book_icon

Grupo Prysmian destaca papel da produção de cabos ópticos no Brasil

Grupo tem disponibilidade e estoque local para garantir a opção de fornecimento de fibras e cabos ópticos para operadoras e provedores
Grupo Prysmian destaca papel da produção de cabos ópticos no Brasil

O mercado de telecomunicações brasileiro tem discutido a possibilidade de um possível desabastecimento de matérias-primas e equipamentos, como fibras e cabos ópticos, essenciais para a rotina das operadoras e provedores (ISPs).

A preocupação não é infundada, dados os desafios impostos pela pandemia do novo coronavírus sobre a cadeia global de fornecimento de insumos e, por consequência, às operações comerciais e logísticas.

Esse cenário tem assustado principalmente os ISPs, que têm relatado dificuldades para importar componentes e equipamentos básicos para a manutenção e expansão da sua rede, essencial para levar conexão à Internet Banda Larga para os rincões do País  

“A demanda global subiu assustadoramente por todo tipo de insumos, não só de fibras e cabos ópticos, mas também por embalagens e até mesmo seringas e os IFAs das vacinas, o que nos mostra que não é algo isolado”, explica Marcelo Andrade, VP de Telecom do Grupo Prysmian na América Latina e presidente da Associação P&D Brasil. “O mercado asiático é a fonte de várias dessas matérias-primas e a concentração somente nesta cadeia deste fornecimento hoje está se mostrando problemática. Quem deu prioridade a uma única opção de compra baseada puramente no preço está em grande dificuldade”, analisa o executivo.

Além da concorrência pela prioridade nos pedidos e os preços elevados, a demanda por insumos fez o custo do frete explodir. Uma pesquisa da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) revela que o frete aéreo aumentou 105% e o marítimo 339%, comparando preços dos meses de janeiro em 2020 e 2021.

Esse cenário tem assustado principalmente os ISPs, que têm relatado dificuldades para importar componentes e equipamentos básicos para a manutenção e expansão da sua rede, essencial para levar conexão à Internet Banda Larga para os rincões do País.

Cabe lembrar que, tomando as telecomunicações como serviço essencial neste período pandêmico, a demanda cresceu principalmente pelo volume adicional de informações que passaram a circular pelas fibras, com a implementação do home-office, ensino à distância, serviços de streaming e pedidos de delivery.

No papel de líder mundial na fabricação de fios e cabos de energia e telecom, além de investimentos e operações quase centenárias no Brasil, o Grupo Prysmian acredita que esta crise de demanda, insumos e logística reforça o papel da fabricação local de cabos e fibras ópticas.

“Como uma empresa global, isso nos permite equilibrar as compras em diferentes cadeias de fornecimento de matérias-primas, não deixando faltar insumos relevantes para a continuidade da produção”, afirma Andrade. “Nós nos antecipamos a essa crise fazendo investimentos expressivos na produção de cabos e fibras ópticas no Brasil, com desenvolvimento de tecnologia, empregos gerados e arrecadação de impostos aqui no país, formando um estoque de segurança que nos permite hoje garantir que não haverá desabastecimento de fibras e cabos no mercado nacional por falta de opções”, completa.

Os investimentos citados datam de 2019, quando o Grupo Prysmian aumentou sua capacidade produtiva em 25% nas fábricas de fibras e cabos ópticos em Sorocaba-SP. À época, esse aporte mirava principalmente o crescimento da demanda por soluções de telecom na expansão da rede no país, puxadas principalmente pelo FTTH e os provedores, com o leilão do 5G e programas de infraestrutura em telecomunicações do governo à espreita.

O Grupo Prysmian dedica aos provedores uma estratégia comercial diferenciada, o que pode ajudá-los em um período que faltam opções de matérias-primas importadas e assim consolidar uma parceria duradora a partir de agora.

“Nossas vendas para os provedores têm crescido acima dos dois dígitos por ano. Atribuímos duas razões principais para isso. Nós temos estoque para entrega imediata dos principais cabos utilizados por eles. Também oferecemos linhas de crédito com parceiros financeiros, ou seja, contamos com linhas da própria Prysmian e as associadas aos bancos, para que eles possam adquirir fibras e cabos ópticos em até três anos com um período de carência. Isso facilita a vida do provedor, que pode aumentar a infraestrutura de oferta imediatamente e se capitalizar via assinaturas”, finaliza Andrade.

Grupo Prysmian fabrica fibras e cabos ópticos no Brasil por meio de suas duas fábricas relacionadas à telecom em Sorocaba-SP (Foto: Panóptica Multimídia)

 

Brasil

Grupo Prysmian

Marcelo Andrade

produção de cabos ópticos

Telecom

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.