book_icon

Quatro passos para os CIOs mitigarem a fadiga dos funcionários

SEgundo o Gartner, 8 em cada 10 CIOs não fazem da fadiga uma parte regular das conversas sobre iniciativas de tecnologia de negócios

Quatro passos para os CIOs mitigarem a fadiga dos funcionários

Os funcionários estão lidando com uma quantidade sem precedentes de mudanças desde a pandemia de Covid-19 e estão cansados ​​de mudanças. Para diminuir a fadiga dos funcionários, os CIOs devem executar quatro etapas, de acordo com o Gartner. “Qualquer funcionário está lidando com aceleração digital, saídas de pessoal, tendo de se ajustar a vários modelos de trabalho e muito mais interrupções no local de trabalho, e eles estão exaustos”, disse Daniel Sanchez-Reina, VP Analyst do Gartner. “Quando não gerenciada, a fadiga dos funcionários está afetando o sucesso das iniciativas tecnológicas”, afirmou.

Embora muitas organizações estejam elaborando bons planos de gerenciamento de mudanças e implementando mudanças culturais onde necessário, muitos CIOs não obtêm os resultados que desejam. “Isso ocorre porque eles ignoram um fator crítico, que é a fadiga da mudança”, disse Sanchez-Reina.

Os CIOs também devem definir orientações sobre como suas equipes devem fazer seu trabalho, o que ajuda a garantir que as equipes multidisciplinares compartilhem a responsabilidade pelos resultados

O Gartner define a fadiga da mudança como a resposta negativa do funcionário à mudança (incluindo apatia, esgotamento e frustração) que prejudica os resultados organizacionais.

“A fadiga prejudica o desempenho de um funcionário de várias maneiras, incluindo apatia, esgotamento e frustração. Também diminui a capacidade dos trabalhadores de tomar decisões, resolver problemas complexos e se comunicar”, observou Sanchez-Reina.

O Gartner aconselha os CIOs a tomarem quatro medidas para reduzir a fadiga da mudança em suas organizações.

1. Trate a fadiga da mudança como um problema de negócios

A pesquisa do Gartner descobriu que 8 em cada 10 CIOs não fazem do cansaço uma parte regular de suas conversas sobre iniciativas de tecnologia de negócios. “A maioria dos CIOs trabalha apenas com parceiros de negócios para definir cronogramas de projetos e planos de comunicação e não considera o contexto dos funcionários. Em última análise, eles não abordam a fadiga do trabalhador”, disse Sanchez-Reina.

Os CIOs devem incluir a fadiga da mudança em suas iniciativas de planejamento, adicionando uma avaliação de fadiga. Deve ser organizado como uma discussão com parceiros de negócios. Essa discussão deve incluir, no mínimo, o nível de esforço que cada iniciativa exige e como conciliar o dia a dia com a iniciativa.

2. Distribua a liderança da mudança

Ter um único líder que se concentra em concluir um projeto, produto ou iniciativa no prazo terá pouca visibilidade do custo da fadiga do trabalhador.

O Gartner aconselha os CIOs a estabelecer uma liderança distribuída, como designar supervisores e tomadores de decisão táticos dispersos pela organização, que têm um contato mais próximo com os funcionários e podem mudar de direção quando a fadiga aumenta. A liderança distribuída também espalha o fardo da tomada de decisões, outra causa importante de estresse.

3. Cocriar execução e envolver as partes interessadas

As organizações mais bem-sucedidas tomam decisões sobre como executar a mudança com a cooperação dos altos executivos e das camadas organizacionais inferiores. Eles também envolvem as partes interessadas de TI e negócios no gerenciamento de mudanças.

“Os CIOs devem criar equipes que incluam especialistas técnicos, bem como especialistas de todas as funções que a iniciativa abordará”, disse Sanchez-Reina. “A mistura de pessoas com diferentes perspectivas contribuirá para a coesão das pessoas envolvidas na mudança”, explicou.

Os CIOs também devem definir orientações sobre como suas equipes devem fazer seu trabalho, o que ajuda a garantir que as equipes multidisciplinares compartilhem a responsabilidade pelos resultados e se concentrem na entrega de resultados de negócios, não apenas na conclusão de um plano de projeto.

4. Preocupe-se com as emoções da mudança

“Uma vez que um impacto emocional positivo ou negativo cria uma memória duradoura positiva ou negativa em nosso cérebro, é fundamental que os CIOs criem um histórico mental de tantos aspectos positivos quanto possível”, disse Sanchez-Reina. “Por exemplo, algumas empresas incluem sessões de ‘ouvir as desvantagens’ no plano de mudança, onde os funcionários têm a chance de compartilhar abertamente suas preocupações. Esta iniciativa substitui os ocasionais momentos de ventilação no bebedouro ou na máquina de venda automática, tornando essas preocupações administráveis”, finalizou.

Serviço
www.gartner.com

 

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.