book_icon

Assinatura eletrônica de matrículas e rematrículas seguem nas escolas

Na Clicksign, empresa referência em assinaturas eletrônicas e digitais, mais de 1800 instituições de ensino utilizam a plataforma. Entre 2020 e 2021, a empresa obteve um aumento de 197% no índice de assinaturas de documentos pelo setor

Assinatura eletrônica de matrículas e rematrículas seguem nas escolas

Na Clicksign, empresa referência em assinaturas eletrônicas e digitais, mais de 1800 instituições de ensino utilizam a plataforma. Entre 2020 e 2021, a empresa obteve um aumento de 197% no índice de assinaturas de documentos pelo setor

Mesmo com o retorno presencial das aulas no Brasil, algumas práticas de otimização e facilitação de processos adotadas durante a pandemia seguem nos planos e serão mantidas pelas instituições de ensino de todo o País. É o caso do uso de assinaturas eletrônicas para formalização de matrículas e contratos de admissão de funcionários. Essa solução foi implementada para viabilizar fluxos processuais remotamente, mas permanece entre as principais ferramentas digitais incorporadas à gestão escolar no período. De acordo com a Clicksign, referência e pioneira em assinaturas eletrônicas e formalização de termos e acordos de maneira remota, a inclusão desse modelo cresceu 197% entre 2020 e 2021. Hoje, são mais de 1800 instituições de ensino utilizando a plataforma de forma direta.

Mesmo com o retorno presencial das aulas no Brasil, algumas práticas de otimização e facilitação de processos adotadas durante a pandemia seguem nos planos e serão mantidas pelas instituições de ensino de todo o País  

“A assinatura eletrônica é uma ferramenta-chave para as escolas, principalmente porque permite que documentos importantes, não só para a instituição de ensino, como também para os próprios estudantes, sejam criados, assinados e armazenados digitalmente e, assim, não sofram com o desgaste ocasionado pela ação do tempo”, afirma Pedro Oleiro, líder Comercial da Clicksign.

Segundo a pesquisa “Tecnologias digitais aplicadas à educação inclusiva: fortalecendo o Desenho Universal para a Aprendizagem”, do Instituto Rodrigo Mendes (IRM) em parceria com o Instituto Unibanco, o segmento de tecnologias digitais para a educação, no mundo, deve crescer ainda mais, alcançando o valor de USD 285 bilhões até 2027.

Para Oleiro, este tipo de recurso otimiza tempo e reduz os gastos com impressões e papéis, além de ser mais seguro, pois o documento pode ser acessado a qualquer momento pela instituição e pelos responsáveis e fica armazenado na Nuvem. “É um setor muito importante para nós. A área de educação foi um segmento que focamos durante a pandemia, as escolas tiveram que continuar seus trabalhos e era preciso uma ferramenta válida juridicamente para garantir a efetividade de uma matrícula escolar”, relata.

Há mais de 10 anos no mercado, a Clicksign tem o setor de educação como um dos segmentos que mais assina documentos de forma eletrônica. “Há 10 anos a Clicksign olha para o setor de educação com muito carinho, direcionando esforços no desenvolvimento e atendimento das instituições de ensino, sempre com foco no cliente e nas necessidades das empresas do setor. Sabemos o quanto o ambiente digital é importante para organizar as demandas internas nas escolas e as soluções tecnológicas que muitas escolas adotaram com a pandemia só tendem a crescer”, conclui o líder Comercial da empresa.

Clicksign

Pedro Oleiro

setor de educação

uso de assinaturas eletrônicas

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.