book_icon

Gastos com infraestrutura em Nuvem devem somar US$ 130 bi este ano, diz IDC

A categoria de infraestrutura de Nuvem compartilhada continua a capturar a maior parcela de gastos em comparação com implementações dedicadas e gastos que não são da Nuvem

Gastos com infraestrutura em Nuvem devem somar US$ 130 bi este ano, diz IDC

De acordo com o estudo Worldwide Quarterly Enterprise Infrastructure Tracker: Buyer and Cloud Deployment da IDC, os gastos com produtos de infraestrutura de computação e armazenamento para implementações em Nuvem, incluindo ambientes de TI dedicados e compartilhados, aumentaram 18,5% ano a ano no quarto trimestre de 2023 (4T23), para US$ 31,8 bilhões. Os gastos com infraestrutura em Nuvem continuam a superar o segmento de não nuvem, com o último crescendo 16,4% ano a ano no 4T23, para US$ 18,9 bilhões. O segmento de infraestrutura em Nuvem viu as remessas de unidades caírem 22,8% no trimestre, com um aumento nos preços médios de venda (ASPs) principalmente relacionados a remessas de servidores GPU mais altas do que o normal para hiperscalers.

“Os gastos com infraestrutura em Nuvem continuam a acelerar em direção a configurações mais robustas, alimentados principalmente pela explosão de investimentos relacionados à IA”, disse Juan Pablo Seminara, diretor de Pesquisa Worldwide Enterprise Infrastructure Trackers da IDC. “Embora permaneça alguma cautela do lado sociopolítico, a melhora nas perspectivas econômicas contribui para uma perspectiva de gastos muito positiva para 2024 e 2025, onde os gastos baseados em Nuvem devem se recuperar a taxas de crescimento de dois dígitos”, comentou.

A longo prazo, a IDC prevê que os gastos com infraestrutura de Nuvem terão uma taxa composta de crescimento anual (CAGR) de 12,8% durante o período de previsão de 2023-2028, atingindo US$ 199,1 bilhões em 2028

Os gastos com infraestrutura de Nuvem compartilhada atingiram US$ 22,8 bilhões no trimestre, aumento de 27% em comparação com um ano atrás. A categoria de infraestrutura de Nuvem compartilhada continua a capturar a maior parcela de gastos em comparação com implementações dedicadas e gastos que não são da Nuvem. No 4T23, a Nuvem compartilhada representou 44,9% dos gastos totais com infraestrutura. O segmento de infraestrutura de Nuvem dedicada teve um crescimento modesto de 1,4% ano a ano no 4T23, para US$ 9 bilhões.

Para 2024, a IDC prevê que os gastos com infraestrutura em Nuvem cresçam 19,3% em relação a 2023, para US$ 129,9 bilhões. A infraestrutura não em Nuvem deve cair 1,4%, para US$ 57,6 bilhões. Espera-se que a infraestrutura de Nuvem compartilhada cresça 21,6% ano a ano, para US$ 95,3 bilhões no ano inteiro, enquanto os gastos com infraestrutura de Nuvem dedicada devem ter um crescimento robusto de 13,3% em 2024, para US$ 34,6 bilhões no ano inteiro. A previsão de crescimento moderado para a infraestrutura não em Nuvem, que deve cair 1,4% ano a ano em 2024, reflete a expectativa de que o mercado ainda enfrenta alguns desafios. Os gastos com nuvem permanecerão muito positivos devido às cargas de trabalho de missão crítica novas e existentes, que geralmente exigem sistemas mais avançados e orientados ao desempenho.

Provedores de serviços

A categoria de provedor de serviços da IDC inclui provedores de serviços de Nuvem, provedores de serviços digitais, provedores de serviços de comunicação, hiperscalers e provedores de serviços gerenciados. No 4T23, os provedores de serviços como um grupo gastaram US$ 30,0 bilhões em infraestrutura de computação e armazenamento, um aumento de 19,6% em relação ao ano anterior. Esses gastos representaram 59,2% do mercado total. Os prestadores de serviços não (por exemplo, empresas, governo, etc.) também aumentaram seus gastos para US$ 20,7 bilhões, crescendo 15,2% ano a ano. A IDC espera que os gastos com computação e armazenamento dos provedores de serviços atinjam US$ 124,3 bilhões em 2024, crescendo 21,8% ano a ano.

Em uma base geográfica, os gastos ano a ano com infraestrutura em Nuvem no 4T23 mostraram resultados mistos, com China, Oriente Médio e Canadá mostrando crescimento negativo liderado pela China com uma queda de 31,1%, afetada principalmente por uma economia ainda sob pressão no quarto trimestre de 2023. O Oriente Médio e a África viram os gastos caírem 12,2% devido à difícil comparação ano a ano que resultou de grandes projetos no final do ano anterior. Os gastos no Canadá caíram 4,4% ano a ano. As regiões com aumento de gastos no 4T23 foram Ásia/Pacífico (excluindo Japão e China), Estados Unidos, Europa Central e Oriental, Japão, Europa Ocidental e América Latina, onde os gastos com Nuvem cresceram 48,2%, 40,6%, 11,3%, 10,5%, 2,7% e 1,5% ano a ano, respectivamente. A maior parte desse crescimento foi relacionada a grandes projetos de computação de alto desempenho e baseados em IA.

A longo prazo, a IDC prevê que os gastos com infraestrutura de Nuvem terão uma taxa composta de crescimento anual (CAGR) de 12,8% durante o período de previsão de 2023-2028, atingindo US$ 199,1 bilhões em 2028 e respondendo por 73,6% dos gastos totais com infraestrutura de computação e armazenamento. Os gastos com infraestrutura de Nuvem compartilhada representarão 71,8% dos gastos totais com nuvem em 2028, crescendo a um CAGR de 12,8% e atingindo US$ 143,0 bilhões. Os gastos com infraestrutura de nuvem dedicada crescerão a um CAGR de 12,9%, para US$ 56,1 bilhões. Os gastos com infraestrutura não em Nuvem também se recuperarão com um CAGR de 4,1%, atingindo US$ 71,4 bilhões em 2028. Espera-se que os gastos dos provedores de serviços em infraestrutura de computação e armazenamento cresçam a um CAGR de 13,1%, atingindo US$ 188,5 bilhões em 2028.

 

Últimas Notícias
Você também pode gostar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.