book_icon

Remessas mundiais de PCs registraram queda de 14% no segundo trimestre

De acordo com levantamento da Canalys, os responsáveis foram o aumento da inflação, bloqueios relacionados à Covid na China e quedas nos gastos com consumo e educação

Remessas mundiais de PCs registraram queda de 14% no segundo trimestre

Os dados mais recentes da empresa de pesquisas Canalys mostram que as remessas mundiais de PCs (incluindo tablets) sofreram um declínio no segundo trimestre de 2022, caindo 14%, para 105 milhões de unidades. Vários problemas, incluindo o aumento da inflação, bloqueios relacionados à Covid na China e quedas nos gastos com consumo e educação, contribuíram para um trimestre difícil para o setor. Os tablets caíram pelo quarto trimestre consecutivo, uma queda de 11% ano a ano, com 34,8 milhões de unidades vendidas em todo o mundo. Os chromebooks também caíram pelo quarto trimestre consecutivo, mas sofreram um declínio muito mais acentuado, com as remessas caindo 57% para 5,1 milhões de unidades no segundo trimestre de 2022, à medida que a demanda do setor educacional continuava diminuindo.

Embora principalmente devido à diminuição da demanda por educação, os chromebooks também têm enfrentado dificuldades no segmento corporativo nos últimos tempos

A Lenovo liderou o mercado total de PCs (desktops, notebooks e tablets), com 20,9 milhões de unidades vendidas em todo o mundo, com 20% de participação no mercado. A segunda colocada, a Apple, registrou remessas de 16,6 milhões de unidades e um declínio de 19% em relação ao ano anterior, pois foi gravemente afetada pelas interrupções na cadeia de suprimentos causadas pelos bloqueios na China. A HP garantiu o terceiro lugar, com uma queda de 27% nos envios para 13,6 milhões de unidades. Devido à demanda transbordante do primeiro trimestre e sua força no espaço comercial, a Dell teve o menor declínio entre os principais fornecedores, com 13,3 milhões de unidades vendidas e um ganho de um ponto percentual na participação de mercado. Com 7,7 milhões de unidades vendidas, a Samsung ficou em quinto lugar no mercado mundial no segundo trimestre de 2022.

Tablets em queda

Após um aumento prolongado durante a pandemia, as remessas mundiais de tablets estão em tendência de queda, caindo 11% ano a ano no segundo trimestre de 2022, à medida que a demanda de consumidores e educação diminuiu. A líder de mercado, a Apple, caiu 15%, vendendo 12,1 milhões de iPads em todo o mundo. A Samsung ficou em segundo lugar com 7 milhões de unidades vendidas, mantendo uma participação de mercado consistente, apesar de um declínio anual de 13%. A Lenovo ficou em terceiro lugar no ranking com um declínio de 25% ano a ano nas remessas para 3,5 milhões. A Amazon ficou em quarto lugar com um crescimento de 6% ao vender 3,3 milhões de unidades. A Huawei completou os cinco primeiros, com uma queda de 26% em relação ao ano anterior e 1,7 milhão de tablets enviados.

“A rápida queda na demanda do consumidor e da educação acelerou o declínio nas remessas de tablets à medida que nos afastamos do pico da pandemia”, disse o analista da Canalys Himani Mukka. “A inflação e o medo de uma recessão estão na vanguarda das mentes dos consumidores, e os gastos com tablets ficaram em segundo plano à medida que a necessidade de níveis de uso da era da pandemia caiu”, comentou.

Segundo o analista, ao contrário dos notebooks, os tablets não são vitais para a produtividade dos negócios, portanto, a demanda comercial não ajudou a compensar a queda nas compras dos consumidores. Embora a fraqueza do consumidor deva persistir no terceiro trimestre, as ofertas de volta às aulas e o lançamento de novos tablets antes da temporada de festas de fim de ano proporcionarão um pequeno aumento na demanda.

Do lado comercial, as perspectivas são mais otimistas, embora os embarques permaneçam relativamente pequenos. Encomendas substanciais de governos nos principais mercados da Ásia-Pacífico permanecem em vigor e devem ser entregues à medida que os gargalos da cadeia de suprimentos e as preocupações com a inflação diminuem. Os países da região estão se voltando para a produção doméstica à medida que os governos incentivam ativamente os cidadãos a comprar produtos fabricados localmente. Muitos players proeminentes, incluindo Lenovo, Acer e Samsung, já aderiram a essa mudança, principalmente na Índia.

Chromebooks

O mercado global de chromebooks tropeçou após o aumento da demanda por educação nos principais mercados há um ano. A Acer emergiu como o principal fornecedor deste tipo de equipamento no segundo trimestre de 2022, garantindo mais de um quarto do mercado, pois suas remessas caíram 28%, um declínio relativamente pequeno em relação aos de seus principais concorrentes. A Lenovo manteve o segundo lugar, apesar de seus embarques terem caído 56% em relação ao ano anterior. A HP sofreu o maior declínio dos principais fornecedores devido à sua dependência do setor educacional dos EUA, com um declínio de 79% nas remessas. Dell e Asus compunham o resto dos cinco primeiros.

“Os chromebooks agora foram atingidos por quedas de remessas ano a ano a cada trimestre desde o terceiro trimestre de 2021”, disse Brian Lynch, analista de Pesquisa da Canalys. “Esse período de crescimento negativo tem sido uma transição esperada após a saturação dos dois maiores mercados de educação da categoria, EUA e Japão. Agora, o mercado global de chromebooks está definido para um período de desempenho mais consistente, com números de remessa mais baixos e sazonalidade mais tradicional do que a observada durante a pandemia”, observou.

Para Lynch, nos últimos meses, houve um grande acúmulo de inventário de chromebooks no canal em meio à desaceleração da demanda. Embora principalmente devido à diminuição da demanda por educação, os chromebooks também têm enfrentado dificuldades no segmento corporativo nos últimos tempos. Os parceiros de canal sinalizaram uma visão conservadora sobre as perspectivas de crescimento do mercado e muitos ainda não carregam a categoria. Apesar das grandes quedas recentes, os chromebooks estão sendo enviados em números significativamente maiores do que antes da pandemia e agora registraram dois trimestres consecutivos de crescimento sequencial. As futuras iniciativas de educação digital em vários países continuarão a se concentrar em dispositivos Chrome OS, oferecendo oportunidades renovadas de crescimento.

Serviço
www.canalys.com

 

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.