book_icon

Como funciona o combate e prevenção a fraudes no setor logístico?

Fraudes são um problema recorrente em inúmeros setores, incluindo o de logística, transporte e armazenamento. A situação é ainda mais preocupante no momento em que vivemos: segundo a ClearSale, em 2020, foram perdidos R$ 3,6 bilhões em tentativas de fraude, sendo a maior parte delas no comércio virtual, onde os fraudadores atuaram com força depois que as pessoas entraram em isolamento social e passaram a efetuar mais compras online.

Além disso, de acordo com o Mapa da Fraude, os segmentos de e-commerce, mercado financeiro, vendas diretas e telecomunicações sofreram 403 tentativas de fraude por hora em 2020, o que equivale a sete tentativas por minuto.

A fraude pode ser entendida como qualquer omissão ou ato intencional promovido com o objetivo de lesar e enganar as empresas, gerando prejuízos para um lado e trazendo ganhos irregulares para quem pratica. Existem vários tipos no mundo, no universo dos cartões e no e-commerce. Os principais são:

Fraude efetiva/Fraude limpa: O fraudador navega pela loja, efetua a compra e, na hora de pagar, insere os dados roubados de cartão de crédito de bons consumidores. Por se tratar de dados corretos, a identificação se torna mais difícil;

 Fraude amigável: quem está efetuando a compra não é o titular, mas uma pessoa próxima. Às vezes é um filho ou mãe. Como o titular do cartão não sabe que a pessoa utilizou seus dados, ele contesta a compra;

Autofraude: o titular efetua a compra com o próprio cartão e, após receber o produto ou serviço, entra em contato com a administradora do cartão para contestar o lançamento na fatura como se não reconhecesse a dívida.

Estruturar um setor de prevenção é fundamental para conter os riscos na logística, uma vez que cada fraude causa prejuízo econômico, mudança de fluxos e tempo perdido. O departamento age com um conjunto de medidas e ações que agregam políticas, procedimentos, treinamentos e comunicação. Empresas com esse tipo de investimento são as que mais prezam pela segurança das informações dos clientes, parceiros e dos processos internos. A prevenção se torna, então, parte do sistema nervoso da organização, pois a maior parte das informações e decisões estratégicas passam pelo setor.

Por isso, acredito que todas as empresas do setor de logística e entregas devem estruturar um departamento de prevenção a fraudes, para garantir a integridade dos serviços e evitar perdas.

Esse departamento precisa ser responsável por coibir atos fraudulentos que possam causar o desvio de recursos ou de informações da empresa e dos clientes. Dentre as atividades desempenhadas para combater e minimizar os impactos dessa armadilhas, posso citar: monitoramento dos processos operacionais através de relatórios diários, para coibir o extravio, sinistro e/ou apropriação indébita de produtos e documentos; monitoramento das entregas através de dispositivos eletrônicos; auditorias diárias nos protocolos de entrega e/ou devolução; e auditorias nas franquias e filiais para verificação dos procedimentos da entrega.

Para isso funcionar, a equipe precisa atuar 24 horas por dia, 7 dias por semana, acompanhando gráficos de desempenho e montando estratégias preventivas. Essa metodologia permite acompanhar de perto cada passo dos entregadores e bases no Brasil, e caso tenha filiais fora também, tudo alinhado com conscientização através de palestras e muito foco no treinamento.

Além disso, a tecnologia é uma forte aliada na prevenção de fraudes. Existem várias formas que podem ser empregadas para auxiliar nesse trabalho, como:

Ferramentas para envio e rastreio, trazendo informações em tempo real do local onde as mercadorias estão, mantendo assim a segurança da carga e o monitoramento do ponto A ao ponto B;

Softwares que utilizam a validação e liberação do contratado junto a seguradora;

Sistema central em que são realizados os bloqueios preventivos, rastreamento da transferência, conferência do AR, processamento dos arquivos e baixas sistêmicas com rapidez, simplicidade e segurança;

Sistema de acompanhamento da operação para o consumidor, permitindo a baixa da entrega e validação do cliente em tempo real.

A principal missão deste departamento sempre deve ser proteger os clientes de possíveis golpes e fraudes, além de buscar minuto a minuto por formas de proteção e novas tecnologias para oferecer serviços de qualidade, desde a logística até a entrega.

Precisamos que departamentos como esse surjam com mais intensidade no mercado, desenvolvendo processos específicos que criem segurança para toda a operação. O principal objetivo é sempre atender bem, e a segurança faz parte do pacote.

Por Guilherme Juliani, CEO do grupo Flash Courier.

CEO do grupo Flash Courier

Comércio virtual

fraudes no setor logístico

Guilherme Juliani

Mapa da Fraude

Últimas Notícias
Você também pode gostar
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital
Edição do mês

Leia nesta edição:

Leia nessa edição sobre tecnologia

CAPA | TECNOLOGIA

5G impõe seu ritmo

Leia nessa edição sobre carreira

MERCADO

Brincadeira de gente grande

Leia nessa edição sobre setorial | saúde

GESTÃO

Backup: a última linha de defesa

Esta é para você leitor da Revista Digital:

Leia nessa edição sobre sustentabilidade

NEGÓCIOS

Terceirização de equipamentos

Maio 2022 | #57 - Acesse:

Infor Channel Digital

Baixe o nosso aplicativo

Google Play
Apple Store

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento