book_icon

Como a tecnologia contribui para a estabilidade fiscal?

Contar com a presença tecnológica no ambiente empresarial é o primeiro passo para se construir uma cultura interna orientada à segurança fiscal.
O impacto ligado à Transformação Digital e sua abrangência sobre as empresas não se limita à melhoria de procedimentos antiquados ou modelos de trabalho ineficazes. Claro, sem dúvidas, esse é um aspecto importante e que deve ser considerado antes de qualquer movimentação nesse sentido, mas o uso da tecnologia vai além, pois representa uma grande oportunidade de se reformular a perspectiva fiscal de organizações entregues ao dinamismo de um segmento reconhecidamente caótico. É nesse aspecto que se mostra preponderante uma interpretação estratégica do que a máquina pode oferecer. Portanto, a transformação não é somente digital, mas também comportamental. E existem meios de se atingir esse nível de maturidade operacional.
Ferramentas de controle e armazenamento de notas fiscais e documentações, por exemplo, empregam a automatização de etapas fundamentais para a saúde fiscal da empresa em questão, evitando o surgimento de multas e punições decorrentes de descuidos e o não cumprimento de prazos. Por isso, a importância de se apoiar em um planejamento estratégico que acompanhe as reais contribuições da tecnologia no ambiente de trabalho.
Soluções que acompanham a legislação
A complexidade por trás do cenário fiscal do Pais não é novidade. Inúmeras empresas sofrem com sanções severas devido a ocorrências que poderiam ser evitadas com mudanças estruturais simples. Para se ter uma dimensão do problema, a multa inicial pela falta de escrituração e o envio de uma nota ao SPED repousa na casa dos 80 mil reais, permanecendo sujeita ao crescimento se a situação se estender, até que a obrigação seja contemplada.
O uso de plataformas inovadoras vai de encontro ao manuseio assertivo de notas fiscais, sempre respeitando o calendário e as atualizações de uma legislação em constante evolução. Em tempos de Transformação Digital, contar com uma estrutura de TI consolidada é o que destaca e recoloca uma empresa em vantagem às demais, concedendo um diferencial competitivo valorizado por um público consumidor em sinergia com o que há de mais inovador no mercado. Logo, não seria nenhum exagero afirmar que os ganhos extraídos de uma gestão fiscal eficiente refletem para a companhia em sua totalidade.
Porta de entrada para o Compliance fiscal
Nos últimos anos, com o avanço tecnológico e uma mudança profunda na mentalidade do empresariado, a noção de Compliance tem sido trabalhada com frequência, e isso é uma ótima notícia para os que enxergam na tecnologia uma aliada de valor em termos de estabilidade fiscal. Introduzir uma cultura corporativa guiada pelo Compliance não é um processo de fácil adesão e que pode ser conduzido da noite para o dia, pelo contrário, trata-se de uma iniciativa louvável, mas que sem os artifícios necessários, não será capaz de surtir os efeitos desejados e colocar a empresa em harmonia com a legislação vigente.
O investimento em alternativas para se manter em conformidade com o Fisco nunca é secundário. A utilização de sistemas manuais teve seu valor em outras épocas, isso é fato, mas ignorar a implementação da tecnologia não só colocará a organização em descrédito quanto à visão compartilhada entre seus clientes, como poderá comprometer a integridade das atividades, levando a situações extremas que nenhum gestor gostaria de passar com seu negócio.
Otimização de processos beneficia equipes
E como fica o papel humano nesse quadro de transição ao digital? Com a digitalização de etapas relacionadas à governança de dados e notas fiscais, as pessoas continuarão exercendo um protagonismo significante no cotidiano empresarial, contrariando aquele pensamento equivocado sobre as intenções de se aplicar a tecnologia em processos rotineiros. No fim das contas, a automatização serve como um agente conciliador, capaz de valorizar os profissionais com benefícios importantes, a exemplo da praticidade e a economia de tempo fornecida para a equipe envolvida no departamento fiscal.
Encerro o artigo apontando para a importância de se buscar por soluções compatíveis com a realidade apresentada por cada empresa. Com o crescimento, é natural se deparar com um aumento considerável no fluxo de informações e documentos disponíveis, fato que acaba por proporcionar novas demandas e desafios suscetíveis a descuidos extremamente prejudiciais. A presença tecnológica surge como método plausível de se preservar a saúde fiscal das organizações e garantir que as mesmas aproveitem de um futuro repleto de oportunidades únicas.
Qual é a sua opinião sobre o papel da tecnologia na área fiscal das empresas? Participe do debate!
Por Fernando Brolo, Sales Partner na logithink

compliance fiscal

estabilidade fiscal

Fernando Brolo

LogiThink

Tecnologia

Transformação Digital

Últimas Notícias
Você também pode gostar
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento