book_icon

Salt Security: tráfego malicioso pelas APIs dobrou nos últimos 12 meses

As organizações devem passar de práticas tradicionais de segurança e ferramentas de última geração para uma estratégia de segurança moderna que aborde a segurança em todas as etapas do ciclo de vida da API e forneça uma ampla gama de proteções capaz de promover a colaboração entre as equipes

Salt Security: tráfego malicioso pelas APIs dobrou nos últimos 12 meses

A Salt Security, empresa que atua em segurança de API, lançou o Relatório sobre o Estado da Segurança de API da Salt Labs*, relativo ao terceiro trimestre de 2022. Nesta mais recente edição, o relatório anual constatou que 94% dos entrevistados da pesquisa tiveram problemas de segurança na produção de APIs no ano passado, com 20% afirmando que suas organizações sofreram violação de dados como resultado de falhas de segurança nas APIs. Além disso, o relatório constatou que o tráfego de ataque às APIs dobrou nos últimos 12 meses. Juntas, estas constatações destacam que as soluções existentes e as medidas de segurança focadas em estratégias de testes na fase inicial de seu desenvolvimento estão falhando em proteger adequadamente as APIs.

O relatório do terceiro trimestre de 2022 detectou que os clientes Salt experimentaram um aumento de 117% no tráfego de ataque às API, enquanto o tráfego geral de API cresceu 168%, com destaque para a expansão contínua do uso de API corporativa 

O levantamento é gerado através de uma combinação de respostas de pesquisa e dados empíricos do Salt Security Cloud Service. O relatório do terceiro trimestre de 2022 detectou que os clientes Salt experimentaram um aumento de 117% no tráfego de ataque às API, enquanto o tráfego geral de API cresceu 168%, com destaque para a expansão contínua do uso de API corporativa. Com o tráfego de API malicioso representando 2,1% do tráfego geral, as tentativas de ataque de API passaram da média há um ano de 12,22 milhões de chamadas maliciosas por mês para uma média de 26,46 milhões de chamadas em junho passado. Entre os clientes da Salt, 44% sofrem uma média de 11 a 100 tentativas de ataque por mês e 34% sofrem mais de 100 tentativas mensais, com 8% sofrendo mais de 1.000.

“Espinha dorsal da nossa economia moderna, a digitalização tem feito com que as organizações dependessem cada vez mais das APIs para oferecer novos serviços e competir melhor. Esse foco na inovação digital, no entanto, também colocou um alvo nessas organizações, como esta pesquisa deixa claro”, disse Roey Eliyahu, co-fundador e CEO da Salt Security. “Com os ataques de API acelerando ano após ano, não é surpresa que nossa pesquisa mostre a segurança como a principal preocupação nas estratégias de API. Os resultados do relatório também mostram a necessidade de uma estratégia de segurança de API mais robusta – começando pelo desenvolvimento, mas especialmente focada no tempo de execução – para proteger melhor essa superfície de ataque em expansão e os ativos mais valiosos das empresas”.

Desenvolver uma estratégia robusta de segurança de API é fundamental, já que 61% dos entrevistados da pesquisa gerenciam atualmente mais de 100 APIs. Com as principais iniciativas corporativas tão intimamente ligadas ao uso da API, as empresas não têm tolerância para atrasos ou reversões de implantação. Porém, mais da metade dos entrevistados da pesquisa relataram atrasar a implantação de novos aplicativos devido a preocupações com a segurança da API.

Os resultados da pesquisa são claros. Os entrevistados afirmaram esmagadoramente que a dependência de APIs continua a crescer à medida que as APIs se tornam cada vez mais decisivas para o sucesso de suas organizações. No entanto, ao mesmo tempo, as ferramentas e processos de segurança atuais não podem acompanhar os novos protocolos de API e as tendências de ataque. As projeções de tráfego e uso da API dentro da base de clientes Salt confirmam essas observações. As organizações devem passar de práticas tradicionais de segurança e ferramentas de última geração para uma estratégia de segurança moderna que aborde a segurança em todas as etapas do ciclo de vida da API e forneça uma ampla gama de proteções capaz de promover a colaboração entre as equipes.

* O Relatório sobre o Estado da Segurança de API, 3º trimestre de 2022, foi compilado por pesquisadores da Salt Labs, a divisão de pesquisa da Salt Security, utilizando dados de pesquisa de mais de 350 entrevistados em uma gama de responsabilidades de trabalho, indústrias e tamanhos da empresa. Quase metade dos entrevistados (49%) tem funções em segurança, 19% são líderes de segurança de nível executivo ou de TI e outros 21% estão dentro da plataforma, DevOps ou equipes de produtos. As empresas de tecnologia e serviços financeiros – amplamente vistas como na vanguarda do uso da API – compõem 47% dos entrevistados. Empresas de grande e pequeno porte estão representadas uniformemente, além de dados empíricos anonimizados e agregados de clientes da Salt Security obtidos através da Plataforma de Proteção de API da Salt Security

Serviço
content.salt.security/demo.html

Roey Eliyahu

Salt Labs

Salt Security

tráfego malicioso pelas APIs

Últimas Notícias
Você também pode gostar

O seu endereço de e-mail não será publicado.


As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.