book_icon

Google usa IA para desenvolver tecnologias e avançar em cibersegurança

No evento global Mais Seguro com o Google, a empresa mostrou iniciativas e inovações para fortalecer a segurança online de usuários e empresas

Google usa IA para desenvolver tecnologias e avançar em cibersegurança

O Google realizou na quinta-feira (17/8) o evento global “Mais Seguro com o Google”, em seu escritório em São Paulo, para apresentar as mais recentes soluções e iniciativas da empresa na área de cibersegurança e como está investindo para desenvolver novas tecnologias baseadas em Inteligência Artificial (IA) para combater as crescentes ameaças na Internet. O evento contou com a presença de Royal Hansen, vice-presidente global de Engenharia de Privacidade, Proteção e Segurança, e reuniu executivos do mercado da tecnologia, finanças e da indústria, além de organizações da sociedade civil.

Segundo o executivo, à medida que o número de usuários digitais cresce em todo o mundo, inclusive no Brasil, as ameaças virtuais se tornaram mais complexas e difíceis de detectar. Em 2022, os ataques cibernéticos aumentaram quase 40% em todo o mundo. “Promover avanços na segurança digital não é mais uma questão possível em escala humana, este desafio precisa ser complementado com tecnologia de alto nível. No Google, acreditamos que a IA oferece o caminho para nos ajudar a responder a esses desafios e ficar à frente das ameaças atuais de forma eficiente, eficaz e em escala”, disse o executivo. “A IA tem o poder de trazer mudanças significativas nesse campo em todo o mundo”, afirmou.

O Google também apresentou no evento a nova Central de Transparência, uma plataforma que vai ajudar a encontrar em um só lugar todas as políticas de produtos, para desenvolvedores e diretrizes de comunidades da empresa

Um dos exemplos de uso de IA para combater ameaças e ajudar a manter as pessoas seguras online são as chaves de acesso, que podem acabar com a necessidade de uso de senhas para acessar sites e serviços online, utilizando os recursos de segurança dos dispositivos, como uma impressão digital ou digitalização facial. É possível habilitá-las na conta do Google.

Vários outros dos produtos do Google já utilizam os principais recursos de IA, incluindo muitos de sua infraestrutura de proteção e segurança. Exemplos disso são os recursos de filtragem de spam com Inteligência Artificial do Gmail, que bloqueiam quase 1,5 bilhão de mensagens indesejadas por dia no Gmail – isso evita que 99,9% das tentativas de phishing e malware cheguem às caixas de entrada; e a Navegação Segura do Chrome, que executa classificadores de aprendizado de máquina em sete camadas diferentes no navegador para identificar sites inseguros em toda a Web e notificar os usuários sobre possíveis danos.

Padrões para uma IA segura

Durante o evento, Hansen lembrou que a empresa vem investindo e trabalhando há mais de dez anos em Inteligência Artificial e acredita que o potencial dela, especialmente da IA ​​generativa, é imenso. No entanto, na busca pelo progresso dentro dessas novas fronteiras da inovação, é preciso haver padrões claros de segurança da indústria e de todo o ecossistema.

“O fato é que a IA tem um potencial imenso, mas para que os avanços na área sejam bem-sucedidos a longo prazo, a indústria precisa de padrões de segurança claros para construir e implantar essa tecnologia de maneira responsável”, disse Hansen. “Estamos em um momento da história em que enfrentamos o ponto de inflexão da tecnologia com oportunidades incríveis para fazer ainda mais”, observou.

Em junho, o Google lançou o Secure AI Framework (SAIF), um conjunto de esforços para ajudar o ecossistema a criar sistemas seguros de IA. “Devemos trabalhar juntos para proteger todo o ecossistema digital. Para fazer isso, estamos apostando na colaboração por meio de pesquisa, compartilhamento de informações e parcerias para garantir que sejamos o mais forte possível coletivamente”, completou o executivo.

Soluções globais a partir do Brasil

Em sua visita inédita ao Brasil, Hansen conheceu os esforços locais nos escritórios de engenharia em Belo Horizonte e São Paulo, onde são desenvolvidas soluções anti-abuso para vários produtos do Google e reforçou a importância dos talentos no país. “Vamos seguir investindo nos nossos esforços de engenharia locais no Brasil e contar com os talentos e demandas locais para ajudar a resolver problemas de cibersegurança globalmente”, informou Hansen.

O Google também apresentou no evento a nova Central de Transparência, uma plataforma que vai ajudar a encontrar em um só lugar todas as políticas de produtos, para desenvolvedores e diretrizes de comunidades da empresa. Além das políticas dos diferentes produtos, a plataforma inclui os princípios de privacidade e IA, as ferramentas e recursos para usuários denunciarem conteúdo nocivo, informações sobre como as políticas são desenvolvidas e aplicadas, bem como os canais para os diversos relatórios de transparência.

Serviço
www.google.com

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.