book_icon

Sejam bem-vindos ao Metaverso, a mais nova fronteira das criptomoedas

Em outubro, o Facebook surpreendeu e anunciou a mudança de nome do seu conglomerado. Desde então, quem utiliza os aplicativos do Instagram, WhatsApp e do próprio Facebook no smartphone se depara com a identificação “Meta” na abertura. Entretanto, mais do que designar uma nova identidade para o grupo, trata-se de uma expressão que captura o espírito do seu tempo. Afinal, o conceito de metaverso sai da teoria e finalmente entra em prática graças ao avanço das criptomoedas e da tecnologia Blockchain.

Sim, a web finalmente avançou para a sua versão 3.0. Se na primeira os navegadores produziam conteúdos pouco interativos e na segunda as redes sociais estimulavam a troca entre usuários e marcas, agora é a hora para estabelecer de vez a presença humana no ambiente digital, com plataformas como a Decentraland, capazes de promover interação, negócios, diversão, conhecimento… enfim, todas as relações sociais com as vantagens oferecidas pelos criptoativos. Confira:

Do que se trata o metaverso?
Como tudo na tecnologia, o metaverso surgiu primeiro como ideia e só depois como realização. A proposta não é nova. Foi idealizada inicialmente na ficção científica Snow Crash, de Neal Stephenson, em 1992. Sua visão era um mundo virtual 3D com avatares que interagiam e viviam experiências. Assim, a proposta do metaverso nada mais é do que mundos virtuais em que as pessoas podem viver experiências bem reais, como compras, investimento e interação entre pessoas.

Sim, essa é a ideia que o Second Life, do Linden Lab, tentou implementar nos anos 2000. Houve até uma empolgação inicial, com a entrada de marcas e usuários nesse espaço digital. A questão é que a evolução tecnológica existente na época não foi suficiente para comportar todos os objetivos. Mas agora a situação se inverteu com a consolidação das criptomoedas em todo o mundo.

Onde o cripto se encaixa nisso?
O metaverso baseado em criptoativos nada mais é do que economias virtuais de mercados emergentes com uma combinação complexa em desenvolvimento contínuo de bens, serviços e ativos digitais que geram valor do mundo real para os usuários. Em outras palavras: ambientes virtuais desenvolvidos com apoio da tecnologia blockchain que permitem aos usuários realizarem movimentações financeiras e de informações com a mesma segurança e comodidade do mundo “real”.

Os primeiros mundos do metaverso na Web 3.0 foram construídos sobre plataformas de computação Blockchain com uma série de partes contribuindo para o desenvolvimento de jogos e itens que podem ser negociados livremente nessa tecnologia. Assim, os usuários estão começando a criar uma nova experiência de comércio eletrônico. Entre as principais atividades que estão aproveitando essa oportunidade estão galerias de arte, em que proprietários exibem e vendem arte digital via NFT, escritórios de negócios com sedes digitais, jogos e cassinos, publicidade com outdoors digitais, locais de música, entre outras.

O que vem por aí no metaverso?
Os mundos do metaverso na Web 3.o fazem parte de uma economia criptográfica maior – e interconectada. Seus protocolos descentralizados (característica central do blockchain) interoperam e fornecem a infraestrutura técnica que dá suporte às transações virtuais. Para se ter uma ideia, dois “terrenos” na Decentraland foram negociados por equivalentes R$ 31 milhões nas últimas semanas.

O que se vê, portanto, é o surgimento de redes de pagamentos que utilizam a própria moeda digital (como a MANA no caso da Decentraland), a possibilidade de finanças e de governança descentralizadas, o surgimento de bens soberanos NFT (token não fungível), identidade soberana como as moedas de reputação social e a própria descentralização da nuvem. Pouco a pouco, o metaverso ganha espaço e incorpora as experiências que marcam nossas vidas reais. Cada vez mais a fronteira entre o físico e o virtual fica mais tênue entre esses dois universos.

Por Cássio Krupinsk, CEO da BlockBR

 

ambientes virtuais

BlockBR

Blockchain

Cássio Krupinsk

fronteira das criptomoedas

Meta

Metaverso

Últimas Notícias
Você também pode gostar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento