book_icon

Computação em Nuvem ajuda a combater o aquecimento global

De acordo com a IDC, o uso contínuo do Cloud Computing pode evitar a emissão de 1 bilhão de toneladas de CO2 até 2024
Computação em Nuvem ajuda a combater o aquecimento global

Um novo estudo da IDC, chamado Worldwide CO2 Emissions Savings from Cloud Computing Forecast 2021- 2024: A First-of-Its-Kind Projection, mostra que a adoção contínua da computação em Nuvem pode evitar a emissão de mais de 1 bilhão de toneladas métricas de dióxido de carbono (CO2) de 2021 a 2024. A previsão usa dados da IDC sobre distribuição de servidores e uso de software em Nuvem e local, juntamente com informações de terceiros sobre o uso de energia do data center, emissões de dióxido de carbono (CO2) por quilowatt-hora e comparações de emissões de data centers em Nuvem e on-premises.

Segundo o relatório, um fator relevante na redução das emissões de CO2 associadas à computação em Nuvem vem da maior eficiência dos recursos computacionais agregados. As reduções de emissões são impulsionadas pela agregação de computação de data centers corporativos discretos a centros de grande escala que podem gerenciar com mais eficiência a capacidade de energia, otimizar o resfriamento, aproveitar os servidores mais eficientes em energia e aumentar as taxas de utilização do servidor.

A ideia de TI verde já existe há anos, mas o impacto direto da computação em hiperescala pode ter nas emissões de CO2 está recebendo cada vez mais atenção dos clientes, reguladores e investidores e está começando a influenciar as decisões de compra

Ao mesmo tempo, a magnitude da economia muda com base no grau em que um quilowatt de energia gera CO2, e isso varia amplamente de região para região e de país para país. Diante disso, não é surpreendente que a maior oportunidade de eliminar o CO2 migrando para data centers em Nuvem venha nas regiões com maiores valores de CO2 emitido por quilowatt-hora. Espera-se que a região da Ásia/Pacífico, que utiliza carvão para grande parte de sua geração de energia, seja responsável por mais da metade da economia de emissões de CO2 nos próximos quatro anos. Enquanto isso, a EMEA proporcionará cerca de 10% da economia, em grande parte devido ao uso de fontes de energia com menores emissões de CO2 por quilowatt-hora.

Embora a mudança para fontes de energia mais limpas seja muito importante para reduzir as emissões, a redução do uso de energia desperdiçada também terá um papel crítico. Os data centers em Nuvem estão fazendo isso otimizando o ambiente físico e reduzindo a quantidade de energia gasta para resfriar o ambiente. O objetivo é gastar mais energia no funcionamento do equipamento de TI do que no seu resfriamento.

Outro recurso da computação em Nuvem que pode ser usado para reduzir as emissões de CO2 é a capacidade de transferir cargas de trabalho para qualquer local ao redor do globo. Desenvolvido para fornecer serviço de TI onde for necessário, esse recurso também permite que as cargas de trabalho sejam deslocadas para permitir um maior uso de recursos renováveis, como energia eólica e solar.

A previsão da IDC inclui limites superior e inferior para a redução estimada nas emissões. Se a porcentagem de data centers em Nuvem verde permanecer onde está, apenas a migração para a Nuvem em si poderia economizar 629 milhões de toneladas métricas no período de quatro anos. Se todos os data centers em uso em 2024 fossem projetados para a sustentabilidade, 1,6 bilhão de toneladas métricas poderiam ser economizadas. A projeção da IDC de mais de 1 bilhão de toneladas métricas é baseada na suposição de que 60% dos data centers adotarão a tecnologia e os processos subjacentes a datacenters mais inteligentes e mais sustentáveis ​​até 2024.

“A ideia de TI verde já existe há anos, mas o impacto direto da computação em hiperescala pode ter nas emissões de CO2 está recebendo cada vez mais atenção dos clientes, reguladores e investidores e está começando a influenciar as decisões de compra”, disse Anderson Cushing, vice-presidente de Programa da IDC. “Para alguns, tornar-se carbono neutro será alcançado usando compensações de carbono, mas projetar data centers desde o início para serem neutros em carbono será a medida real de contribuição. E para provedores de Nuvem avançados, combinar cargas de trabalho com disponibilidade de energia renovável acelerará ainda mais seus objetivos de sustentabilidade”, comentou.

Serviço
www.idc.com

carbono neutro

CO2

Data Center

IDC

Nuvem

Sustentabilidade

Últimas Notícias
Você também pode gostar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento