book_icon

Gartner: Vida útil do celular aumentará até 2020

Segundo a companhia, despesas mundiais com dispositivos para usuários finais vão aumentar somente 7% em 2018
Gartner: Vida útil do celular aumentará até 2020

Após um declínio de 3% em 2017, as remessas internacionais de dispositivos (PCs, tablets e telefones móveis) deverão retomar crescimento, porém, com aumento de aproximadamente 1,3% em 2018, totalizando 2,3 bilhões de unidades no ano, calcula o Gartner.

Argentina, Brasil, Japão e Rússia perderam coletivamente cerca de 25% das remessas de dispositivos entre 2013 e 2017

Embora o desempenho dos envios de dispositivos varie ano após ano, as despesas com dispositivos de usuários finais continuam aumentando e a previsão é de aumento de 7% em 2018.

“Orientado por melhores especificações, apesar dos custos crescentes, os fornecedores (ASPs – Application Service Providers) para dispositivos aumentaram 9,1% em 2017 e a tendência continuará até este ano, quando esperamos que os preços aumentem em 5,6%”, diz Ranjit Atwal, Diretor de Pesquisas do Gartner.

Apesar do aumento de 4,6% nos preços de PCs em 2018, a demanda por unidades de PCs, impulsionada pela compra de empresas, está se estabilizando em 2018. O mercado tradicional de PCs cairá 3,9% em 2018 e deverá cair 3,6% em 2019.

O Gartner prevê ainda que os envios internacionais de celulares aumentem 1,6% em 2018, com vendas totais de celulares de quase 1,9 bilhão de unidades. Em 2019, as vendas de smartphones estão a caminho de continuar crescendo, em 5% ao ano.

No geral, o Gartner estima que a vida útil dos celulares aumentará de 2017 a 2020. “Espera-se que a vida útil dos telefones premium aumente mais em curto prazo, já que os usuários procuram manter esses dispositivos devido à falta de um novo impacto tecnológico, proibindo atualizações”, afirma o analista.

A vida útil dos celulares diminuirá novamente após 2020. “Até 2020, os recursos de Inteligência Artificial (IA) dos smartphones oferecerão um Digital Persona mais inteligente no dispositivo. Aprendizado de máquina, biometria e comportamento do usuário irão melhorar a facilidade de uso, autosserviço e autenticações simples. Isso permitirá que os smartphones sejam mais confiáveis do que outras credenciais, como cartões de crédito, passaportes, identificações ou chaves”, diz Gupta.

Os futuros recursos de Inteligência Artificial, incluindo o processamento de linguagem natural e a percepção de máquina (leitura de todos os sensores), permitirão que os smartphones aprendam, planejem e resolvam problemas para os usuários. “Não se trata apenas de tornar os smartphones mais inteligentes, mas de aumentar os usuários reduzindo sua carga cognitiva e permitindo um ‘Digital Me’ que fica no dispositivo”, diz Gupta.

Recuperação regional do mercado em diferentes ritmos

A turbulência econômica afetou a demanda por dispositivos de maneira variável entre as regiões. Argentina, Brasil, Japão e Rússia perderam coletivamente cerca de 25% das remessas de dispositivos entre 2013 e 2017. “Embora a taxa de recuperação seja variada regionalmente, a maioria dos tipos de dispositivos está mostrando crescimento nesses países”, diz Atwal.

Em países que sofrem com problemas econômicos significativos, as vidas úteis estendidas em todos os tipos de dispositivos tendem a permanecer estagnadas. “Como resultado, à medida que os mercados se recuperarem, eles não atingirão os volumes unitários vistos anteriormente e somente recuperarão para cerca de 70% desses envios até 2022”, acrescenta Atwal.

dispositivo móveis

economia

Gartner

PCs

Smartphones

tablets

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.