Tecnologia

Solução inovadora de IoT da Huawei aumenta segurança de bicicletas elétricas compartilhadas

Premiada na China, a solução da Huawei aumentou taxa de resolução de roubos em 60% na cidade de Zhengzhou

A transformação digital tornará as cidades em lugares cada vez mais inteligentes. Um dos setores mais afetados com as novidades proporcionadas pelas tecnologias emergentes é a mobilidade. Prova disse é o número cada vez maior de alternativas aos carros nas ruas. Segundo o IBGE e a Abraciclo, o Brasil já têm mais bicicletas do que automóveis: 70 milhões frente a 50 milhões.

Junta-se este fato ao modelo de economia compartilhada cada vez mais propagado pelo mundo afora, inclusive aqui no Brasil, e encontramos um mercado em verdadeira ebulição no país, com bicicletas e patinetes. Este mês, inclusive, São Paulo recebeu mais uma novidade: um dos principais players deste setor anunciou a disponibilidade da e-bike, uma bicicleta elétrica compartilhada.

A transformação digital tornará as cidades em lugares cada vez mais inteligentes. Um dos setores mais afetados com as novidades proporcionadas pelas tecnologias emergentes é a mobilidade 

Mas sabemos que junto com novidades chegam também novos desafios. No mercado de bicicletas compartilhadas, um dos principais é a questão da segurança destes equipamentos. Pensando nisso, a Huawei, empresa global em soluções de Tecnologia da Informação e Comunicação – TIC, desenvolveu uma solução de gerenciamento baseada na tecnologia NB-IoT – Banda estreita IoT, que protege estes equipamentos de furtos e vandalismo.

Dois milhões de e-bikes protegidas
O sistema da Huawei para segurança de bicicletas já é utilizado por mais de duas milhões de e-bikes da cidade chinesa de Zhengzhou. Para acabar com os frequentes problemas de furtos – em 2017, mais de 80% dos casos de roubo registrados na cidade foram de e-bikes -, a Huawei, em parceria com a China Mobile e a Tendency – Zhejiang Tendency Technology Co., Ltd., equipou as e-bikes com placas anti-furto, dispositivos de comunicação e módulos GPS. Com estes itens, as bicicletas passaram a contar com rastreamento anti-roubo, alerta de incêndio e alarmes de energia, entre outros.

Um mês após o lançamento do projeto, o Departamento de Segurança Pública Municipal de Zhengzhou declarou que com a implantação do sistema e a criação de uma equipe dedicada a reprimir as ocorrências com eficiência, a taxa de resolução bem-sucedida para roubo de bicicleta elétrica licenciada aumentou para mais de 60%, ajudando a garantir a segurança dos equipamentos e da população na cidade.

E engana-se quem pensa que esta tecnologia precisa de muita energia ou banda. Marcelo Yamamoto, Diretor de Estratégia e Marketing para IoT da Huawei do Brasil explica que o NB-IoT – ou IoT de banda estreita – em tradução livre, é uma tecnologia otimizada para a transmissão de taxas de dados até 200 Kbps com baixíssimo consumo de energia. Isso viabiliza a conexão de bilhões de dispositivos usados na comunicação de máquina para máquina – a Internet das Coisas – IoT. “O NB-IoT precisa de apenas 200kHz do espectro de frequências – daí o nome ‘banda estreita’, o que significa que pode rodar adjacente a redes celulares 3G e 4G existentes e ser usado para diversas finalidades: desde o monitoramento de bicicletas compartilhadas até redes de logística, animais no pasto, fechaduras inteligentes, enfim uma lista virtualmente infinita de aplicações,” conclui Yamamoto.

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.

Assine a nossa Newsletter

e receba informações relevantes do mercado TIC

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Captcha obrigatório

Agenda & Eventos