Tecnologia

Netskope se prepara para demanda de IoT

Companhia, que atua como CASB, negocia aumento de ponto de presença em Data Center no Brasil

Em meio à nova demanda que a Internet das Coisas trará, a Netskope traçou uma estratégia mundial para disseminar o papel de um CASB e conta com o seu canal para alcançar o objetivo. Com a América Latina tendo um papel de destaque na expansão da companhia – recentemente inaugurou operações em Brasil, Argentina, Chile, Peru, Colômbia, América Central e México -, a Netskope negocia parceria para aumentar pontos de presença em Data Center no Brasil.

“A expectativa é termos, até o final de 2018, 100 clientes”, Daniel Junqueira

Em um momento em que as empresas acessam aplicativos de SaaS (software como serviço), IaaS (infraestrutura como serviço) e a própria web de qualquer dispositivo, manter toda a infraestrutura, incluindo a alocada em nuvem protegida, pode ser um desafio. Como um CASBs e ciente das oportunidades que a falta de cultura de segurança gera, a Netskope investe para aproveitar a demanda e propagar a mensagem de que é possível estar bem protegido, mesmo com os dados alocados em nuvem.

“Hoje, o fluxo de informação não é mais o mesmo. Ele vem de todo lugar e as atuais infraestruturas corporativas não foram preparadas no sentido de terem todo o perímetro protegido”, explica Daniel Junqueira, diretor técnico da Netskope. O executivo destaca que mesmo com soluções tradicionais é possível que gaps abram brechas para ataques em pastas sincronizadas, roubo de identidade ou até mesmo ransomware.

Além de um avanço acelerado, que incluiu uma rodada de financiamento de US$ 100 milhões liderada pela Lightspeed Venture Partners e Accel em 2017, a empresa foi nomeada recentemente como líder no primeiro Quadrante Mágico do Gartner para Cloud Access Security Brokers (CASBs).

“No balanço desses seis meses destaco que já conquistamos parceiros qualificados em todos os países onde temos presença e ganhamos clientes no setor Bancário e estamos em negociação final com empresas do setor de Seguro, Varejo, Hospitalar e Indústria”, comemora Alain Karioty, diretor regional da América Latina da Netskope.

No Brasil, Junqueira conta que há um grande número de testes em fase de avaliação em clientes. A atuação é 100% via canais, já que a capilaridade é um dos objetivos da empresa. São 7 canais aptos a atuar em projetos consultivos. O executivo conta que a companhia tem a intenção de intensificar os treinamentos técnicos para os parceiros e nomeará em breve uma empresa para ser responsável pela certificação do canal. “A expectativa é termos, até o final de 2018, 100 clientes”, afirma Daniel Junqueira, diretor técnico da Netskope.

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.