book_icon

Estudo mostra o impacto das fraudes financeiras em bancos e varejo na AL

Relatório LexisNexis True Cost of Fraud 2023 – América Latina mostra aumento de risco e que cada real perdido por fraude no Brasil custa R$ 3,59 para as empresas

Estudo mostra o impacto das fraudes financeiras em bancos e varejo na AL

A LexisNexis Risk Solutions divulgou nesta quinta-feira (20/6) as conclusões de seu estudo LexisNexis True Cost of Fraud 2023 – América Latina. O relatório anual, baseado em uma pesquisa encomendada pela Forrester Consulting, revela que as empresas na América Latina agora arcam com um custo de fraude que é 3,9 vezes o valor nominal perdido em transações fraudulentas.

No Brasil, 59% das empresas relataram aumento de fraudes nos 12 meses anteriores à pesquisa, enquanto as organizações incorrem em um custo médio de R$ 3,59 (R$ 3,01 para varejistas e R$ 4,49 para instituições financeiras) para cada real perdido por fraude. Esses custos englobam perdas financeiras por fraude, bem como despesas trabalhistas internas, custos externos, custos legais e taxas de recuperação, juntamente com as despesas associadas à substituição ou redistribuição de mercadorias perdidas ou roubadas.

O True Cost of Fraud Study – América Latina realizou a pesquisa com 218 tomadores de decisão de gestão de fraude em instituições financeiras e empresas de varejo na América Latina, incluindo 54 no Brasil

Embora a rápida adoção de pagamentos digitais não apenas melhore as experiências de pagamento, mas também exponha inúmeros sistemas e canais a ataques de fraude mais inovadores. Em toda a América Latina, os canais digitais respondem por 51% das perdas totais de fraude, superando pela primeira vez as fraudes físicas. Consequentemente, os cibercriminosos exploram o anonimato das transações digitais transfronteiriças para executar fraudes rápidas e não rastreáveis. Além disso, o aumento de golpes e o uso de tecnologias como Inteligência Artificial (IA) expandem a capacidade dos cibercriminosos de explorar consumidores e empresas.

O estudo também reflete a evolução das táticas criminais. Na América Latina, a etapa da jornada do cliente com maiores perdas por fraude é a criação de novas contas, apresentando o maior desafio tanto para as instituições financeiras (46%) quanto para os varejistas (44%). Os criminosos estão explorando a crescente popularidade dos bancos digitais e do comércio digital usando identidades roubadas ou sintéticas para abrir contas fraudulentas.

“É evidente que novas formas de fraude aumentam o risco de perdas financeiras para consumidores e empresas”, afirmou Rafael Costa Abreu, diretor de Fraude e Identidade Latam da LexisNexis Risk Solutions. “Os problemas enfrentados pelas empresas se tornam ainda mais desafiadores devido ao efeito multiplicador de fraudes, onde as perdas experimentadas pelas organizações continuam a aumentar e excedem em muito o valor nominal perdido em qualquer transação. A prevenção de fraudes requer uma abordagem de várias camadas em toda a jornada do cliente”, observou.

Entre as principais conclusões do estudo True Cost of Fraud – América Latina estão:

Impacto comercial: a fraude afeta significativamente a forma como os clientes percebem e interagem com as empresas. Na pesquisa, 78% dos entrevistados brasileiros relatam que a fraude influenciou a satisfação do cliente, em comparação com 77% em toda a América Latina. E 76% percebem seu impacto na conversão de clientes, inferior aos 80% registrados na região.

Evolução das práticas de gerenciamento de fraudes: os criminosos inovam constantemente. Essa natureza dinâmica do comportamento criminoso significa que a fraude e seus custos associados não são ameaças estáticas que as empresas podem simplesmente diminuir. Por exemplo, os novos métodos de pagamento oferecem aos fraudadores oportunidades de explorar vulnerabilidades no setor de varejo. As instituições financeiras estão percebendo tendências crescentes em roubo de identidade, golpes e fraudes em carteiras digitais.

Avançar na tecnologia: dada a crescente ameaça de riscos de fraude e segurança cibernética, as organizações devem adotar soluções de autenticação e gerenciamento de fraude com visão de futuro. Isso envolve aproveitar os recursos de tecnologias de ponta, como IA, aprendizado de máquina e métodos de autenticação biométricos e baseados em comportamento.

O True Cost of Fraud Study – América Latina realizou a pesquisa com 218 tomadores de decisão de gestão de fraude em instituições financeiras e empresas de varejo na América Latina, incluindo 54 no Brasil. As perguntas da pesquisa referem-se a um período de 12 meses. O estudo aproveita dados e análises para entender o estado atual da fraude e os desafios associados aos pagamentos digitais em mercados emergentes.

 

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.