book_icon

Microsserviços, serverless, segurança e IA na vanguarda em 2024

Especialista da keeggo destaca tendências tecnológicas para criar soluções inovadoras, adaptáveis e eficientes

Microsserviços, serverless, segurança e IA na vanguarda em 2024

No cenário dinâmico do desenvolvimento de software em 2024, algumas tendências como arquitetura serverless, segurança e inteligência artificial devem ser consideradas por CEOs e CIOs. Conforme pesquisa da Gartner, gastos globais em TI devem atingir US$ 5,1 trilhões este ano, aumento de 8% ante 2023. No segmento de software, a estimativa é de crescimento de dois dígitos.

De acordo com Alexandre Lessa, gerente de Produtos da keeggo, consultoria de tecnologia, espera-se que o desenvolvimento de software se concentre em aprimorar a segurança, escalabilidade e eficiência, além de integrar tecnologias de inteligência artificial e aprendizado de máquina para criar soluções mais inovadoras.

Espera-se que o desenvolvimento de software se concentre em aprimorar a segurança, escalabilidade e eficiência, além de integrar tecnologias de IA e aprendizado de máquina para criar soluções mais inovadoras

“A evolução de tecnologias, como IA, pode influenciar a necessidade do usuário. Diante disso, as empresas precisarão se adaptar de forma rápida aos comportamentos do cliente, que não espera mais 6 ou 12 meses para mudanças. Será fundamental utilizar inteligência de dados (BI) para liderar as inovações dos seus respectivos negócios”, aconselha.

Com base nas prioridades do mercado para 2024, o especialista destaca quatro tendências:

Arquitetura de microsserviços e serverless

Empresas estão priorizando a flexibilidade e escalabilidade oferecidas por arquiteturas de microsserviços. Segundo Lessa, a modularidade dessas estruturas permite o desenvolvimento ágil e a manutenção simplificada, capacitando organizações a se adaptarem rapidamente às mudanças do mercado.

Já a abordagem serverless ganha destaque, permitindo que os desenvolvedores se concentrem na lógica do aplicativo, enquanto a infraestrutura é gerenciada automaticamente. “Isso resulta em maior eficiência operacional e custos mais baixos, já que os recursos são alocados sob demanda”, afirma.

Cibersegurança

Desafios de segurança persistem e devem influenciar o planejamento estratégico das empresas, à luz de diversos ataques cibernéticos registrados em 2023. Como reflexo disso, 80% dos CIOs planejam ampliar os investimentos em segurança cibernética neste ano, aponta a Pesquisa de Executivos de Tecnologia 2024.

“O desenvolvimento de software terá maior ênfase em práticas seguras, revisões de código, testes e integração de medidas de proteção. Esse processo acontecerá desde as fases iniciais do ciclo de desenvolvimento, enquanto o time de negócio irá analisar indicadores antes de lançar futuras versões aos clientes”, pontua Lessa.

Inteligência artificial

A integração de IA e ML é mandatória. A Gartner estima que, até 2028, 75% dos engenheiros de software empresariais usarão assistentes de codificação de IA, contra menos de 10% no início de 2023. De acordo com o especialista, desenvolvedores estão incorporando algoritmos avançados para análise de dados, automação e tomadas de decisões inteligentes. O foco está em sistemas autônomos e adaptáveis, oferecendo soluções mais personalizadas e eficientes.

“O uso crescente de inteligência artificial, IoT e análise de dados está impulsionando inovações significativas em diversos setores, especialmente no agronegócio. Há uma tendência de radares meteorológicos integrados com IA e softwares que apoiam na tomada de decisão sobre o que plantar, em qual local, etc”, exemplifica o gerente de produtos da keeggo.

Computação quântica

A computação quântica também continua avançando no gerenciamento de complexidade. Estudos sugerem maior impacto econômico e social dos sistemas quânticos nos próximos dez anos. Para Lessa, a expectativa é que ela contribua para resolver problemas complexos, como otimização e criptografia.

“Espera-se um aumento na corrida pelo domínio da computação quântica, devido a sua complexidade, principalmente pelas big techs. Hoje o foco está em duas frentes: o tamanho dos servidores e a taxa de acerto dos dados. Devemos ver várias publicações ao longo do ano com avanço nessas frentes”, prevê o especialista.

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.