necessidade de maior eficiência energética, conformidade com regulamentos ambientais e a mudança para operações sustentáveis.

“À medida que a IA continua a impulsionar a necessidade de soluções avançadas de resfriamento, nosso white paper fornece um recurso valioso para navegar nessas mudanças”, acrescentou Bunger. “Estamos comprometidos em ajudar nossos clientes a atingir suas metas de alto desempenho e, ao mesmo tempo, melhorar a sustentabilidade e a confiabilidade”, completou.

Fornecendo à indústria projetos de referência de Data Center de IA

Este white paper é particularmente oportuno e relevante à luz da recente colaboração da Schneider Electric com a Nvidia para otimizar a infraestrutura de Data Center para aplicativos de IA.

Esta parceria introduziu os primeiros projetos de referência de Data Center de IA disponíveis publicamente, aproveitando as tecnologias avançadas de IA da Nvidia e a experiência da Schneider Electric em infraestrutura de data center.

Os projetos de referência estabelecem novos padrões para implementação e operação de IA, fornecendo aos operadores de data centers soluções inovadoras para gerenciar cargas de trabalho de IA de alta densidade de forma eficiente.

 

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.