book_icon

Check Point: pesquisa mostra o papel fundamental da IA Generativa na segurança cibernética

As organizações destacam a importância de manter os modelos de IA atualizados e, ao mesmo tempo, estar cientes dos desafios, como garantir a conformidade com as regulamentações de Dados

Check Point: pesquisa mostra o papel fundamental da IA Generativa na segurança cibernética

Combinar Inteligência Artificial (IA) com segurança cibernética abre uma gama incrível de possibilidades, bem como de desafios. Para muitos profissionais de segurança, a incorporação da Inteligência Artificial melhorará a defesa da cibersegurança atingida por ataques cibernéticos sofisticados. Lamentavelmente, os cibercriminosos também aderiram a esse movimento.

A Check Point Software estabeleceu uma parceria com a Vanson Bourne para compreender como os profissionais de segurança estão adotando a IA Generativa (GenAI) nas suas práticas, e os resultados da pesquisa de mercado são reveladores: apesar de mais de 70% dos entrevistados confiarem na capacidade de defesa da cibersegurança das suas empresas, 89% reconhecem que incorporar pessoal qualificado é um desafio.

Apesar de mais de 70% dos entrevistados confiarem na capacidade de defesa da cibersegurança das suas empresas, 89% reconhecem que incorporar pessoal qualificado é um desafio

Lacuna de profissionais retarda a eficácia da segurança
A lacuna em profissionais treinados em segurança cibernética afeta seriamente a eficácia com que as organizações podem estabelecer um sistema de defesa adequado contra o crime cibernético baseado em IA. Na verdade, 98% dos entrevistados indicaram que teve um “impacto” nas suas operações de segurança e 40% destacaram um “forte impacto”.

É evidente que nenhuma empresa, seja ela grande ou pequena, pode ignorar o impacto potencial de um ataque cibernético. Pela mesma razão, os entrevistados alegaram recorrer a ferramentas alimentadas por IA para aumentar a segurança cibernética, incluindo resposta a incidentes, proteção contra malware e defesa contra perda de dados.

A pesquisa demonstrou que 97%-99% das empresas já utilizam ferramentas alimentadas por IA, com uma mudança significativa em direção à IA generativa para uma estratégia de segurança abrangente, e também adotaram esta tecnologia para um propósito estratégico.

Paradoxo da lacuna de competências e IA
A IA Generativa pode ser uma grande aliada para preencher a lacuna de competências em segurança cibernética, pois oferece uma forma de aumentar as capacidades existentes e melhorar a eficiência (de acordo com 98% das empresas), especialmente em setores com elevada procura de competências em cibersegurança.

Em relação a IA, IA Generativa, Machine Learning e Deep-Learning, a maioria dos entrevistados concordou que as ferramentas de IA melhorarão sua eficiência, aumentarão suas taxas de resposta a incidentes e ajudarão a preencher lacunas de competências em suas empresas. O compromisso de integrar a IA Generativa na segurança cibernética é claro: 90% das empresas dão prioridade aos investimentos em ferramentas GenAI, refletindo uma mudança estratégica em direção a soluções inovadoras de segurança cibernética.

Embora as perspectivas sejam otimistas, as preocupações e os desafios permanecem. As organizações destacam a importância de manter os modelos de IA atualizados e, ao mesmo tempo, estar cientes dos desafios, como garantir a conformidade com as regulamentações de Dados.

O caminho para um cenário de segurança GenAI integrada oferecerá aos gerentes de segurança recompensas e desafios. No entanto, é evidente que a IA generativa ajudará a transformar as organizações à medida que os fornecedores de cibersegurança incorporam maior inteligência. A adoção da GenAI com visão estratégica abrirá caminho para um futuro digital mais seguro e resiliente.

Sobre a pesquisa
A pesquisa da Check Point Software foi conduzida pela Vanson Bourne, especialista em pesquisa de mercado de tecnologia global. Os participantes não foram informados de que esta pesquisa foi patrocinada pela Check Point Software.

 Número de entrevistados: 400 profissionais de TI e segurança cibernética;
 Todos os participantes têm um nível significativo de envolvimento em segurança cibernética e responsabilidade em adquirir soluções de segurança cibernética para sua organização: 96% tomam a decisão final;
 54% de empresas são de médio porte e 46% de grandes empresas;
 50% são membros do conselho e C-levels, 50% alta administração/diretor/vice-presidente; gerente sênior da unidade, função ou departamento;
 37,5% são da região da América do Norte; 37,5% da Europa; e 25% da APAC.

Imagem ilustrativa: Divulgação Check Point Software

Últimas Notícias
Você também pode gostar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.