book_icon

Crescem as soluções de gerenciamento de risco ESG, aponta IDC

Crescem as soluções de gerenciamento de risco ESG, aponta IDC

À medida que as empresas passam a ter a tarefa de coletar e relatar métricas Ambientais, Sociais e de Governança (ESG), surge uma oportunidade de mercado para soluções de software que oferecem suporte aos requisitos em rápida evolução do gerenciamento de risco ESG. De acordo com uma previsão recente da International Data Corporation (IDC), as receitas mundiais de software de relatórios e riscos ESG mais do que dobrarão no período de previsão de 2020-2025, crescendo para mais de US$ 720 milhões em 2025.

Nos últimos anos, houve uma mudança na priorização do mercado de riscos ESG. Enquanto a Responsabilidade Social Corporativa (CSR) tem sido um tema de Governança corporativa, Risco e Conformidade (GRC) há algum tempo, o ESG rapidamente se tornou um fator de decisão fundamental para consumidores, investidores e empresas. E, embora as abordagens tradicionais de CSR tenham se concentrado em esforços filantrópicos sem necessariamente estar diretamente vinculado à necessidade de gerar resultados de negócios positivos, o ESG é orientado pelo desempenho e focado na materialidade/impacto comercial das atividades ESG.

O ESG está se tornando rapidamente um componente central da estratégia geral de Governança, Risco e Conformidade (GRC) da maioria das empresas, com a IDC esperando que a penetração das soluções de gerenciamento de risco ESG entre os usuários de GRC crescerá de 50% em 2021 para mais de 90% até 2026

Outra distinção entre ESG e CSR é a associação com estruturas existentes e legislação emergente. A CSR é em grande parte uma questão de governança, com as políticas sendo ditadas por mandatos internos. Em contraste, o rastreamento e os relatórios ESG são normalmente baseados em uma das várias estruturas (Global Reporting Initiative – GRI, International Integrated Reporting Council, Carbon Disclosure Project – CDP, Climate Disclosure Standards Board, Sustainability Accounting Standards Board – SASB; e agora o Value Reporting Foundation) e, embora adaptado às necessidades específicas de cada empresa, é mais padronizado na aplicação.

A abundância de estruturas que atualmente orientam o rastreamento e os relatórios ESG tornam impraticável para as empresas monitorarem efetivamente os riscos ESG e ainda mais difícil aproveitar os dados para fazer mudanças tangíveis positivas. Embora essas estruturas forneçam uma orientação geral sobre o que as empresas precisam rastrear para ESG, o uso de diferentes metodologias e sistemas de pontuação cria inconsistências na comparação do desempenho ESG das empresas. A falta de padronização também torna mais fácil para as empresas projetar seus relatórios ESG para capturar apenas os dados bons, ignorando os ruins, e retratar uma visão excessivamente otimista da atividade ESG. Sem padronização na estrutura e relatórios, essas métricas não são confiáveis ​​e resultaram em preocupações com a lavagem verde.

Gerenciamento de risco

Nesse contexto, uma onda de soluções de gerenciamento de risco ESG está chegando ao mercado como um segmento de software de gerenciamento de risco em rápida evolução. Essas soluções foram inicialmente projetadas para rastrear e relatar métricas ESG, mas estão cada vez mais sendo integradas a outras áreas de gerenciamento de risco, incluindo risco de terceiros, risco operacional, risco de conformidade, risco de privacidade e resiliência de negócios. O cenário de software de risco ESG pode ser subdividido ainda mais nas soluções que permitem às empresas gerenciar riscos e nas soluções que permitem às empresas relatar sua capacidade de gerenciar riscos.

“Em uma extremidade do espectro de gerenciamento de risco ESG estão as soluções que adotam uma abordagem modular e funcionam principalmente como ferramentas de gerenciamento de dados, onde as métricas ESG são consolidadas, organizadas com base em estruturas aplicadas e monitoradas ao longo do tempo. Essas soluções são retrospectivas, rastreiam e geram relatórios sobre o que já ocorreu”, disse Amy Cravens, gerente de Pesquisa de Governança, Risco e Conformidade da IDC. “Na outra extremidade do espectro estão as soluções que aplicam uma lente ESG em todo o cenário de risco de uma empresa, são profundamente integradas e incorporadas aos processos existentes e são aproveitadas como uma ferramenta estratégica de negócios. Essas ferramentas são preditivas, reunindo inteligência para monitorar indicadores e reagir para redirecionar vetores de risco”, explicou.

O ESG está se tornando rapidamente um componente central da estratégia geral de Governança, Risco e Conformidade (GRC) da maioria das empresas, com a IDC esperando que a penetração das soluções de gerenciamento de risco ESG entre os usuários de GRC crescerá de 50% em 2021 para mais de 90% até 2026.

Serviço
www.idc.com

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento