book_icon

Sensores com IA captam até 30 imagens por segundo para pulverização seletiva no campo

O SaveCloud é uma plataforma que permite aos produtores ter mais detalhes quanto à rastreabilidade da operação do sistema

Sensores com IA captam até 30 imagens por segundo para pulverização seletiva no campo

A Inteligência Artificial (IA), aliada na redução de custos e na sustentabilidade ambiental, foi um dos destaques da Agrishow 2024, feira de agropecuária do Brasil, realizada em Ribeirão Preto (SP), entre os dias 29 de abril e 03 de maio. Esta é a 29ª edição do evento que deve reunir 195 mil visitantes. Na ocasião, o público pode conferir as tecnologias envolvidas na pulverização seletiva no campo que utiliza sensores que captam 30 imagens por segundo. A inovação já garantiu, em alguns casos, economia de 98% no uso de herbicidas e, em média, a redução chega a 75,4%.

Trata-se do SaveFarm, tecnologia brasileira produzida pela Eirene Solutions. Com a integração de sensores, câmeras de alta resolução, Inteligência Artificial e processamento de imagens, o equipamento pode ser instalado nas barras de qualquer pulverizador comum para tornar o trabalho no campo mais assertivo. Funciona da seguinte forma: o equipamento faz uma leitura de superfície do solo, identifica as ervas daninhas em meio à plantação e indica os locais precisos em que a aplicação de defensivos agrícolas é necessária.

As câmeras são posicionadas a cada 1 metro de barra do pulverizador e controlam de 2 a 4 bicos de pulverização por câmera, em espaçamentos de 50cm, 35cm ou 25cm entre os bicos

O sistema é acoplado com suporte em inox com alta durabilidade. As câmeras são posicionadas a cada 1 metro de barra do pulverizador e controlam de 2 a 4 bicos de pulverização por câmera, em espaçamentos de 50cm, 35cm ou 25cm entre os bicos. Os sensores fazem a leitura do solo e conseguem analisar 3,3 milhões de imagens por hora, em cada máquina. Ao todo, são 27 milhões de pixels analisados por segundo em cada máquina. Além disso, dentro da cabine do pulverizador, é instalada e configurada a tela de interface de controle. Por meio dela, o operador da máquina consegue acompanhar todo o processo, receber diagnósticos e parametrizar a operação por meio de uma interface gráfica.

Segundo o CEO da empresa, Eduardo Marckmann, as plantas que precisam receber o defensivo agrícola são estudadas pela tecnologia conforme o tamanho. “Podemos destacar neste sistema o apelo financeiro devido à redução do uso de herbicidas com a aplicação localizada, além dos ganhos de rendimento operacional, redução de fitotoxicidade da cultura e melhoria na qualidade da aplicação”, afirma.

Na avaliação de Marckmann, entre as principais vantagens do SaveFarm também está a redução de danos ambientais, devido à diminuição do uso de defensivos agrícolas, o que resulta ainda em menor necessidade do descarte de embalagens, além de demandar também menor quantidade de água. “Isso mostra um pensamento focado na sustentabilidade tão necessária, como compromisso das práticas agrícolas mais responsáveis, o que é uma demanda mundial”, comenta.

Diferentes cenários de aplicação
Essa tecnologia desenvolvida no Brasil possui diferentes modos e cenários para realizar a aplicação dos herbicidas. No modo seletivo pré-plantio, os sensores identificam, por meio da IA, as plantas invasoras como alvo. A aplicação neste caso ocorre em áreas sem cultivo, o que permite a aplicação apenas onde há plantas daninhas.

Já o modo seletivo biomassa, o sistema verifica plantas daninhas mesmo em áreas com a produção emergida. A IA percebe quais as plantas com maior biomassa em relação à área cultivada para garantir a pulverização seletiva”, explica o CEO.

No modo seletivo por morfologia, o sistema reconhece as culturas estabelecidas e distingue as ervas que estão fora do padrão de cultivo, independente do tamanho, mesmo as que tiverem tamanho menor do que a cultura principal. E no caso do modo seletivo pré-colheita, a tecnologia analisa a coloração da soja no final do ciclo, o que permite o uso de doses variadas de dessecante conforme o grau de maturação das plantas.

A tecnologia ainda tem como opção de pulverização em área total. Neste caso, o operador pode usar a tecnologia PWM das válvulas para compensação de pressão, o que mantém a uniformidade das gotas, ou usar o sistema original da máquina.

Nova plataforma
Além da tecnologia de pulverização seletiva, a empresa também apresentou na Agrishow uma inovação que incrementa o trabalho dos sensores: o SaveCloud, uma plataforma que permite aos produtores ter mais detalhes quanto à rastreabilidade da operação do sistema. Com isso, segundo Marckmann, as decisões sobre as ações no campo quanto à pulverização são baseadas em Dados, o que torna o trabalho otimizado. A plataforma ainda possui conexão 3G/4G e Wifi para o caso de fazendas que não dispõem de conexão à rede de telefonia sincronizarem os Dados.

“As principais vantagens de dispor da plataforma junto ao pulverizador é saber exatamente onde, quando e quanto o equipamento está aplicando e gerando de economia na fazenda, bem como dispor de mapas e relatórios que auxiliam no entendimento da dispersão de ervas daninhas nas áreas e das melhores estratégias de controle para que elas sejam contidas em meio à produção”, explica.

Últimas Notícias
Você também pode gostar
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.