Destaque Gestão

O planeta e a sociedade agradecem

A SAP vem se destacando como empresa socialmente responsável e que defende o meio ambiente

A startup brasileira Safe Drinking Water For All (SDW), que tem como objetivo promover a democratização do acesso à água potável e ao saneamento básico em comunidades carentes por meio de soluções inovadoras, foi a vencedora da quinta edição da Social Innomarathon, competição regional organizada pela SAP em parceria com o Social Lab. O objetivo é promover o empreendedorismo com impacto social na América Latina, por meio de modelos de negócios B2B sustentáveis nos quais a tecnologia tem papel de destaque. O anúncio foi feito semana passada em webinar realizado pela companhia para discutir o impacto da tecnologia nas pautas ESG (Environmental, Social and Governance – ambiental, social e governança).

Para Sonia Favaretto, SGD Pioneer pelo Pacto Global da ONU, que participou do evento, a pandemia trouxe avanços importantes na agenda de sustentabilidade e tecnologia. “Recentemente, foi divulgado o Relatório de Riscos Globais, do Fórum Econômico Mundial, que aponta os maiores riscos para a próxima década e os principais são ligados a essa agenda de sustentabilidade. Dos cinco principais em termos de probabilidade, quatro são ambientais; em termos de impacto, dos cinco, três são ambientais”, comentou.

O que nós desenvolvemos e a forma como atuamos no País, influenciam os nossos clientes, que por sua vez influenciam parceiros e consumidores

Para Paulo Mendes, CFO da SAP Brasil e sponsor (patrocinador) do Comitê de Sustentabilidade da SAP Brasil, este tema de sustentabilidade entrou no radar dos CFOs por algumas razões, principalmente por necessidade, pois todos os stakeholders estão preocupados com o tema, entre fornecedores, clientes, liderança das empresas, área de desenvolvimento de produtos etc. “O mundo mudou, vivemos conectados. O que esse vírus fez foi relembrar que essa conexão leva à natureza, que é a base de tudo e precisamos cuidar dela”, disse Mendes.

Ações internas

Ele conta que a SAP criou recentemente o Comitê de Sustentabilidade, que lançou no ano passado um programa de treinamento chamado Learning for Employment. “A SAP vai investir R$ 7 milhões em três anos para capacitar 4 mil jovens que não teriam acesso à tecnologia SAP, para que eles entrem no ecossistema SAP. Este é um programa gratuito, feito junto com o governo do Estado de São Paulo”, disse.

Uma segunda missão desse comitê é ser um capacitador para os clientes no tema de sustentabilidade, já que 77% das transações de receita no mundo passam por sistemas da SAP. “No Brasil, se olharmos o índice Bovespa, que tinha 81 empresas no fim do ano passado, 86% são clientes da SAP, o que nos confere grande responsabilidade. O que nós desenvolvemos e a forma como atuamos no País, influenciam os nossos clientes, que por sua vez influenciam parceiros e consumidores. Por isso, não tem como a SAP não pensar em sustentabilidade e como os nossos produtos impactam este setor”, comentou Mendes.

Segundo o executivo, apesar de a SAP ser uma empresa de software, não ter fábrica, estoque e nem logística, ela investe em ESG e capacita outras empresas a serem mais sustentáveis. “Temos visto empresas emitindo Bonds Sustentáveis (Green Bonds), título de crédito que tem compromisso com o meio ambiente. Outro exemplo é a Bovespa, que tem o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE), que já tem 15 anos, mas foi reformulado ano passado par aumentar o número de empresas”, contou Mendes. “Aquela dicotomia entre retorno financeiro e cuidar do meio ambiente não existe mais. Não investir no meio ambiente vai interferir no retorno financeiro”, firmou.

De acordo com pesquisa realizada pela Oxford Economics a pedido de SAP, 80% de quem viaja a negócios estaria mais disposto a trabalhar para uma empresa que integra a sustentabilidade em sua política corporativa. “A tecnologia é uma grande aliada das empresas que estão atualizando seus protocolos internos para atender as demandas verificadas nos últimos meses e se preparar para um novo cenário social e ambientalmente responsável”, comentou Valéria Soska, vice-presidente do SAP Concur na América Latina.

Segundo ela, os gestores querem dados para que possam elaborar políticas de sustentabilidades e é isso o que a ferramenta SAP Concur oferece.  “Ao fazer uma viagem corporativa, temos escolhas baseadas em custos e disponibilidade. A nossa ferramenta oferece dados para que o usuário faça escolhas sustentáveis, como modelos de aeronaves que emitem menos carbono, opções de trajetos e até a escolha do hotel, dando preferência aos que adotam políticas de sustentabilidade, como a adoção de energia limpa”, comentou a executiva.

Serviço
www.sap.com

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.

Assine a nossa Newsletter

e receba informações relevantes do mercado TIC

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Captcha obrigatório

Agenda & Eventos