Mercado

HUGHES amplia cobertura para mais mil cidades no Brasil

Investimento faz parte dos planos de expansão da companhia, que  inclui os Estados do Amapá, Amazonas e Rondônia, a partir do terceiro trimestre

A Hughes, especializada em telecomunicações via satélite, vai ampliar sua cobertura neste ano, por meio da HughesNet. A marca, que veio para atender o consumidor final que necessita de internet em locais sem acesso à rede, vai começar a vender planos de banda larga via satélite em mais mil cidades, incluindo os Estados do Amapá, Amazonas e Rondônia, a partir do terceiro trimestre.

Com a expansão, a HughesNet será capaz de atender até 90% da população de todo o território brasileiro

Hoje, a empresa cobre cerca de 4 mil cidades com o serviço HughesNet, com planos com velocidade de acesso de 10 Mbps a 25 Mbps, residenciais ou corporativos. Os planos têm franquia de dados, que varia de 30 GB a 80 GB.

“Lançaremos um satélite agora no meio do ano, que possibilitará a expansão da cobertura para mais mil cidades. A ação faz parte da estratégia de longo prazo da Hughes para a América Latina, pois começamos a operar a internet banda larga via satélite HughesNet na região em 2016, e abrimos uma subsidiária na Colômbia no ano passado”, diz Rafael Guimarães, presidente da Hughes no Brasil.

Com a expansão, a HughesNet será capaz de atender até 90% da população de todo o território brasileiro, chegando a cidades distantes dos grandes centros urbanos, onde de as grandes operadoras não conseguem chegar devido ao alto custo e, especialmente na área rural, tanto que é conhecida como internet rural por parte de seu público.

Para 2021, a companhia tem planos de lançar o satélite Echostar XXIV/Jupiter 3, que será utilizado para entregar conexões de até 100 Mbps a empresas e usuários finais em praticamente todos os países das Américas, incluindo Brasil, EUA, Canadá, México e outras regiões. O satélite utilizará tecnologia de ultradensidade (UHDS) para transmissão, e será responsável por mais que dobrar a capacidade de banda da Hughes no continente. “O Brasil é um mercado bastante competitivo, e queremos continuar crescendo por aqui, oferecendo internet de banda larga de alta qualidade”, conclui Guimarães.