book_icon

Como a IA transforma os serviços e processos no setor público

A Inteligência Artificial cada vez mais molda a maneira como as organizações operam e entregam serviços. No setor público, onde a eficiência, segurança, transparência e acessibilidade são imprescindíveis, a IA desempenha um papel fundamental na transformação dos serviços e processos ao oferecer uma série de benefícios, possibilitando a automação de tarefas repetitivas e de baixo valor agregado, liberando tempo e recursos para que os funcionários públicos possam se concentrar em atividades mais estratégicas e complexas.

Mas, em um mundo onde a IA já é uma realidade, ainda falta maturidade do uso desta tecnologia. É o que contextualiza o Tribunal de Contas da União, que em 2021 relatou que apenas 28% dos órgãos públicos brasileiros utilizam algum tipo de solução baseada em IA, e 38% das 263 organizações públicas pesquisadas ainda não têm intenção de usar soluções de IA em seus processos.

Apesar dos avanços e das oportunidades oferecidas pela Inteligência Artificial, há, portanto, desafios a serem superados para sua adoção em larga escala no setor público, como a necessidade de investimento em capacitação dos funcionários públicos, bem como a garantia da ética e da transparência no desenvolvimento e na implementação de sistemas de IA. Questões relacionadas à segurança cibernética e à privacidade dos dados também precisam ser cuidadosamente consideradas para garantir a confiança do público e o cumprimento das regulamentações pertinentes.

Pensando nesse cenário e em como podemos virar cada vez mais essa chave, deixo aqui alguns casos práticos de como a IA já vem transformando os serviços e processos em governos brasileiros.

Suporte e informações aos cidadãos
Um exemplo prático é o uso de chatbots e assistentes virtuais para fornecer suporte e informações aos cidadãos de forma rápida e eficiente. São soluções que ajudam a melhorar a acessibilidade aos serviços públicos, reduzindo o tempo de espera e aumentando a satisfação do usuário, por exemplo.

Prevenção de fraudes
O estudo “Artificial intelligence and its use in the public sector” (“Inteligência Artificial e seu uso no setor público”), publicado em 2019 pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), traz alguns exemplos e direcionamentos de como o uso da IA pode beneficiar o setor, como a detecção e prevenção de fraudes. Ao detectar indícios de padrões duvidosos e atividades fraudulentas, a IA colabora com órgãos governamentais para adotar medidas preventivas e enfrentar fraudes em áreas como previdência social e arrecadação de impostos.

Processos judiciais
A aplicação de IA possibilita que algoritmos possam analisar dados para identificar padrões de crime e facilitar processos judiciais, contribuindo para uma abordagem mais proativa e preventiva para lidar com desafios sociais e de segurança.

Um caso interessante de como podemos facilitar tais processos é o do Departamento de Conservação da Nova Zelândia que, ao optar pelo serviço em nuvem de gerenciamento de conteúdo empresarial, adquiriu a capacidade de buscar e compartilhar rapidamente 2,2 milhões de documentos em qualquer momento e lugar. Essa solução permitiu que o departamento pesquise e acesse informações de maneira eficaz, segura e colaborativa, facilitando não apenas o fluxo de trabalho, mas também aumentando o envolvimento dos usuários, promovendo uma maior eficiência e eficácia em suas operações de conservação.

Inteligência Artificial soberana
À medida que a Inteligência Artificial transforma os setores empresariais, industriais e políticos, é imprescindível que países e organizações reforcem sua autonomia digital para proteger os Dados de maior importância.

Um caso recente é a criação de fábricas de IA, com a utilização da Nuvem distribuída, a infraestrutura de IA, a computação acelerada e o software de IA Generativa. Dessa forma, é possível executar de forma segura serviços em Nuvem locais e dentro das instalações do País ou organizações com os controles operacionais devidos, apoiando as metas soberanas de diversificação e impulsionando o crescimento econômico.

Por Bento Bueno, líder de Vendas para Setor Público (Governo Federal) da Oracle Brasil.

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.