Mercado

ANEEL aprova regulamentação sobre recarga de veículos elétricos

Recarga de veículos elétricos poderá ser explorada comercialmente por distribuidoras, postos de combustíveis, shopping centers e demais empreendedores interessados na prestação deste serviço

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) aprovou regulamentação sobre a recarga de veículos elétricos. A agência optou por uma “regulamentação mínima” para o setor e teve como objetivo eliminar barreiras para o desenvolvimento deste mercado.

Em síntese, o regulamento trouxe a previsão de exploração comercial da atividade de recarga de veículos elétricos a preços de mercado

De acordo com a regulamentação aprovada a recarga de veículos elétricos poderá ser explorada comercialmente por distribuidoras, postos de combustíveis, shopping centers e demais empreendedores interessados na prestação deste serviço.

De acordo com a ANEEL, a regulamentação vem para reafirmar os compromissos mundiais firmados para redução da emissão de carbono na atmosfera e da poluição decorrente desta, nas cidades. Além disso, no aspecto econômico, ela visa trazer maior segurança regulatória, tendo em vista que impossibilita a criação de subsídios cruzados entre usuários de veículos elétricos e consumidores de eletricidade, preservando assim a rede de distribuição de energia e a competitividade do setor.

Em síntese, o regulamento trouxe a previsão de exploração comercial da atividade de recarga de veículos elétricos a preços de mercado. A Aneel optou por não estabelecer uma tarifa para o serviço e os preços deverão ser livremente negociados. Outra previsão é a de que as distribuidoras de energia elétrica poderão efetuar a instalação de estações de recarga em sua área de atuação.

A agência disponibilizará até 15 de outubro um formulário eletrônico para que os consumidores interessados façam o registro de estações de sua titularidade.

Nos últimos anos, o mercado de carros elétricos tem despontado no mundo, prometendo uma alternativa mais sustentável aos combustíveis fósseis. Esse mercado no exterior está mais adiantado, mas a própria Aneel acredita que a propulsão elétrica terá uma posição relevante em nosso País nos próximos 10 anos.

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.