book_icon

Empresas de tecnologia inovam em seleção e formação de talentos

Processos seletivos criativos, gamificação corporativa, recompensa financeira e seleção com base em cultura, são algumas das novas estratégias de gestão de pessoas
Empresas de tecnologia inovam em seleção e formação de talentos

Encontrar profissionais capacitados e preparados para o mercado de trabalho é o grande desafio das empresas de tecnologia. Muito mais do que esperar que os melhores talentos apareçam em suas portas, algumas organizações têm buscado inovar em gestão de pessoas. O setor de TI demandará 420 mil novos empregos entre 2018 e 2024, segundo relatório da Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom). A escassez de mão de obra qualificada é apontada como a principal razão para as mais de 100 mil vagas abertas no setor de tecnologia em 2019.
Algumas empresas de tecnologia tem implantando ações diferenciadas para atrair e reter talentos. As inovações vão desde processos seletivos criativos e dinâmicos até recompensa financeira. De acordo com Daiane Andognini, CEO da Hug Gestão de Pessoas, consultoria especializada na formação de cultura de gestão de pessoas em empresas de tecnologia e startups em crescimento, nunca se falou tanto sobre a importância das pessoas para o negócio prosperar. “As empresas estão investindo em modelos para atrair, reter e desenvolver talentos que são mais personalizados e cíclicos. O “employee experience” — experiência do funcionário e ações utilizadas para garantir o bem-estar das equipes — está cada vez mais sendo o tema do momento”, aponta.

O “employee experience” — experiência do funcionário e ações utilizadas para garantir o bem-estar das equipes — está cada vez mais sendo o tema do momento  

“No processo seletivo, essas competências podem ser avaliadas nos candidatos de diversas maneiras, seja checando o histórico profissional ou mesmo buscando referências no mercado. Caso a empresa ainda não tenha claro qual é a sua cultura, é importante fazer para conectar as expectativas do time com as do negócio”, ensina Daiane Andognini. A questão é clara, quando a equipe está alinhada, a atenção e o foco dos colaboradores está em entregar resultados. Do contrário, há perda de energia e, consequentemente, de produtividade, com situações e pensamentos que não combinam entre si.
Talentos com base na cultura
Para a Área Central, scale up especializada em gestão de Redes Associativas e Centrais de Compra, com sede em Rio do Sul (SC), contratar profissionais compatíveis com a cultura da empresa é essencial: “nós entendemos que os melhores profissionais não saem de uma organização com todas as habilidades técnicas consolidadas. Entendemos a dificuldade de atrair talentos, então, optamos por capacitar as pessoas que têm interesse em trabalhar conosco”, explica Jonatan Silas da Costa, CEO. Na Área Central, os futuros colaboradores são selecionados primeiramente por habilidades comportamentais, as soft skills, e depois pelas aptidões compatíveis com a função a ser exercida: “uma pessoa alinhada com a cultura da empresa vai se desenvolver facilmente dentro do que o nosso negócio propõe”. A partir da contratação, o profissional é capacitado na prática, nas vivências cotidianas com clientes, e com a participação em cursos e eventos alinhados com a área de atuação da scale up.
Essa atitude é um exemplo de que a clareza da cultura é fundamental para entender e desenvolver as competências que o time precisa ter para levar a empresa ao próximo nível do negócio. Segundo Daiane Andognini, nessa fase, o time precisa ter alta capacidade de execução, não ter medo de errar, estar preparado para mudanças rápidas, testar hipóteses e tomar decisões fundamentadas em dados. “No ‘Culture Code’ as competências precisam estar claras, assim como o propósito e os valores”, completa a CEO da Hug Gestão de Pessoas.
Recompensa de R$ 2000 para funcionário que fizer indicação certeira
Com o desafio constante de contratar profissionais qualificados, a catarinense Supero Tecnologia, empresa especializada em oferecer soluções em TI e alocação de mão de obra especializada, resolveu potencializar uma recompensa financeira para os profissionais que indicarem talentos que venham a ser contratados.
“Geralmente oferecemos uma bonificação de R$ 1500, mas como estamos com uma demanda maior de projetos, aumentamos para R$ 2000, o que está estimulando todos a acionarem suas redes de contato e fazer mais indicações”, explica Bárbara Daniel Vieira, coordenadora de Desenvolvimento Humano e Organizacional da Supero.
A coordenadora explica que a estratégia tem se mostrado eficiente, pois os profissionais indicam pessoas que sabem que tem identificação com a cultura da empresa. “Além da bonificação, todos se envolvem na busca por uma equipe de trabalho qualificada e alinhada. Só em 2019, mais de 20% das nossas contratações foram através do Programa Indique um Amigo”, finaliza Bárbara.

Daiane Andognini

Employee Experience

gamificação corporativa

Hug Gestão de Pessoas

Processos seletivos criativos

recompensa financeira

seleção e formação de talentos

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento