book_icon

Cresce adoção de soluções para Segurança da Informação nas PMEs

Cisco recorta e avalia seu Estudo de Resultados de Segurança 2021 e conclui que apesar das dificuldades, fatores-chave contribuíram para o sucesso da Segurança nas pequenas e médias empresas
Cresce adoção de soluções para Segurança da Informação nas PMEs

Questões de Segurança da Informação ganharam espaço em todo o mercado e também no segmento de Pequenas e Médias empresas. O tema privacidade avança não apenas no ambiente corporativo, onde se faz fundamental na condução das empresas, mas também no dia a dia das pessoas. O já propalado trabalho remoto e o ensino a distância forçados pela pandemia de Sars-Cov-2, impulsionaram a busca e adoção da digitalização de processos, da resiliência corporativa, da agilidade e da inovação.

Com recorte no Cisco 2021 Security Outcomes Study para o segmento de Pequenas e Médias Empresas, PMEs do Continente Americano, executivos da Cisco para o Brasil e América Latina apresentaram os resultados de estudo sobre Segurança Cibernética, com a proposta de contribuir para a elaboração de estratégias. A pesquisa teve como propósito identificar 25 práticas de Segurança, incluindo Governança, Estratégia, Gastos, Arquitetura e Operações, além do grau de sucesso obtido com objetivos de Segurança. Fizeram uma análise do cruzamento de informações coletadas em entrevistas com 4,8 mil executivos de Segurança Cibernética de 25 países, incluindo 200 profissionais do Brasil e do México.

As PMEs não querem mais as caixinhas prontas, mas buscar o correto investimento e estarem abertas a mudanças. O foco deve estar em resiliência

O estudo aponta para uma lição: mesmo com limites e com pouco investimento para a TI as empresas buscaram saída na Nuvem, Serviço e Software como Serviço – Saas e vendas por subscrição, que podem ser vistos como  um indício de democratização da Segurança Cibernética, sem limitar a defesa. Estes modelos – acessíveis, mais fáceis de implementar e integrar –, trouxeram impacto positivo para o setor,  para a demanda e investimentos em regulação.

Este segmento busca soluções de gestão simples, porém eficazes, já que simplificar uma oferta não significa cortar funcionalidades. Uma mesma solução para enterprise deve oferecer os mesmos recursos ao chamado small and medium business, ou SMB. Sendo assim, as PMEs não querem mais as caixinhas prontas, mas buscar o correto investimento e estarem abertas a mudanças. O foco deve estar em resiliência.

O relatório compreende um setor com orçamento limitado, mas que demonstrou sucesso nos objetivos e resultados e se empenha para apresentar bons resultados. Ghassan Dreibi, diretor de Cibersegurança para a América Latina da Cisco, destaca que a percepção de que disaster recovery está ligado ao aumento do sucesso é maior nas PMEs do que junto às grandes empresas. “Aceitaram que os incidentes são inevitáveis, que o próximo passo é a recuperação e que precisam estar preparados para eventualidades”, explica.

Bom para o Canal
“O mercado SMB com soluções Cisco é muito ativo via parceiros tradicionais e novos”, diz Ricardo Ogata, diretor para o segmento de Pequenas e Médias empresas da companhia. De acordo com ele, a Cisco busca integradores em todo o território brasileiro. “Elencamos 180 parceiros para serem desenvolvidos principalmente no Nordeste, Centro-Oeste e Sul que receberão apoio de um profissional interno para treinamento e desenvolvimento de novas oportunidades, buscando novos logos”, detalha. Vale lembrar que grande parte desses parceiros inicia como Register e o objetivo é que evolua dentro do programa de Canais Cisco.

O objetivo é preparar o Canal de Vendas Indiretas para que leve às pequenas empresas acesso às mesmas inovações que são dirigidas às grandes companhias. As soluções devem estar adequadas aos seus negócios, com simplicidade e facilidade de uso.

O SMB pode fazer melhor uso da TI para vencer obstáculos e um exemplo é a descomplicação ou simplificação do endpoint. Para a Cisco, o parceiro é responsável por auxiliar o cliente a estar em conformidade, com solução igual à enterprise e a aproveitar para oferecer o que o cliente precisa.

Na linha de oferecer agilidade, flexibilidade e escalabilidade a companhia anunciou no início de abril soluções entregues via software, a partir da integração entre as soluções de inteligência ThousandEyes, AppDynamics e da família de switches. Ou seja, a Cisco está integrando inteligência de Internet e Nuvem com o AppDynamics Dash Studio e as linhas Cisco Catalyst 9300 e 9400.

ThousandEyes Internet and Cloud Intelligence no AppDynamics Dash Studio combina as métricas de desempenho de redes e Internet da ThousandEyes com o AppDynamics Dash Studio, a experiência de painel de controle de última geração da AppDynamics. Esta integração proporciona uma linguagem operacional comum para que as equipes de rede, aplicação e nuvem isolem e solucionem rapidamente problemas em todo o ecossistema de serviços digitais, resultando em experiências digitais de ponta para clientes e funcionários.

Já com o ThousandEyes Internet and Cloud Intelligence para Catalyst 9000, os clientes DNA Advantage e Premier podem executar o ThousandEyes em seus switches Catalyst 9300/9400 e terão acesso à inteligência de Internet e Nuvem sem custo adicional. Com a ThousandEyes os clientes podem ter visibilidade de ponta a ponta, desde a visão profunda de filiais e campus até aplicações e serviços em qualquer rede para identificar problemas e otimizar o desempenho rapidamente.

Cisco

Segurança da Informação nas PMEs

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.