book_icon

NTT Data responde cinco dúvidas sobre os benefícios da Nuvem

Um estudo recém-lançado pela NTT Data mostrou que somente 1,6% das empresas da América Latina ainda não realizou nenhum projeto de transição para a Nuvem

NTT Data responde cinco dúvidas sobre os benefícios da Nuvem

A NTT Data, uma das maiores consultorias de TI e negócios do mundo, apresentou seu novo conteúdo sobre inovação, tecnologias emergentes, modernização digital e Inteligência Artificial.

Na nova edição, Ivan Brum, head of Digital Architecture & Journey to Cloud da NTT Data,
responde cinco perguntas de como a Cloud está gerando benefícios para empresas, otimizando processos e acelerando a jornada de Transformação Digital de diversas companhias.

Para que as empresas extraiam todos os benefícios do uso da Nuvem, devem fazer mudanças organizacionais, de pessoas e processos

1. A Nuvem deixou de ser uma tecnologia emergente e já se tornou uma realidade nas empresas?

Sim. Um estudo recém-lançado pela NTT Data mostrou que somente 1,6% das empresas da América Latina ainda não realizou nenhum projeto de transição para a Nuvem. Na verdade, 80% das empresas trabalham regularmente com essa tecnologia. Migrar para a Nuvem não é mais algo a ser discutido pelas organizações. Todos têm clareza dos seus benefícios.

2. Quais são os principais benefícios?

A Nuvem propicia às organizações mais flexibilidade, segurança e eficiência de custos, além de torná-las aptas a inovar e responder com agilidade às novas necessidades do mercado. A Nuvem introduziu uma nova forma de as empresas terem plataformas modernas. Ao contratar uma provedora, elas usam e pagam somente pelo que utilizam, maximizando os retornos e cortando o risco de ter infraestrutura ociosa, além de contar com um leque de opções de tecnologia sempre atualizado. Outro benefício é que hoje praticamente todas as tecnologias chegam através da Nuvem. Por isso, não existe inovação sem ela. O estudo mostrou que os principais motivos para adoção da Nuvem são escalabilidade, inovação e time to market. Para 40% das empresas pesquisadas, houve uma melhora na satisfação do cliente após adoção da Nuvem. Isso decorre da melhoria dos serviços, acessibilidade e personalização que o ambiente de Nuvem permite.

3. A jornada para adoção da Nuvem está completa?

Não. Segundo o estudo, só 38% das empresas entrevistadas estão na fase de otimização. Essa fase envolve monitoramento de métricas, controle de custos, aprimoramento de sistemas e de governança, além de uma cultura orientada para DevSecOps (combina o desenvolvimento, segurança e operação de forma contínua e colaborativa durante todo o ciclo de vida do desenvolvimento de software).

4. Quais as barreiras impedem uma migração maior à Nuvem?

Para que as empresas extraiam todos os benefícios do uso da Nuvem, devem fazer mudanças organizacionais, de pessoas e processos. O estudo mostrou que algumas das principais barreiras estão ligadas a pessoas: falta de profissionais capacitados e resistência à mudança. Os profissionais de tecnologia precisam estar preparados para trabalhar com a Nuvem.

5. O que mudou na Nuvem desde que ela começou a ser adotada pelas empresas?

No início, a Nuvem era praticamente um serviço de infraestrutura. Com o tempo, essas fornecedoras ofereceram soluções e serviços mais completos: manter sistemas atualizados e seguros e o modelo de Plataforma como Serviço (PaaS). E, do lado dos clientes, uma coisa que mudou muito foi a desconfiança em relação à segurança da Nuvem. Havia um receio de que as Nuvens eram mais vulneráveis a ataques cibernéticos. Hoje é o contrário. Está clara a percepção de que os serviços em Nuvem são mais seguros do que manter um Data Center próprio.

Serviço
www.nttdata.com

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.