book_icon

Big Data está ultrapassado, as novas estrelas são Small e Wide Data

Segundo previsão do Gartner, em 2025 cerca de 70% das organizações adotarão essas tecnologias emergentes, que usam os dados com mais eficiência

Big Data está ultrapassado, as novas estrelas são Small e Wide Data

O Gartner prevê que até 2025, 70% das organizações mudarão seu foco de Big Data para Small e Wide Data, tecnologias que, para a empresa de pesquisas, fornece mais contexto para análises e tornando a Inteligência Artificial (IA) menos faminta por dados. O tema foi discutido no evento Gartner Data & Analytics Summit 2021, que acontecerá virtualmente na EMEA (europa. Oriente Médio e África) até esta quinta-feira (20/5). “Interrupções como a pandemia de Covid-19 estão fazendo com que dados históricos que refletem condições passadas se tornem rapidamente obsoletos, o que está quebrando muitos modelos de IA de produção e Machine Learning”, disse Jim Hare, vice-presidente de Pesquisa do Gartner. “Além disso, a tomada de decisões por humanos e IA tornou-se mais complexa e exigente, e excessivamente dependente de abordagens de aprendizado profundo com fome de dados”, acrescentou.

Os líderes de D&A aplicam ambas as técnicas para enfrentar desafios, como a baixa disponibilidade de dados de treinamento ou o desenvolvimento de modelos mais robustos usando uma variedade maior de dados

No evento, os analistas do Gartner discutiram novas técnicas de dados e análises (D&A) para construir uma organização resiliente, adaptável e versada em dados. Os líderes de D&A precisam recorrer a novas técnicas de análise conhecidas como Small Data e Wide Data. “Juntos, eles são capazes de usar os dados disponíveis com mais eficiência, seja reduzindo o volume necessário ou extraindo mais valor de fontes de dados diversificadas e não estruturadas”, disse.

Small Data é uma abordagem que requer menos dados, mas ainda oferece ideias úteis. A abordagem inclui certas técnicas de análise de séries temporais ou aprendizado de poucos instantes, dados sintéticos ou aprendizado autossupervisionado.

Já o Wide Data permite a análise e a sinergia de uma variedade de fontes de dados pequenas e grandes, não estruturadas e estruturadas. Ele aplica análises X, com X significando encontrar links entre fontes de dados, bem como para uma diversidade de formatos de dados. Esses formatos incluem tabulação, texto, imagem, vídeo, áudio, voz, temperatura ou mesmo cheiro e vibração.

“Ambas as abordagens facilitam análises e IA mais robustas, reduzindo a dependência de uma organização de Big Data e permitindo uma consciência situacional mais rica e completa ou uma visão de 360 ​​graus”, explicou Hare. “Os líderes de D&A aplicam ambas as técnicas para enfrentar desafios, como a baixa disponibilidade de dados de treinamento ou o desenvolvimento de modelos mais robustos usando uma variedade maior de dados”, observou.

As áreas potenciais onde Small e Wide Data podem ser usados ​​são previsão de demanda no varejo, inteligência comportamental e emocional em tempo real no atendimento ao cliente aplicada à hiperpersonalização e melhoria da experiência do cliente.

Outras áreas incluem segurança física ou detecção de fraudes e sistemas autônomos adaptativos, como robôs, que aprendem constantemente pela análise de correlações no tempo e no espaço de eventos em diferentes canais sensoriais.

Serviço
www.gartner.com

análise

Analytics

Big Data

Dado

Gartner

IA

ML

Small Data

Wide Data

Últimas Notícias
Você também pode gostar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento