book_icon

Tecnologia inteligente como aliada da educação no ensino híbrido

Quadro negro à frente, um professor falando, estudantes enfileirados numa grande sala, escutando, e fazendo perguntas esporádicas. Foi assim que a maioria de nós aprendeu (ou não!) a Fórmula de Bhaskara, a quantidade de cromossomos dentro das células e que o português Pedro Álvares Cabral chegou ao Brasil em 1500. Este modelo de educação foi estabelecido durante a Revolução Industrial, com o objetivo de replicar uma linha de produção no ambiente escolar e está vigente há mais de um século. Apesar de a indústria ter evoluído com diversas inovações ao longo dos anos, o sistema educacional pouco mudou.

Se antes o conhecimento era encontrado majoritariamente nas enciclopédias e livros, universidades e professores, hoje o cenário é diferente. Agora, no século XXI, a informação e o conhecimento estão em todo lugar; com uma sequência de toques, em segundos, qualquer pessoa com acesso à tecnologia tem uma informação à sua mão para agregar conhecimento. A intimidade com a tecnologia faz com que a Geração Z e a Geração Alpha não se adequem mais ao sistema tradicional de ensino, de modo que a inovação se torna indispensável para gerar engajamento dos estudantes.

Quando se fala em tecnologia, um termo que tem feito parte do vocabulário de diferentes verticais da indústria é a Transformação Digital. O conceito é muito mais do que simplesmente digitalizar o que era analógico. A Transformação Digital veio para mudar o jeito com que as pessoas se comunicam, jogam, trabalham e estudam, resultando em uma mudança cultural à medida que tecnologias são utilizadas para resolver problemas tradicionais.

Com a pandemia da Covid-19, as medidas de distanciamento social afetaram a maior parte dos setores da economia, de modo que o consumo das famílias recuou 5,5% e consumo do governo caiu 4,7% no Brasil em 2020, segundo dados do IBGE. Nessa conta entra também o fechamento de escolas e instituições de ensino, que permaneceram fechadas na maior parte do ano.

Questões econômicas à parte, o efeito do fechamento das escolas é devastador. De acordo com o Fundo das Nações Unidas para a infância, Unicef, mais de 168 milhões de crianças completaram, em março de 2021, um ano sem ir à escola. Além do prejuízo na aprendizagem e aumento da evasão escolar, a ausência de aulas dos alunos brasileiros deve impactar também a economia, de modo que dificuldades na produtividade e aumento da desigualdade social devem ser sentidas no país como reflexo nos próximos 15 anos, de acordo com o Boletim Macro Fiscal do Ministério da Economia.

Para manter os alunos estudando, as instituições de ensino se viram na necessidade de acelerar a transformação digital, especialmente para aquelas que não tratavam do assunto como prioridade. Escolas e universidades adequaram o ensino à distância à nova realidade para manter os alunos conectados. Estudiosos afirmam que a pandemia acelerou a adoção de soluções de tecnologia de cinco anos para um. O investimento de tecnologias integradas ao sistema de ensino deve ser, no entanto, perene nas instituições públicas e privadas, mesmo depois da pandemia, uma vez que o uso da tecnologia inteligente em ambientes escolares facilita o acompanhamento individual, aumenta o engajamento dos estudantes e apresenta novas ferramentas aos professores.

Desde o início do isolamento social e fechamento de instituições de ensino, vimos uma explosão de conteúdos digitais voltados à educação em plataformas como YouTube e até mesmo Tik Tok, com milhões de visualizações, reforçando a ideia de que a aprendizagem extrapola os limites da sala de aula e bibliotecas, e invade o ambiente digital.

Neste cenário, é necessário também levar em consideração o professor, que precisa ter a capacitação adequada para que consiga desenvolver soluções para o uso das novas tecnologias com a finalidade de aplicar uma nova aprendizagem mais alinhada ao perfil e às demandas da geração de alunos que é nativa digital. Dessa forma, o profissional será capaz de explorar e extrair o melhor de cada ferramenta e inovar, utilizando recursos presentes no dia a dia dos alunos, como e-Sports e games, por exemplo.

O Brasil conta com mais de 180 mil escolas e 2,5 mil universidades, entre instituições públicas e privadas. O país, no entanto, apresenta gargalos que devem ser superados para que essas inovações sejam implementadas. A Pesquisa TIC Educação 2019 mostra que 40% dos alunos de escolas públicas não têm acesso ao equipamento mínimo necessário para continuarem seus estudos, mesmo à distância como computador, tablet e internet de qualidade. Para não perdermos 15 anos (aproximadamente o tempo de meia geração) é necessário que mesmo após a pandemia a adoção de tecnologias inteligentes seja prioridade entre as instituições públicas e privadas, com estratégias de acelerar o aprendizado dos alunos por meio de formação qualificada dos profissionais, infraestrutura adequada e soluções integradas.

Por Augusto Rosa, diretor de vendas para os segmentos de Educação e Governo da Lenovo.

Augusto Rosa

educação no ensino híbrido

Lenovo

Tecnologia inteligente

Transformação Digital

Últimas Notícias
Você também pode gostar

Comentários

  1. Augusto Rosa

    Obrigado ao time da InforChannel pela publicação! O maior desafio que temos no nosso país é, como iremos administrar esse GAP de ensino que tivemos durante essa pandemia de forma a não afetar o tempo de meia geração! A evolução de um país é sabido por todos que vem diretamente da educação … e, para minimizar esse tremendo impacto, a adoção de tecnologia, a metodologia do ensino e a capacitação dos professores nunca foram tão cruciais como é e será ainda mais!
    O setor da saúde sofreu e continua com um belo desafio pela frente que é salvar vidas… e, não é diferente na educação. Os educadores, professores sofreram e, continuam com um belo desafio que é “ditar” o futuro do nosso país mediante ao aprendizado social, econômico, político e religioso!
    O posicionamento da nossa marca é pautado muito no propósito social e depois o comercial. Isso é a tradução de responsabilidade que temos com as crianças, jovens, adultos e idosos que acordam todos os dias com a esperança de um mundo melhor!

    1. Irene Barella

      É uma satisfação poder contribuir para a divulgação de conteúdo relevante e essencial como este.

  2. Leonardo

    A Lenovo foi comprada pela Motorola ?

Os comentários estão fechados nesse post.
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital
Edição do mês

Leia nesta edição:

Leia nessa edição sobre tecnologia

CAPA | TECNOLOGIA

5G impõe seu ritmo

Leia nessa edição sobre carreira

MERCADO

Brincadeira de gente grande

Leia nessa edição sobre setorial | saúde

GESTÃO

Backup: a última linha de defesa

Esta é para você leitor da Revista Digital:

Leia nessa edição sobre sustentabilidade

NEGÓCIOS

Terceirização de equipamentos

Maio 2022 | #57 - Acesse:

Infor Channel Digital

Baixe o nosso aplicativo

Google Play
Apple Store

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento