book_icon

Fujitsu une forças à Docomo e NTT para o desenvolvimento do 6G

Nos testes conjuntos, os parceiros utilizarão ondas de rádio na faixa de alta frequência (ondas sub-terahertz) de 100 GHz e 300 GHz,

Fujitsu une forças à Docomo e NTT para o desenvolvimento do 6G

A Fujitsu anunciou que iniciará a colaboração com a NTT Docomo e Nippon Telegraph and Telephone Corporation (NTT) para realizar testes conjuntos para a realização de aplicações práticas para 6G, a sexta geração de telefonia móvel. Nos testes conjuntos, os parceiros utilizarão ondas de rádio na faixa de alta frequência (ondas sub-terahertz) de 100 GHz e 300 GHz, que representam candidatos promissores para uso em 6G para realizar uma tecnologia de comunicação de alta velocidade, com propagação de ondas de rádio que não é afetada por obstáculos. As empresas também pretendem desenvolver um dispositivo sem fio de alta frequência que utilize um semicondutor composto.

A Docomo e a NTT iniciarão testes experimentais com a Fujitsu para estabelecer tecnologias sem fio 6G para comunicação sub-THz usando banda de 100 GHz e 300 GHz

A Fujitsu posiciona a tecnologia de rede como um elemento essencial nos seus esforços para proporcionar a transformação do negócio através da inovação digital e, em última análise, alcançar uma sociedade mais sustentável.

Espera-se que as redes 6G acelerem ainda mais a digitalização da sociedade e forneçam soluções essenciais para questões sociais complexas. Para esse fim, as atividades globais de P&D se concentram em avançar ainda mais os recursos de alta velocidade, grande capacidade, baixa latência e multiconexão simultânea das redes 5G atuais e visam realizar comunicações com baixo consumo de energia, visando o total lançamento em escala de redes e serviços 6G por volta de 2030.

Bandas de frequência mais amplas desempenham um papel significativo na realização de comunicação de alta velocidade e grande capacidade que excede a das redes 5G atuais. 100 GHz e acima são bandas de frequência promissoras para redes 6G que permitiriam velocidades de comunicação de mais de 100 Gbps, que é dez vezes maior do que as redes 5G atuais. No entanto, ondas de rádio em frequências mais altas tendem a ser mais facilmente afetadas por obstáculos, o que dificulta a comunicação entre pontos distantes.

Para resolver este problema, Fujitsu, Docomo e NTT realizarão testes conjuntos de MIMO distribuído, uma tecnologia de comunicação sem fio onde várias antenas de ondas sub-terahertz são dispersas para emitir simultaneamente ondas de rádio de várias direções para um terminal receptor. Por meio desse experimento conjunto, as três empresas pretendem desenvolver tecnologia resistente à obstrução e realizar comunicação sem fio de alta velocidade estável acima de 100 Gbps.

A fim de realizar comunicações de alta velocidade e grande capacidade em ondas sub-terahertz com tamanho pequeno e baixo consumo de energia, a Fujitsu pretende desenvolver dispositivos sem fio de alta frequência utilizando semicondutores compostos, como nitreto de gálio (GaN) e fósforo de índio (InP). No futuro, a Fujitsu irá promover o desenvolvimento de tecnologias para a realização de aplicações práticas para 6G e envolver-se ativamente em actividades globais de normalização 6G para contribuir para a resolução de problemas sociais através de I&D.

“A Docomo colabora com a Fujitsu desde 2014 para verificar as tecnologias sem fio para a realização do 5G e alavancou o know-how obtido para fornecer serviços comerciais 5G desde 2020. Estamos muito satisfeitos em colaborar com a Fujitsu também para a realização do conceito 6G. A Docomo e a NTT iniciarão testes experimentais com a Fujitsu para estabelecer tecnologias sem fio 6G para comunicação sub-THz usando banda de 100 GHz e 300 GHz e fazer uma sólida contribuição para 6G comercialização com uma variedade de parceiros da indústria”, disse Naoki Tani, vice-presidente executivo e diretor de Tecnologia da Docomo.

Serviço
www.fujitsu.com

5G

6G

Docomo

Fujitsu

NTT

rádio

Sub-terahertz

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.