book_icon

Aplicativos de mensagens e redes sociais são desafios para a Segurança de Dados corporativos

Cerca de três em cada dez funcionários não pedem autorização prévia para baixar um programa em seus dispositivos corporativos, o que expõe a empresa a riscos de segurança

Aplicativos de mensagens e redes sociais são desafios para a Segurança de Dados corporativos

Shadow IT (ou TI invisível) é um fenômeno recente enfrentado pelas empresas, que acontece quando funcionários baixam programas não autorizados para realizar suas tarefas corporativas. Entre as principais consequências dessas “gambiarras tecnológicas”, estão a falta de controle da eficiência operacional e a criação de falhas na segurança empresarial. Uma recente pesquisa da Kaspersky mostra a abrangência do problema como um alerta para que as lideranças das empresas pensem na melhor maneira de solucioná-lo.

A pesquisa “Infodemia e os impactos na vida digital” da Kaspersky, em parceria com a Corpa, mostrou como o excesso de informação sobre a pandemia gerou uma sobrecarga mental nas pessoas. De fato, o resultado do estudo mostra que, durante a emergência sanitária, quando a maioria das pessoas passou a trabalhar de casa, três em cada dez brasileiros tiveram que baixar um aplicativo ou programa em seus dispositivos corporativos para facilitar a comunicação com terceiros.

Outro aspecto que a pesquisa abordou foi se esses funcionários solicitam a aprovação da área de TI antes de realizar o download — e quase 30% disse que não busca essa autorização 

Outro aspecto que a pesquisa abordou foi se esses funcionários solicitam a aprovação da área de TI antes de realizar o download — e quase 30% disse que não busca essa autorização. Essa situação coloca a segurança das empresas em risco ao não saber quais dados estão sendo compartilhados para fora da sua infraestrutura e por quais meios isso é feito. Entre os apps mais baixados, de acordo com a pesquisa, estão as redes sociais (70%) e os aplicativos de mensagens (55%).

“A inovação não é uma exclusividade das empresas. Em nossas vidas pessoais também tivemos melhorias importantes, como pesquisar o melhor preço de um produto desejado sem sair de casa e solicitar um táxi em vez de sair buscando um na rua. Aplicar essas “soluções tecnológicas” na vida profissional é algo natural. O problema está na dificuldade das empresas em se adequarem ao novo contexto — e este é um desafio gigantesco”, contextualiza Roberto Rebouças, gerente-executivo da Kaspersky no Brasil.

Como consequência, esses apps não-autorizados podem fazer a empresa perder o controle sobre a produtividade dos funcionários e da segurança corporativa — principalmente dos dados confidenciais. “A proteção tradicional está acostumada a generalizar as políticas e bloquear ou permitir acessos a todos. Porém, em um mundo que precisou se digitalizar rapidamente para sobreviver, essa mentalidade não tem mais espaço. As diretrizes e políticas de seguranças e o portfólio de programas permitidos precisam focar no negócio e adotar uma abordagem mais customizada sobre quais dados precisam de maior proteção e quem precisa ter permissão para acessá-los”, orienta Rebouças.

Infelizmente, a realidade é que um terço dos ex-funcionários ainda têm acesso aos arquivos das empresas onde trabalhavam. “Vários fatores geram a Shadow TI. Não é apenas a iniciativa dos funcionários, mas também a falta de processos das organizações. Elas não têm mapeado quais programas/aplicações cada área necessita para desenvolver seus trabalhos e acabam atendendo-os de maneira reativa e individual. Porém, quando o indivíduo sai ou é demitido, apenas os acessos padrões são bloqueados — isso quando há essa preocupação. Para enfrentar essa situação, é necessária uma maior cultura de segurança de dados em todas as áreas para entender o fluxo de troca de informações”, destaca o executivo da Kaspersky.

Para mitigar os problemas da Shadow IT na segurança dos dados corporativos, a Kaspersky dá as seguintes recomendações:

Adote e revise regularmente a política de acesso a ativos corporativos, incluindo caixas de e-mail, pastas compartilhadas, documentos online, para garantir que ela atenda às necessidades atuais da empresa.

Mapeie e mantenha um registro atualizado dos programas que as áreas utilizam para desenvolver seus trabalhos. Isso dará maior eficiência operacional na chegada de novos funcionários e garantirá o cancelamento total dos acessos deles aos dados empresariais quando saírem da organização.

Eduque periodicamente todos os funcionários sobre regras de cibersegurança da empresa para que eles entendam como proteger os dados corporativos e não expô-los por descuido ou mal uso dos recursos tecnológicos.

Use a criptografia para proteger as informações confidenciais. Desta maneira, mesmo que elas sejam compartilhadas, não poderão ser visualizadas sem a autorização necessária.

Aplicativos de mensagens e redes sociais

Corpa

Kaspersky

Roberto Rebouças

Segurança de Dados corporativos

Shadow IT (ou TI invisível)

Últimas Notícias
Você também pode gostar

O seu endereço de e-mail não será publicado.


As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento