book_icon

Gastos com serviços ESG serão de US$ 158 bi em 2025, prevê a IDC

Atualmente, todas as empresas estão sendo pressionadas a transformar e mudar fundamentalmente a maneira como fazem negócios para se tornarem sustentáveis

Gastos com serviços ESG serão de US$ 158 bi em 2025, prevê a IDC

As organizações enfrentam pressões crescentes para melhorar e documentar seu desempenho Ambiental, Social e de Governança (ESG). Como os passos iniciais para uma transformação sustentável podem ser assustadores para empresas que não tentaram nada semelhante no passado, os gastos com consultoria vinculados à sustentabilidade tornaram-se uma alta prioridade. Uma nova previsão da International Data Corporation ( IDC ) estima que os gastos com serviços de negócios ESG crescerão para US$ 158 bilhões em 2025, com uma taxa de crescimento anual composta (CAGR) de 32,3% em cinco anos.

“Em 2022, todas as empresas estão sendo pressionadas a transformar e mudar fundamentalmente a maneira como fazem negócios para se tornarem sustentáveis”, disse Dan Versace, analista de pesquisa de ESG Business Services da IDC. “Devido ao aumento da pressão de clientes, investidores e reguladores, as organizações estão começando a entender os casos de negócios para a sustentabilidade. As organizações que desenvolvem e implementam planos para melhor internalizar e abordar seu impacto ambiental e social podem prosperar nos próximos anos como líderes no espaço da sustentabilidade”, observou.

As empresas devem avaliar seus serviços de negócios ligados à sustentabilidade para determinar onde essas ofertas podem ser melhor utilizadas e identificar outros pontos problemáticos do usuário final onde novas ofertas serão necessárias

A IDC define os serviços de negócios ESG como serviços profissionais tradicionais que estão centrados em atingir metas relacionadas à sustentabilidade ambiental e social e à governança desse processo. Também pode incluir serviços de habilitação ESG, conhecidos como serviços profissionais vinculados à sustentabilidade, que permitem que as organizações aumentem suas capacidades de sustentabilidade por meio da melhoria de processos de negócios tradicionais, como serviços focados no aumento da eficiência do processo ou serviços da cadeia de suprimentos para reduzir riscos.

As principais áreas de foco para o investimento das organizações em sustentabilidade são a estratégia de negócios, soluções de gestão de capital humano e gestão de riscos. A maior área de gastos, consultoria de estratégia, permitirá que as organizações incorporem de forma eficiente a sustentabilidade em sua estratégia de negócios, que é a força motriz do propósito corporativo e, por sua vez, das operações sustentáveis. A gestão do capital humano será a área de gastos com crescimento mais rápido. Isso se deve principalmente ao duplo desafio de criar treinamento em larga escala em toda a organização e melhorias na eficiência de processos necessárias para que os esforços de sustentabilidade tenham sucesso no futuro, além de abordar internamente tópicos de pilares sociais, como gestão de capital humano.

O aumento dos gastos entre as funções está forçando as organizações a abordar a sustentabilidade corporativa de maneira holística, afastando-se da abordagem ad hoc que estava presente nos anos anteriores. Esse imperativo de agir de forma sustentável em todas as facetas de uma organização está se tornando mais poderoso à medida que as divulgações obrigatórias de sustentabilidade se aproximam. Embora muitas organizações já estejam relatando voluntariamente seu desempenho relacionado ao clima (emissões de escopo 1 e 2, intensidade de carbono etc.), serviços profissionais ainda serão necessários para aumentar a eficiência do processo, pois relatórios mais intensivos em recursos se tornam obrigatórios. Além do reconhecimento do vínculo inerente entre sustentabilidade social e ambiental que passa a ser entendido no nível corporativo,

“Até o final do período de previsão, a IDC espera que os serviços de consultoria de negócios vinculados à sustentabilidade abranjam quase dois terços do mercado total de serviços de negócios”, acrescentou Versace. “Com este mercado ainda em sua infância, as oportunidades de diferenciação estão por toda parte. As empresas devem avaliar seus serviços de negócios ligados à sustentabilidade para determinar onde essas ofertas podem ser melhor utilizadas e identificar outros pontos problemáticos do usuário final onde novas ofertas serão necessárias”, finalizou.

Serviço
www.idc.com

ambiental

Clima

emissão de carbono

ESG

governança

IDC

Social

Sustentabilidade

Últimas Notícias
Você também pode gostar
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.