book_icon

Embratel migra dados da rede pública de saúde para Nuvem em contrato com o Ministério da Saúde

Projeto prevê a migração dos dados em todos os Estados
Embratel migra dados da rede pública de saúde para Nuvem em contrato com o Ministério da Saúde

A Embratel anuncia contrato com o Ministério da Saúde para efetuar a migração dos dados da rede pública de saúde para a Nuvem. A Embratel já está transferindo os dados do DATASUS, departamento de informática do Sistema Único de Saúde do Brasil, para a Nuvem e irá disponibilizá-los com segurança e estabilidade na Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS), projeto do Conecte SUS, um programa do Governo Federal para a digitalização das informações de saúde no Brasil.
“A arquitetura em Nuvem da Embratel proporciona a migração de grandes volumes de dados com toda a segurança necessária, especialmente em relação a informações sensíveis e sigilosas”, explica Mário Rachid, Diretor Executivo de Soluções Digitais da Embratel. O projeto é a materialização da estratégia de saúde digital planejada pelo Governo Federal nos últimos anos. O executivo destaca que todo o tráfego de dados será realizado via Blockchain para garantir a segurança das informações.

Profissionais de saúde em estabelecimentos públicos pré-cadastrados e gestores municipais e estaduais terão acesso aos dados, além do próprio paciente, que poderá acessar o seu histórico médico por meio de aplicativo. O acesso seguirá todas as determinações de privacidade já previstas em legislações existentes e atenderá a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD)  

“Estamos pavimentando uma estrada para o fortalecimento da estratégia de Saúde Digital para o Brasil”, afirma Jacson Venâncio Barros, Diretor do DATASUS.
No Brasil, cerca de 50% das informações não são digitalizadas nos hospitais públicos de atenção primária, onde são feitos os atendimentos iniciais com objetivo de orientar sobre a prevenção de doenças, solucionar alguns casos e direcionar os mais graves para níveis de atendimento mais complexos. Na atenção especializada, cerca de 77% dos hospitais com mais de 50 leitos não têm prontuários eletrônicos. Sem a digitalização, o compartilhamento dos dados para o DATASUS é feito ao final do mês por cada hospital de atenção primária, pela rede especializada e pelas farmácias populares. Uma vez implementado o novo sistema, tanto o envio dos dados pelos aparatos de saúde quanto o acesso serão facilitados, e as informações serão mantidas sempre atualizadas.
Profissionais de saúde em estabelecimentos públicos pré-cadastrados e gestores municipais e estaduais terão acesso aos dados, além do próprio paciente, que poderá acessar o seu histórico médico por meio de aplicativo. O acesso seguirá todas as determinações de privacidade já previstas em legislações existentes e atenderá a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Informações como atendimentos ambulatoriais e de atenção primária, internações, medicamentos utilizados, exames realizados e vacinas somente serão compartilhadas com a autorização do paciente.
“É muito pouco provável que algum outro País com a nossa dimensão e complexidade consiga trafegar, hoje, esse conjunto de dados”, afirma Rachid, da Embratel. O tráfego de informações como imagens de exames também está sendo considerado em uma nova fase do projeto.
Com os dados em Nuvem, os profissionais de saúde e de administração pública poderão fazer um acompanhamento maior de toda a cadeia de atendimento do paciente. A disponibilização possibilita a continuidade do cuidado aos pacientes, pois os médicos conseguirão ter uma linha do tempo dos tratamentos realizados. Isso amplia o espectro de visão sobre a saúde do cidadão por meio de um ambiente analítico, facilitando a tomada de decisão sobre cada caso.
“A Embratel acredita no enorme potencial da tecnologia para auxiliar a administração pública e os atendimentos médicos. Estamos participando de um projeto de grandes proporções e que poderá servir de exemplo para outros Países que desejam digitalizar seus sistemas de saúde pública”, avalia Maria Teresa Lima, Diretora Executiva para Governo da Embratel.
O projeto com a Embratel faz parte de licitação vencida pela empresa para fornecimento de soluções, apoio técnico e treinamento de Computação em Nuvem para diversos órgãos do Governo Federal, incluindo o Ministério da Saúde, cuja migração de dados já é a maior inciativa em desenvolvimento atualmente.
A oferta de serviços de Computação em Nuvem para o Ministério reforça o posicionamento da Embratel como integradora de soluções digitais que é referência no mercado brasileiro. Para mais informações, acesse: https://www.embratel.com.br/cloud.
A Embratel, uma Digital Service Provider, atua como integradora de serviços de TI e Telecom e no desenvolvimento, implementação e gestão de soluções integradas. Oferece serviços de Cloud Computing, Data Center, Segurança, Internet das Coisas, Professional Services, Conectividade e Colaboração, Omnichannel e Automação Robótica de Processos para promover o desenvolvimento e avanço das companhias de todos os tamanhos, segmentos e regiões do País, frente aos desafios da nova economia digital.
Serviço
www.embratel.com.br

dados da rede pública de saúde para Nuvem

DATASUS

Embratel

Jacson Venâncio Barros

Maria Teresa Lima

Mário Rachid

Ministério da Saúde

projeto do Conecte SUS

Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS)

Comentários

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.