book_icon

Transformação do varejo demanda consumo de rede mais ágil e flexível

Novas previsões da Aruba e da agência de tendências globais Foresight Factory apontam cinco maneiras pelas quais os varejistas irão recorrer à tecnologia para atender e superar as crescentes expectativas dos clientes

Transformação do varejo demanda consumo de rede mais ágil e flexível

Novas previsões da Aruba, uma empresa da Hewlett Packard Enterprise (HPE), foram reveladas na NRF 2023, evento de varejo que termina nesta terça-feira (17/1) em Nova York (EUA), e detalham como os varejistas irão dispor da tecnologia para superar as crescentes demandas dos clientes e os desafios operacionais nos próximos 12 a 18 meses.

Com um desejo crescente por tratamento mais personalizado, os consumidores serão cada vez mais seletivos sobre como e onde gastar seu dinheiro em 2023. À medida que os varejistas competem por um share of wallet, eles terão que oferecer experiências de compra flexíveis e personalizadas para atrair novos consumidores e manter a fidelidade nas lojas físicas e online. Isso colocará maior pressão nas equipes de TI para suportar o ritmo da mudança tecnológica e fornecer o funcionamento contínuo das operações.

As empresas de varejo precisarão ter confiança em suas redes, que devem ser flexíveis para atender às crescentes demandas dos consumidores sem que suas equipes de TI sejam pressionadas por essa digitalização contínua

A Aruba trabalhou em parceria com a agência de tendências globais Foresight Factory para apontar as cinco maneiras pelas quais a experiência de varejo mudará em 2023, assim como identificar os principais obstáculos que as equipes de TI e as redes enfrentarão. As descobertas fornecem um argumento convincente para um modelo de consumo de rede mais flexível e ágil, a exemplo da rede como serviço ou NaaS – Network as a Service, para ajudar a aliviar as equipes de TI, permitindo maior escalabilidade e ajudando a fornecer uma solução de rede focada nos negócios.

1. Experiências digitais imersivas para compradores na loja
À medida que os varejistas lutam para engajar os clientes nos espaços físicos, eles procuram investir mais em tecnologias para aprofundar e diferenciar a experiência imersiva de compras na loja. A Realidade Aumentada (AR) e a Realidade Virtual (VR) serão totalmente incorporadas à experiência do usuário no varejo ao permitir que os compradores tenham uma ideia melhor de como os produtos se encaixam em suas vidas antes deles chegarem ao ponto de venda.

2. As opções de entrega se tornam mais rápidas e diversificadas
As expectativas do consumidor para opções de entrega sob demanda, com mudança de horário e flexibilidade de localização estão crescendo rapidamente. Varejistas e mercadistas irão adotar uma abordagem cada vez mais híbrida para atender pedidos, oferecendo soluções de entrega tradicionais ao lado de dark stores (centros de distribuição para compras online), centros de micro-fulfilment, lojas pop-ups e entregas sob demanda. O uso de serviços aprimorados de geolocalização e até de lojas móveis dará aos varejistas a chance de levar o ponto de venda diretamente para a casa ou local de trabalho do consumidor.

3. Lojas ficam mais inteligentes para melhorar a satisfação e eficiência
Com o e-commerce oferecendo uma concorrência cada vez mais sofisticada, as lojas físicas serão redefinidas não apenas para se concentrar em maior satisfação do cliente e personalização, mas também em operações comerciais mais eficientes. As lojas ficarão mais conectadas, contando com inovações como provadores inteligentes e tecnologia cashierless (compras sem filas ou caixas – o pagamento é feito automaticamente) para otimizar o atendimento aos clientes, enquanto sensores de IoT – Internet das Coisas fornecem informações em tempo real que geram economia na operação e apoiam a sustentabilidade.

4. Insights do inventário inteligente irão manter a lealdade do consumidor
Na era atual de gratificação instantânea, os consumidores esperam que os varejistas entreguem o que desejam, quando desejam – com qualquer desvio do que foi prometido sendo inaceitável. Após um tempo, o aumento na automação e tecnologias preditivas para ajudar a rastrear o estoque com mais precisão e atender às demandas do consumidor em tempo real estará presente na sociedade, suprindo as expectativas dos clientes de forma automática. Robôs inteligentes implementados em armazéns e centros de distribuição também tornarão as operações mais inteligentes, levando o varejo de produtos feitos sob encomenda para o varejo convencional e, como resultado, reduzindo o desperdício e o excesso de estoque.

5. O showroom se transforma em streaming
A transmissão ao vivo a partir de lojas físicas se tornará mais comum à medida que as marcas procuram criar a próxima etapa do showroom, dando aos clientes uma visão dos bastidores. Oferecer essas experiências ajudará a alimentar o apetite do consumidor por um toque local e permitirá que os varejistas aproveitem ao máximo seus espaços físicos.

“Sejam experiências imersivas, transmissão ao vivo ou novos métodos de entrega, os requisitos da tecnologia para os varejistas estão se tornando mais densos e complexos. Mas embora vital, a tecnologia moderna dependerá da infraestrutura certa para apoiá-la”, destacou Gerri Hinkel, diretor de Soluções e Marketing Vertical de Aruba. “As empresas de varejo precisarão ter confiança em suas redes, que devem ser flexíveis para atender às crescentes demandas dos consumidores sem que suas equipes de TI sejam pressionadas por essa digitalização contínua”, observou.

“Para conseguir isso, os varejistas precisam reconsiderar sua abordagem de rede – olhando para modelos de consumo alternativos, como o NaaS, de forma a garantir que não apenas tenham agilidade para se adaptar à mudança das demandas, mas que também sejam configurados com um sistema de alto desempenho, seguro e confiável. A rede automatizada pode dar suporte a toda essa tecnologia e alavancar insights em tempo real para facilitar novas iniciativas voltadas ao cliente e lojas inteligentes”, completou o diretor.

Serviço
www.arubanetworks.com

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.