book_icon

As seis carreiras mais requisitadas para 2023

Com as mudanças tecnológicas, o mercado exige a atualização dos colaboradores; Larissa DeLucca, presidente da Fundação Mulheres Aceleradas, diz o que esperar do mercado de trabalho no próximo ano

As seis carreiras mais requisitadas para 2023

O mercado de trabalho está constantemente se renovando, a rápida mudança tecnológica é acompanhada da procura de profissionais adaptados às inovações. Assim, existem certas carreiras que, com o tempo, ficam mais valorizadas e outras que se desvalorizam.

Cada vez mais estão surgindo novas profissões, que possuem uma alta demanda em busca desses novos profissionais, e essa demanda muitas vezes não é cumprida. Para se ter ideia, de acordo com o estudo Projetando 2030: uma visão dividida do futuro, que foi encomendado pela Dell Technologies ao IFTF (Institute For The Future), cerca de 85% das carreiras que existirão em 2030 ainda não existem. Mais recentemente, por exemplo, isso pode ser observado na ascensão de carreiras relacionadas a programação.

Fazer cursos, ler a respeito e procurar por grupos são alguns dos principais meios de acompanhar as constantes mudanças

Por isso, cabe aos profissionais procurarem se manterem atualizados constantemente às novas demandas, como explica Larissa DeLucca, CEO da Negócios Acelerados e presidente da Fundação Mulheres Aceleradas, que fomenta o empreendedorismo feminino. “A chave para se manter presente no mercado é ficar em dia com os movimentos do mundo empresarial e suas tendências. Fazer cursos, ler a respeito e procurar por grupos são alguns dos principais meios de acompanhar as constantes mudanças”, aconselha.

Abaixo, Larissa lista as profissões que serão mais procuradas pelo mercado nos próximos anos; confira:

 Engenharias: “Sempre se renovando e atualizando, a engenharia acompanha a evolução da sociedade há milênios, sendo responsável por diversas inovações da sociedade moderna. Hoje, as profissões mais requisitadas da engenharia são as associadas ao mundo atual, a engenharia de dados cresceu meteoricamente e agora já está consolidado, como uma maneira eficiente de analisar dados de uma empresa. Já o Engenheiro de ESG – sigla que estabelece diretrizes de objetivos sociais para empresas – é uma promessa de demanda ainda maior nos próximos anos”, revela.

 Finanças: “Com a constante abertura de novas empresas no Brasil, é necessário profissionais de finança e contabilidade que saibam lidar com o que está sendo criado e que entendam que no futuro o sucesso não estará necessariamente ligado aos lucros. Além disso, o consumidor futuro vai exigir outras práticas das empresas, como sustentabilidade e responsabilidade social”, explica.

Jurídico: “As dificuldades da internet incentivam a presença de órgãos jurídicos também nessa área, que deve continuar seu crescimento. Um levantamento feito pela Robert Half, empresa especializada em recrutamento, mostrou que tecnologia, varejo e e-commerce, serviços, bens de consumo e agronegócios são as que mais empregam juristas no momento e esse mercado deve crescer ainda mais com a iminência do Metaverso em nossas vidas”, enumera.

Recursos Humanos: “O aumento da conscientização e percepção sobre a saúde mental, está causando um grande aumento na procura por profissionais qualificados da área. Em linhas parecidas, colaboradores especializados em onboarding e comunicação interna estão sendo mais requisitados, mostrando a clara procura por quem sabe se comunicar com colaboradores”, mostra Larissa.

 Tecnologia: “Desde o início do século, o mercado tecnológico já se estabeleceu como o mais lucrativo para empresas, inclusive, as empresas com maior valuation da modernidade são as de tecnologia. No momento, a Apple é a primeira colocada avaliada em U$1 trilhão. Desenvolvedores, programadores e técnicos de TI devem ganhar cada vez mais espaço no mercado, que busca por profissionais criativos e eficientes para pensarem em boas soluções”, sinaliza.

 Empreendedorismo: “Para alguns não exatamente uma carreira, empreender é uma alternativa que milhões de brasileiros usam como forma de fazer suas vidas. Em constante crescimento no Brasil, basta uma boa ideia, dedicação e força de vontade para começar seu próprio negócio, sem a necessidade de passar por entrevistas, processos burocráticos e lentos de um trabalho usual”, finaliza Larissa DeLucca.

Últimas Notícias
Você também pode gostar
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento