book_icon

Frenesi do Low-Code na configuração tecnológica das startups

O mundo da tecnologia da informação esteve durante essa última década em rápida e brusca mudança, dentro dessa esfera, o Low-code está oferecendo um dos ambientes mais rápidos e ágeis para empresas que buscam construir e inovar aplicativos novos e existentes. A nova ferramenta no universo das startups permite que empresas criem sistemas rapidamente sem codificação extensiva. Basta escolher os módulos e criá-los.

Com o progresso em termos e meios de comunicação, os desenvolvedores hoje são mais ágeis do que nunca. Ajudando as convulsões associadas à programação e codificação de alto complexo, usando muitos CRMs e outras plataformas de codificação pré-instaladas que são viáveis de alcançar a distância de uma mão. Entre elas, as plataformas de Low-Code parecem ser um conceito emergente, levando as empresas um passo à frente, tornando-as mais responsivas.

Por trás do termo “Low-Code”
Low-Code é definido como uma abordagem visual para o desenvolvimento de aplicativos que permite aos desenvolvedores iniciantes com pouca ou nenhuma experiência de codificação tradicional criar aplicativos corporativos personalizados, complexos e de alto funcionamento usando editores visuais, construtores de arrastar e soltar e orientação visual na tela. Essas plataformas vêm como uma estação do desenvolvimento mais rápido de aplicativos e softwares. Ele oferece aos desenvolvedores a facilidade de selecionar o tema certo, plugins e outros ajustes de especificações (Lock-in, gateways de pagamento) dentro do design necessário de aplicativos e ajuda os usuários finais a navegar em suas intenções de forma mais profissional.

Inicialmente, o termo apareceu pela primeira vez em 2011 e, até recentemente, foi declarado, há 41% das organizações centradas na coordenação de Low-Code no tratamento de suas tarefas de desenvolvimento. Essa ferramenta surgiu por necessidade devido à progressão de sistemas por vezes complexos e insustentáveis com a oferta e a demanda de desenvolvedores limitados. Anteriormente, a codificação exigia programadores especializados que entendiam linguagens e suas limitações.

Em 2017, as estimativas de 2017 da indústria estavam perto de US $4,3 bilhões. E, agora em 2022, a previsão do estudo realizado pela Forrester é de para mais de US $27 bilhões. Ainda segundo afirmado pelo relatório:

“As plataformas de Low-Code utilizam procedimentos logísticos visíveis e não o esforço manual para codificação. Tanto os desenvolvedores quanto os domínios não técnicos podem utilizar essas configurações, e exigem uma prática mais limitada para começar. Características básicas incorporam elementos reutilizáveis, veículos de arrasto e queda e manutenção da execução do procedimento. startups ou pequenas empresas podem explorar, modelar e lançar aplicativos em uma duração rápida de tempo.”

No Brasil, a pioneira em Low-Code é a TrueChange. A empresa possui uma equipe de profissionais especializados nas práticas de desenvolvimento de software para realizar a transformação digital dos negócios. Atualmente, a companhia é o principal parceiro da Siemens na América Latina focada em negócios Mendix, plataforma no mercado global.

Primeiros passos para implementação
Como no País, o método está em etapas de iniciação, a efetividade de seu sucesso e de uma organização com esse tipo de código, depende da visão e compromisso das lideranças para com a transformação tecnológica completa. Em muitas instituições, os principais desenvolvedores são delegados a manter aplicativos, enquanto recursos mais novos são trazidos para implementar a sua tecnologia. O que esses líderes de organização muitas vezes não entendem é que uma vez que eles tenham alcançado algum resultado positivo com uma plataforma de Low-Code, uma adoção mais ampla e rápida em toda a organização ajudará a acelerar a transformação. Uma maneira rápida de obter sucesso é adquirir aplicativos comerciais fora da prateleira do fornecedor que podem então estimular uma adoção mais rápida, porém, em última análise, a adoção deve ser do usuário e dos desenvolvedores.

Inclusive, muitos desses sistemas são projetados para resolver problemas bastante diferentes uns dos outros. Algumas destas alimentam a automação de processos digitais, com foco nas diversas operações do negócio. Por outro lado, outros como os projetados para aplicativos móveis, podem se concentrar em fornecer aos usuários finais uma experiência atraente e intuitiva.

Aos projetados para complementar sistemas antigos, geralmente falham mais frequentemente, visto que a exigência de scripting linguagens para corresponder a esses sistemas onera o desenvolvimento. Desse modo, se considera que o Low-Code possui melhor eficácia, porque tem a sua disposição APIs e integrações que permitem aos proprietários maximizar a experiência onde os recursos principais ficam aquém. Sendo assim, existe uma enorme modernidade em todo o campo, devido às diversas vantagens, como:

Flexibilidade sobre despesas
Um dos benefícios mais significativos da tecnologia são os custos limitados de investimento e manutenção associados ao seu desenvolvimento. As startups geralmente têm recursos financeiros enxutos e devem encontrar maneiras de reduzir os gastos sempre que possível. O desenvolvimento de Low-Code pode não apenas ajudá-las a criar mais aplicativos corporativos em muito menos tempo do que nunca, como também pode permitir que o evite encargo de custos associados à contratação de desenvolvedores de software qualificados para criar métodos personalizados manualmente.

Consequentemente, indo de encontro a isso, o levantamento conduzido pela Forrester reforça a força de compatibilidade dos sistemas e garante que esses códigos estão prontos para desafiar as empresas digitalizadas. Ao invés das empresas contratarem desenvolvedores para efetuar cada componente do software, cerca de 70% das empresas já visam empregar plataformas de programação facilitada. Este método para a opção de startups é eficiente em desempenho e exige habilidades mais acessíveis sobre seu uso.

Em um mundo centrado no cliente, pessoas e processos de negócios impulsionam a Transformação Digital. A pandemia Covid-19 forçou as empresas a modernizar seus processos e a olhar para abordagens mais híbridas para a tecnologia. Plataformas de código simplificado oferecem às organizações a capacidade de construir e implantar aplicativos completamente dentro da Nuvem. A aplicação desse tipo de código permite uma transição fácil de processos de papel e sistemas antigos, construindo um suporte sólido para automação de processos dentro da indústria.

Apesar de algumas armadilhas das novas tecnologias, o Low-Code oferece uma oportunidade sólida de se adaptar em um local de trabalho em constante evolução. Os resultados são satisfatórios e fornecem uma abordagem para escalabilidade personalizada para modelagem de interface de usuário também. Além disso, membros não técnicos também têm uma aderência sobre os recursos de erro dessas plataformas.

Interface Profissional
Os aplicativos não se limitam apenas ao design e ao desenvolvimento uma vez, mas o suporte completo ao desenvolvimento é necessário para torná-lo um negócio lucrativo em todo o país. Esta bobina agora é reta e viável para proprietários de startups com menos orçamento e grande acessibilidade em plataformas de código simples.

Como a necessidade de aplicativos de negócios está ganhando crescimento nos últimos anos (entre 2021-2023 um fluxo de aproximadamente 500 bilhões de aplicativos será construído), a dependência do código baixo também está aumentando. Essas extensões ganharam programas de código promovidos entre as identidades das startups. Dispositivos como este, confirmaram ser lucrativos, pois apresentam uma abordagem mais abrangente para as empresas criarem aplicativos personalizados.

Quais benefícios do low-code para as startups?
Nesse cenário, o Low-Code será fundamental para ajudar as startups a alcançar o desenvolvimento e a modernização de forma confiável e eficiente, ao mesmo tempo em que aborda as necessidades de escalabilidade, segurança e mudança de ambientes. A plataforma fornece e auxilia no processo, para trazer consistência na construção de aplicações e na manutenção do ciclo de vida do sistema, que é para o procedimento de Transformação Digital.

O uso de uma variedade de ferramentas de desenvolvimento visuais, ágeis e baseadas em regras e elementos pré-configurados para acelerar a entrega de aplicativos e a prototipagem são a peça chave de sua implementação. Vários aspectos do desenvolvimento do sistema podem ser alimentados por códigos para eliminar a redundância e o custo – fator esse primordial para a estabilidade financeira das startups. Por meio do sistema, os desenvolvedores não são mais obrigados a codificar individualmente cada interface do usuário, fluxo de trabalho ou procedimento de um novo aplicativo. A aplicação do método pode ser construída com menos riscos de codificação e, os desenvolvedores mais experientes e engenhosos podem se concentrar em tarefas mais difíceis.

Aliás, à medida que os requisitos de fluxo de trabalho mudam, os sistemas também podem e devem mudar. Equipes de desenvolvedores, analistas de negócios e proprietários de processos podem trabalhar juntos de forma mais eficaz, gerar uma aparência mais consistente entre aplicativos e eliminar etapas completamente. E se os principais desenvolvedores deixarem a organização, a ameaça de gargalo no desenvolvimento é muito reduzida.

Ademais, a ferramenta ainda otimizar e impactar das seguintes maneiras:
Melhorando o ROI: Incluindo baixo código, as startups podem rapidamente personalizar ou corrigir aplicativos que facilitem individualmente o estabelecimento omnichannel (maximizar a experiência do usuário), a crescente experiência do cliente (CX) e, finalmente, ganhar melhores ROI.

Apresentando aderência: Os desenvolvedores podem projetar diretamente ideias por trás do software para confirmar a tração fundamental, que funcionará ainda mais como um sistema de sensores para alcançar usuários iniciais atraídos também.

Otimizando métodos de marketing: As startups podem utilizar códigos baixos para melhorar métodos e eixos para princípios de marketing mais convencionais quando necessário, mas também observar meios contemporâneos.

Não há dúvida de que as plataformas Low-code estão progredindo vibrantemente, mas precisam observar avanços. Os provedores de tecnologia devem equipar organizações e desenvolvedores com as ferramentas para fazer suas soluções funcionarem para eles hoje e no futuro. Aproveitar essas soluções torna o desenvolvimento de aplicativos acessíveis e flexíveis, principalmente para startups, permitindo que as equipes de desenvolvimento e entrega de aplicativos continuem a atender às necessidades dos negócios sem codificação personalizada. Portanto, se prepara o panorama para a configuração à altura em que os negócios precisam mudar, expandindo a vida útil da tecnologia e retornando sobre o investimento para as organizações implantá-las.

Por Adriano da Silva Santos, jornalista e escritor.

Adriano da Silva Santos

desenvolvedores

low-code

Startups

Transformação Digital

Últimas Notícias
Você também pode gostar
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento