book_icon

IBM anuncia melhorias no RoboRXN, laboratório automatizado de IA

Hospedado na Nuvem, o laboratório é utilizado por mais de 29 mil usuários e foi desenvolvido para permitir a descoberta e a criação remota de novas moléculas e materiais

IBM anuncia melhorias no RoboRXN, laboratório automatizado de IA

A IBM anunciou melhorias no RoboRXN, um laboratório automatizado de Inteligência Artificial (IA) hospedado na Nuvem, desenvolvido para permitir a descoberta e a criação remota de novas moléculas e materiais. O RXN for Chemistry – a IA do RoboRXN – é utilizado por mais de 29 mil usuários e acumula mais de 5 milhões de predições de reação em um esforço para agilizar o processo científico do descobrimento e da criação de novos materiais.

Como o RoboRXN aproveita as capacidades de ponta da Nuvem e IA para melhorar a descoberta de materiais, é essencial que seja seguro para as organizações que trabalham com dados proprietários. Além disso, existe uma crescente necessidade de melhorar a sustentabilidade nos processos de fabricação, incluindo as reações químicas que convertem as matérias primas em produtos finalizados.

O RoboRXN desempenha um papel estratégico como precursor desse novo processo de integração e desenvolvimento na pesquisa e na indústria química

Para superar esses desafios, a IBM oferece novas funções no RoboRXN:

Segurança e personalização: novas capacidades na Nuvem que permitem aos usuários treinar diretamente o RXN com conjuntos de dados confidenciais para uma experimentação e personalização mais segura dos modelos de predição utilizando conhecimentos proprietários.

Processos químicos mais ecológicos: os novos modelos de IA agora podem ajudar os químicos na predição e identificação rápida de enzimas mais sustentáveis. As enzimas são biomoléculas altamente complexas e necessárias para converter materiais em papel, cosméticos, produtos farmacêuticos e sabores.

Descobrimento de materiais

Pode levar quase 10 anos e entre 10 a 100 milhões de dólares para identificar e produzir um novo material. Isso ocorre porque a química sintética ainda se baseia nos métodos de tentativa e erro, e pouco progresso foi feito para modernizar a fabricação de materiais. “Atualmente, para criar um material, os pesquisadores devem viajar através de um espaço químico aparentemente interminável, repleto de mais compostos potenciais do que átomos no universo”, diz o Dr. Alessandro Curioni, IBM Fellow e diretor do IBM Research Europa. “Para ajudar a resolver muitos dos desafios que requerem novos materiais – de fome à mudança climática, até doenças infecciosas – os pesquisadores precisam ser capazes de inventar, sintetizar e provar a eficácia dos materiais potenciais. Aplicar a IA a essa grandiosa tarefa usando tecnologias como o RoboRXN tem o potencial de ajudar quase todas as indústrias a acelerar sua efetividade, sustentabilidade e impacto de novos materiais que criam”, observa.

O IBM RoboRXN foi desenhado para atuar como um navegador, possibilitando que os químicos descubram e criem materiais de uma maneira mais rentável em comparação com os processos tradicionais, ao automatizar a maior parte do trabalho preliminar de síntese de materiais. Os usuários também podem sintetizá-los de forma remota através da nuvem.

Processos químicos sustentáveis

O RoboRXN oferece soluções químicas sustentáveis, que utilizam o aprendizado automático para identificar e classificar processos enzimáticos eficazes e sustentáveis. Por exemplo, é possível usar essa nova arquitetura de IA para aproveitar os enormes volumes de enzimas potencialmente conhecidas para substituir os catalizadores químicos tradicionais e os solventes tóxicos por compostos naturais derivados de plantas e vegetais.

Uma limitação importante da aplicação de soluções de química sustentável é a falta de estrutura do conhecimento específico necessário para adaptar as enzimas existentes às novas transformações químicas. Isso torna difícil e demanda muito tempo para que se revelem novas enzimas potenciais com métodos tradicionais de experimentação. Descobrí-las para a síntese orgânica poderia permitir caminhos simplificados, mais econômicos e sustentáveis para desenvolver produtos mais amigáveis com o meio ambiente. Os casos de uso industrial vão desde a indústria de alimentos e bebidas, até os setores farmacêuticos, cosméticos, entre outros. Na produção de papel, por exemplo, a polpa pode ser tratada com xilanase, uma enzima natural, no lugar da água sanitária, que é cara e contaminante.

“O futuro dos materiais e da química está na Nuvem, com desenvolvimento e adoção de tecnologias digitais para acelerar novas descobertas”, comenta o Dr. Teodoro Laino, Distinguished Scientist na IBM Research Europa. “A Nuvem é a infraestrutura perfeita para fomentar e estimular a cooperação entre diferentes provedores de tecnologia e impulsionar a transação de soluções digitais nas operações diárias de Pesquisa e Desenvolvimento. O RoboRXN desempenha um papel estratégico como precursor desse novo processo de integração e desenvolvimento na pesquisa e na indústria química”, afirma.

A solução RXN for Chemistry, motor central do RoboRXN, é baseada em um método de tradução de aprendizado automático neural de última geração que prediz o resultado mais provável de uma reação química. Isso acontece ao traduzir de uma linguagem (reativos e reagentes) para outra (produtos), usando sequências de caracteres chamados Simplified Molecular Input Line Entry System (SMILES) para descrever entidades químicas.

Serviço
www.ibm.com

IA

IBM

Novos Materiais

Nuvem

RoboRXN

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento