book_icon

Cinco formas de melhorar a experiência do cliente via automação de processos

Para a UiPath, as empresas devem ter em perspectiva que a tecnologia deve estar sempre centrada em melhorar a vida dos humanos

Cinco formas de melhorar a experiência do cliente via automação de processos

De acordo com o estudo GCXBR, cada vez mais diferentes tecnologias são usadas para melhorar a experiência do cliente (CX), mas ele ainda demanda interação com pessoas. Para a UiPath, as empresas devem ter em perspectiva que a tecnologia deve estar sempre centrada em melhorar a vida dos humanos.

A tecnologia, sempre encarada como uma solução para o backoffice, tem demonstrado seus resultados no frontoffice, melhorando o relacionamento de consumidores com as marcas ao trazer resultados tangíveis, tais como: processos mais rápidos, com menos erros e profissionais humanos mais focados no relacionamento com o cliente, uma vez que estão livres de tarefas burocráticas. Essa é a visão da UiPath, empresa global em software de automação empresarial.

“Não é segredo para ninguém que a pandemia acelerou a transformação digital das empresas para que elas pudessem se manter ativas e atendendo as demandas de um mercado em transformação. As companhias precisaram se adaptar ao trabalho em casa, a atender as pessoas em suas casas, enfrentando diversos desafios. Agora, precisam equilibrar um modelo não só de trabalho, como também de consumo híbrido. O on e o offline se mesclam a todo momento e a automação inteligente pode auxiliar neste processo”, afirma Edgar Garcia, VP da UiPath para Latam. Para ele, cada vez mais as empresas dos mais diversos setores adotam a automação robótica de processos (RPA) para melhorar a experiência do cliente.

Segundo o executivo, a automação inteligente, ou a hiperautomação – conceito que a UiPath ja vem trabalhando desde antes da pandemia – se fará cada vez mais presente. A opinião é endossada pelas conclusões da 24ª edição do estudo Global Customer Experience Benchmarking Report (GCXBR), conduzido pela NTT. O estudo mostrou como as empresas têm adotado mais tecnologia para melhorar a experiência do cliente e, entre elas, o RPA. Foram entrevistados 1.359 profissionais de 34 mercados globais e 14 setores diferentes e, pela primeira vez, o estudo incluiu uma pesquisa de opinião dos consumidores.

De acordo com o estudo, a digitalização e a automação agora são fundamentais para os elementos operacionais do Consumer Experience (CX), mas os clientes ainda demandam interações humanas. Neste sentido, a pesquisa identificou que a automação que apóia o humano é fundamental e o RPA dá lugar à hiperautomação, que reúne Inteligência Artificial, aprendizado da máquina, agentes virtuais e RPA em um “combo”que oferece a verdadeira proposta de automação para CX.

Neste sentido, a UiPath listou cinco formas de melhorar a experiência do cliente com a automação de processos, seja qual for o setor de atuação da empresa:

1. Respostas rápidas e com qualidade

Os clientes demandam respostas rápidas e assertivas. Mas é difícil que um humano consiga trazer as respostas no timing demandado e sem erros.
“A automação permite buscar dados já compartilhados anteriormente, evitando aquela espera que “afugenta” o cliente”, exemplifica Edgar.

2. Chat e autoatendimento

A disponibilidade total de chatbots, em escalas de 24 horas por dia, 7 dias por semana libera os atendentes para se focarem em demandas mais complexas. “O cliente entende que terá o suporte de um humano quando se fizer necessário e que este humano estará melhor preparado para conversar e lhe auxiliar, o que vai ao encontro do que foi apontado no estudo GCXBR”, reforça o executivo.

3. Omnichannel

Com Automação Inteligente, é possível atender o cliente de forma eficiente em todos os diferentes pontos de contato, uma vez que os registros do cliente podem ser atualizados em tempo real. “Ninguém quer repetir o que já disse em um dos canais de atendimento da marca. Isto, infelizmente, ainda é uma realidade, basta fazer um contato com o plano de saúde, por exemplo. Mas a tendência é que, com o apoio do RPA, este cenário mude”.

4. Pensar na jornada integral do produto/serviço

“Esta é, eu diria, a essência do Consumer Experience. É preciso pensar na jornada do produto ou serviço dentro do contexto da vida do consumidor”, afirma Edgar. Com análise de dados, mineração de processos e outras soluções embarcadas na hiperautomação é possível deixar esse trajeto, esse fluxo que o cliente percorre com a marca muito mais fluido.

5. As diversas áreas de uma empresa devem estar interligadas e serem colaborativas

Se o propósito final de tudo é melhorar a experiência do cliente, não adianta a empresa ter uma desconexão entre as áreas. A área de atendimento não conversa com o financeiro, que não fala com o marketing, que não sabe como funciona a logística. “Em outras palavras, é fundamental que os colaboradores tenham o olhar do todo e sempre tenham o cliente em perspectiva, lançando a pergunta: ‘como o cliente pode ser beneficiado se eu mudar esta etapa do processo?’”, explica. “Por isso que na UiPath sempre incentivamos que todos os colaboradores de uma organização possam apontar processos a serem automatizados, é preciso haver espaço para a experimentação de ideias”, diz Edgar.

“Vale sempre lembrar que a automação de processos não é sobre tecnologia, mas sim sobre o quanto a tecnologia pode melhorar a vida dos humanos, estejam eles na posição dos funcionários de uma organização ou na de consumidores de uma marca, afinal, sempre nos revezamos nesses dois papeis”, conclui.

Serviço
www.uipath.com

Últimas Notícias
Você também pode gostar
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.